domingo, 8 de junho de 2008

LEIS QUE REGEM O HOMEM III

"Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros." Verifica-se que não é uma questão de querer fazer ou não querer fazer o mal, ele é inerente à natureza humana. O homem interior, quando regenerado, invariavelmente tem prazer na lei de Deus, porque é regido pela lei da vida em Cristo Jesus. Entretanto, os membros, isto é, a carnalidade, tem prazer na lei do pecado e da morte. Deste conflito surge uma outra lei, a lei do entendimento. Pela mente ou entendimento, o homem é capturado e levado cativo à lei do pecado, porque o entendimento humano está sob a nefasta influência dos atos pecaminosos na carne. Isto faz que muitas pessoas criem sistemas de crenças ou teológicos próprios em arrepio aos ensinos bíblicos.
Uma lei natural é algo como que um padrão repetitivo e constante. Semelhantemente, as leis espirituais que operam no homem são também constantes e repetitivas. Não é o fato de alguém ignorar as leis naturais que estas são anuladas. No caso das leis espirituais dá-se o mesmo, portanto, o homem é responsável moralmente por seus atos pecaminosos. De modo nenhum a graça anula as consequências destes atos pecaminosos. O religioso, geralmente, quando sofre as consequências dos seus próprios pecados atribuem culpa ao Diabo. Assim, dão sequência às suas crendices e enganos sem compreenderem as leis espirituais ensinadas nas Escrituras. Na maior parte dos casos, o inimigo entra apenas como treinador. O homem é o culpado e responsável por seus atos pecaminosos, e o Diabo, se aproveita disso para controlar cada vez mais a mente humana, levando-a cativa à lei do pecado e da morte.
O homem é ludibriado pela lei do pecado e da morte em seu entendimento, quando tenta resolver as questões de ordem espiritual, utilizando armas do entendimento carnal. Quando alguém está na dependência das suas habilidades e forças, está sendo regido pela lei do pecado e da morte. Isto ocorre, porque tal pessoa não recebeu graça para crer e depender absoluta e plenamente de Deus. A total e absoluta dependência gerada pela fé, faz que o homem seja guiado e regido pela lei da vida em Cristo Jesus, mesmo na derrota e no sofrimento.
Os. 4:6 - "O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento." Sabe-se que conhecimento nos termos escriturísticos é luz, portanto, a destruição pela lei do pecado e da morte é por falta da luz que do alto vem. O conhecimento verdadeiro é resultante da graça mediante a fé, a qual permite ao eleito conhecer e prosseguir conhecendo Deus pela lei da vida em Cristo Jesus. Tal conhecimento não se obtém por títulos, teologia, anos de igreja ou por declarar-se crente, batizado, obreiro, reformado, arminiano, missionário, etc. Resulta, outrossim, da vida de Cristo adquirida no nascimento do alto e, este, só é possível, após a inclusão do pecador na morte de Cristo, para com Ele ressuscitar. Esta verdade se apropria pela fé, visto que ninguém estava fisicamente na cruz, tendo sido substituído por Jesus. Entretanto, ao receber graça para crer que Cristo o substituiu espiritualmente e Jesus o substituiu fisicamente, obtém-se a fé para ganhar a vida d'Ele e viver da fé genuína. Tal é possível, porque o Salvador é absolutamente Deus em Cristo e absolutamente homem em Jesus, o Filho do Homem. O ensino aqui colocado nada tem a ver com as heresias do primeiro século: adocianismo e modalismo, as quais dicotomizavam a pessoa de Cristo, como se fossem duas pessoas distintas. Neste texto estamos apenas referenciando que Cristo é anterior ao homem histórico Jesus nascido de mulher. Entretanto, Jesus, o Cristo é uma única pessoa totalmente divino-humana.
Viver pela lei do pecado e da morte é bem mais estimulante e emocionante, pois esta lei satisfaz os desejos da alma e dá ao homem a falsa noção de que ele é o centro do processo. Para isso, Satanás, por meio de alguns dos seus auxiliares humanos, incutiu nas mentes decaídas algumas mentiras disfarçadas de verdade. Uma delas é o "livre arbítrio"! Outra é achar que a fé é natural no homem e que ao cumprir rituais, preceitos e regras, o pecador obtém justificação e santificação. Estas mentiras, visam desqualificar a morte de Cristo e colocar Deus como um ser dependente da vontade humana escravizada pelo pecado. Logo, não passam de heresias e anátemas criados pelo Diabo e administrado por religiosos arminianos e incrédulos por natureza e não somente por atos.

Nenhum comentário: