domingo, 29 de junho de 2008

HERESIAS V

Uma heresia é e será sempre um padrão de verdade relativizada que satisfaz apenas ao interesse do homem decaído. Ela se expressa por meio de doutrinas elaboradas a partir de uma base verdadeira, porém adequada aos ditames do homem morto em seus delitos e pecados. Uma das formas mais comuns de produzir o anátema é através do próprio texto bíblico. As Escrituras, de fato, são o poder de Deus para salvação de todo o que crê, mas também é a perdição de todos os que não foram ordenados para a vida. A Palavra de Deus é como a Rocha de Sião, na qual muitos são sustentados e outros tantos se despedaçam conforme I Pd. 2: 6 a 8 - "Por isso, na Escritura se diz: eis que ponho em Sião uma principal pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido. E assim para vós, os que credes, é a preciosidade; mas para os descrentes, a pedra que os edificadores rejeitaram, esta foi posta como a principal da esquina, e, como uma pedra de tropeço e rocha de escândalo; porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados."
Neste artigo vamos abordar alguns aspectos de traduções do texto sagrado, a fim de mostrar como se faz uma "boa e aceitável" heresia virar uma "verdade" humana.
Em 1881, dois incrédulos religiosos publicaram um texto pretensamente para revisar a Bíblia utilizada no mundo dominado pela língua inglesa. Estes, embora não cressem em Deus eram líderes da igreja anglicana e professores da Universidade de Cambridge. Eram eles, Brook Foss Westcott e Fenton John Anthony Hort. Na Europa, tanto quanto em diversos outros lugares do mundo, há inúmeros ministros do evangelho que não sabem o que é o evangelho. Eles defendiam a filosofia alexandrina, a qual defende a tese que a Bíblia está completamente adulterada e contaminada, não sendo, portanto um livro de bases espirituais. Eles eram apenas religiosos, mas não eram crentes no sentido restrito do termo. Não criam na existência do céu, afirmando que o céu era apenas uma questão subjacente à ideologia. Hort chegou a afirmar sobre a Bíblia, o seguinte: "Nenhuma consideração especial deve ser feita concernente às suas declarações de inspiração e preservação" [Modern Bible, The Dark Secrets, Jack Moorman]. Este indivíduo acreditava na possibilidade de o próprio homem produzir uma espécie de paraíso paralelo aqui mesmo no mundo, o que ele chamava de 'coenobium'. Um tipo de comunismo cristão em uma sociedade harmônica e pacífica.
Eles negavam o texto mais puro e consistente em termos de códices bíblicos - o 'Textus Receptus' - no qual se baseou João Ferreira de Almeida para compilar a Bíblia em língua portuguesa. O 'Textus Receptus' foi usado como base do Novo Testamento grego para a versão King James da Bíblia desde 1611. Até 1881, não surgiu ninguém contestando ou apontando qualquer erro nesta versão. Entretanto, Westcott e Hort, se apresentaram como conservadores e muito preocupados com a verdade. Editaram, então o texto Westcott-Hort ou mais comumente citado como 'Texto WH'. Este texto difere em 9.970 palavras do "Textus Receptus". Isto corresponde a aproximadamente 7% dele, o qual tem sido utilizado por cristãos por 19 séculos.
Para o efeito de raciocínio, o 'Textus Receptus' concorda em 99% dos 5.255 manuscritos gregos do Novo Testamento que foram preservados até o dia de hoje. Apenas 45 destes manuscritos concordam com o texto de Westcott e Hort. Assim, se conseguiu introduzir sorrateiramente mudanças em versões novas da Bíblia para centrar o foco no homem e no humanismo e não em Cristo. O 'Texto WH' tomou por base o 'Codex B' e o 'Codex Sinaiticus', os quais apresentam divergências entre si da ordem de 3.000 vezes só nos quatro evangelhos.
O que a Palavra de Deus nos diz sobre inspiração e veracidade? Sl. 12: 6 a 7 - "As palavras do Senhor são palavras puras, como prata refinada numa fornalha de barro, purificada sete vezes. Guarda-nos, ó Senhor; desta geração defende-nos para sempre. Os ímpios andam por toda parte, quando a vileza se exalta entre os filhos dos homens." O salmista tinha em mente, exatamente a questão de se manter a pura palavra de Deus e não se deixar levar pelas palavras vis dos homens. As versões publicadas pela Sociedade Bíblia Trinitariana do Brasil (corrigida e fiel) são baseados no 'Textus Receptus' e no 'Textus Massorético'.
Os referidos senhores prestaram um grande serviço ao humanismo decaído, mas um grande desserviço à verdade, pois intitularam a sua nefasta versão de "Revised Version", quando se sabe que a "Authorized Version" da King James não sofreu nenhuma revisão por eles. Simplesmente produziram uma nova versão bíblica de conformidade com suas posições alexandrinas, posto que baseadas no "Textus Alexandrian".

Nenhum comentário: