domingo, 20 de julho de 2008

O CRISTO DA RELIGIÃO x O CRISTO DO EVANGELHO I

Jo. 14:6 - "Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim." Estas palavras foram proferidas pelo próprio Cristo ante ao questionamento duvidoso de Tomé. É um enunciado inconfundível do que Ele é. Não é uma mera opinião acerca do que Ele supõe ser, ou mesmo, do que alguém supostamente afirmava sobre Ele. O verbo ser está no presente do indicativo e os artigos definidos indicam inequivocamente o que Cristo é de fato e de direito. Assim, cai por terra qualquer afirmação humana acerca de Cristo, posto que Ele mesmo se revela e se faz revelado por Suas palavras e ações.
O homem é informado que Cristo é o caminho, isto é, o método de Deus para reconduzir os eleitos e regenerados de volta a Ele. Igualmente Cristo é a verdade que o homem deve conhecer. Também, Cristo é a única vida que Deus tem para o homem morto em seu pecado e que foi conhecido de antemão por Ele conforme Rm. 8:29 e 30 - "Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos; e aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou." Então, fica evidente que Deus, em Cristo, não tem coisas, dogmas, verdades, virtudes, vitórias, qualidades morais, valores para dar aos seus eleitos. Deus tem somente Cristo para dar aos que escolheu antes da fundação do mundo. Quem ganha Cristo como o caminho, a verdade e a vida, ganha tudo o que Deus tem para conceder aos seus eleitos.
Na religião, comumente, as pessoas procuram métodos eficientes de se livrar das doenças, evitar as derrotas para o pecado, barrar a fúria de Satanás, satisfazer seus desejos, obter sucesso financeiro. Todas estas buscas se tornam vazias, porque desprovidas de Cristo, ainda que realizadas em nome d'Ele. Pode ser que muitos saibam que Cristo é o único caminho, ou seja, o único método de Deus para salvação. Entretanto, saber intelectualmente acerca desta verdade não salva ninguém. Se alguém não conhecer a pessoa de Cristo, de nada adianta conhecer acerca de métodos, verdades teológicas e vida saudável e de prestígio social, porque ninguém vai ao Pai senão por meio de Cristo. Esta verdade encerra em si mesma o fato que é por inclusão na morte d'Ele que o homem tem o corpo do pecado destruído para retirar-lhe a culpa e a condenação. Jo. 12: 32 e 33 - "E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. Isto dizia, significando de que modo havia de morrer." Este texto por seu próprio contexto e teor, mostra com clareza a inclusão do pecador atraído à morte de cruz em Cristo. Estes todos, são apenas os todos, os quais foram conhecidos de antemão, predestinados, chamados, justificados e glorificados. Do contrário, todos os homens forçosamente teriam de ser salvos.
Rm. 6: 1 a 7 - "Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que abunde a graça? De modo nenhum. Nós, que já morremos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição; sabendo isto, que o nosso velho homem foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado fosse desfeito, a fim de não servirmos mais ao pecado. Pois quem está morto está justificado do pecado." Então, quando se conhece Cristo como o único método, a única verdade e a única vida, significa que este homem já morreu para a natureza pecaminosa. Ele foi batizado, isto é, foi imergido na morte de Cristo, e com Ele já ressuscitou, ganhando a Sua vida. Foi o velho homem que morreu, ou seja, foi a natureza herdada de Adão que foi destruída na morte de Cristo para ganhar a Sua vida, e vida abundante na ressurreição juntamente com Ele.
Quando o homem tem apenas religião vive a cata de ensinos, métodos, verdades, regras, normas, preceitos e restaurações a fim de aliviar os padecimentos. Entretanto, nada disso o faz ter o próprio Cristo que é a única dádiva de Deus. Por isso, o religioso é invariavelmente derrotado pelo pecado e manipulado por Satanás por meio da sua alma. Ele possui apenas conceitos acerca de Cristo. Se tudo o que alguém acha é um caminho, isto é, um método, uma verdade ou uma promessa de vida, certamente continuará sofrendo derrotas e dissabores. Isto porque achou coisas, e não Cristo mesmo.
Assim, um é o Cristo apresentado e banalizado pela religião humana, outro é o Cristo revelado por Deus aos seus eleitos no santo evangelho.

Nenhum comentário: