sexta-feira, 13 de junho de 2008

LEIS QUE REGEM O HOMEM VII

As Escrituras fazem menção do espírito e da alma como um ente coletivo e utiliza a palavra coração para designá-los. A salvação que Deus realiza é plena, envolvendo espírito, alma e corpo. No nascimento do alto ou novo nascimento como foi traduzido, a salvação é para o espírito que é vivificado em Cristo. A alma é tratada ao longo da vida, pois ela está contaminada por atos pecaminosos adquiridos e desenvolvidos em função da antiga natureza pecaminosa. Observa-se, que, em todo o tempo a Bíblia fala de salvação e purificação de almas. O corpo será transformado e receberá uma natureza glorificada quando da ressurreição e restauração final no retorno do Grande Rei.
"Digo, porém, andai no espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o espírito, e o espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer." Este texto de Gl. 5:16 e 17 mostra há uma permanente batalha interior mesmo no regenerado. Embora algumas traduções bíblicas coloquem a palavra espírito com inicial maiúscula, como se fosse o Espírito Santo, todavia, o texto se refere ao espírito do homem. Haja visto que o Espírito de Deus não entra em luta contra a carne do homem, e, pelo contexto, se percebe que a questão é no homem e não em Deus. Então, o ensino é que, se o homem for guiado ou controlado pelo Espírito Santo em seu espírito, não ocorrerá a satisfação dos desejos carnais como um hábito ou um princípio. Nenhum regenerado anda todo tempo e ao mesmo tempo, em todas as áreas da vida, sob o controle da carne e do espírito, ou está em um, ou está em outro. Portanto, a carnalidade sob o engano da lei da mente capturada pela lei do pecado e da morte, impede o regenerado de andar na lei do espírito e da vida em Cristo Jesus. Por isso, Deus realiza uma obra, operando o querer e o efetuar em seus eleitos a fim de lhes construir a vida de Cristo até o dia final. Embora haja os que defendem a dicotomia humana apenas com corpo e alma, as Escrituras, porém definem o homem como um ser tripartite conforme, por exemplo, I Ts. 5:23 - "O mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo."
Quando as Escrituras se referem à carne, não é uma mera referência à dimensão física do homem, mas ao conjunto das ações, operações e volições morais que controlam a alma. Esta carnalidade prende a mente do homem em suas emoções, desejos e volições, fazendo que este faça coisas, as quais já havia decidido não fazê-las em seu espírito. Paulo demonstra esta luta interior em Rm. 7: 18 e 19 - " Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico."
O espírito inoculado no homem é a parte que lhe permite conhecer a natureza Santa de Deus, pois Ele "... é Espírito e importa que os que o adorem, o adorem em espírito e em verdade" conforme Jo. 4:24. Portanto, o homem jamais poderá em vida conhecer Deus pela mente e pela carne, mas, tão somente pelo espírito e, este, regenerado.
A alma do homem foi igualmente inspirada por Deus conforme Gn. 2:7, sendo esta também imaterial e eterna. A alma, porém, possui profunda habilidade para capturar informações, tanto do mundo natural, como do mundo espiritual. Antes da regeneração, a alma recebe informações apenas do mundo natural por meio dos sentidos. Por isso, Cristo afirma em Mc. 8:18 - "Tendo olhos, não vedes? E, tendo ouvidos, não ouvis?" Por outras letras Ele disse: 'vocês estão vendo apenas com os olhos e ouvidos carnais, mas não com os olhos e ouvidos espirituais.' É como se o Senhor Jesus lhes estivesse ironizando: 'vocês não conseguem ver pelo espírito?'
A lei do pecado e da morte busca apenas a autossatisfação e o egoísmo, enquanto a lei do espírito da vida em Cristo Jesus busca apenas a glorificação de Cristo. É por esta mesma razão que as Escrituras afirmam que 'a carne é fraca, mas o espírito está sempre pronto'. Com o novo nascimento acontece um processo sobrenatural, o qual faz o homem ser transferido do domínio da lei do pecado e da morte, para a lei da vida em Cristo Jesus.
O grande engano que tortura até mesmo alguns nascidos do alto é não saber discernir que o novo nascimento foi tão somente no espírito que se achava corrompido pela natureza do pecado. A alma e o corpo físico não passam pelo novo nascimento instantaneamente. A alma será tratada ao longo da vida e o corpo será ressuscitado incorruptível na restauração final. Por esta razão é que muitos nascidos de novo passam por crises ao perceber que ainda persistem nele pensamentos e atos pecaminosos. Há uma profunda diferença entre o pecado que Jesus veio destruir na cruz, e os atos pecaminosos que vão sendo purificados pela vida de Cristo no regenerado. A lei da mente vai sendo renovada para a verdade pela operação do querer e do efetuar de Deus conforme Rm. 12:2 - "E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus."

Nenhum comentário: