domingo, 15 de junho de 2008

HERESIAS IV

Mt 15:9 – “Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homem.” Jesus está fazendo uma remissão ao texto do profeta Isaías. O contexto deste debate é aquele no qual Ele foi confrontado pelos escribas e fariseus acerca do comportamento nada ortodoxo dos seus discípulos. Procuravam ocasião para achar falha no Seu ensino, a partir de questões comportamentais, e, com isto, sobrepor os seus próprios ensinos da religião dominante. Condenavam o fato de os discípulos comerem sem lavar as suas mãos. Entretanto, esta era uma prática imposta pela tradição dos anciãos, com base nos costumes. Era, na verdade, uma prática comportamental e higiênica apenas, mas não uma doutrina espiritual como eles exigiam. É neste sentido que até o dia de hoje os religiosos se desentendem entre si, por conta de meras práticas, regras, normas e preceitos criados por homens. No contexto, Jesus chama atenção dos líderes religiosos do seu tempo acerca do que eles faziam, como sendo pior do que não lavar as mãos, visto que quebravam o mandamento da lei sobre honrar pai e mãe. Então, para o religioso é mais aceitável cumprir regras criadas pelas igrejas denominacionais, do que observar o que a Palavra de Deus diz. Exigem fidelidade à Igreja, ao pastor, à denominação, mas não à Palavra de Deus. Esta é outra dimensão de uma heresia destruidora dentro das igrejas institucionais, isto é, atentam para o que o homem quer, e não para o que as Escrituras dizem. Preocupam-se com aquilo que o homem faz e não com o que ele de fato é. Porque se Deus não fizer do pecador uma nova criatura em Cristo, de nada adianta o que o homem faz ou deixa de fazer.
Mt. 16:12 – “Então entenderam que não dissera que se guardassem, do fermento dos pães, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus.” Na sequência dos discursos de Jesus, Ele alerta os seus discípulos quanto aos ensinos puramente religiosos dos fariseus e dos saduceus. O Senhor lhes falou por parábolas, mas eles entenderam ao pé-da-letra. É esse um dos maiores entraves ao ensino da verdade, ainda nos dias atuais, espiritualizam o que é letra e textualizam o que é espiritual. Este texto dentro do seu contexto mostra a grande e urgente necessidade de resgate da verdade e do ensino da sã doutrina pelos regenerados. O ensino falho é uma das razões porque surgem inumeráveis seitas ou heresias intrínsecas e até mesmo extrínsecas.
I Tm 4:1 – “Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada, proibindo o casamento, e ordenando a abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ações de graças pelos que são fiéis e que conhecem bem a verdade.” Este texto, como todo o seu contexto, trata exatamente dos desvios e das atitudes do homem fora de Cristo. Paulo está doutrinando Timóteo seu filho na fé, acerca dos cuidados e da forma do ensino e de como se conduzir no pastorado. Verifica-se que os heresiarcas apostatam-se da fé, mas não da igreja ou da religião. Este é um aspecto a ser considerado, pois, geralmente eles penetram sorrateiramente com suas dissimulações e, o que é pior, com a diluição da graça de Deus, para ressaltar e exaltar apenas o homem.

Um comentário:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.