domingo, 31 de agosto de 2008

A GRAÇA DO QUARTO ELEMENTO

Há sempre os que recebem a graça da eleição pela eleição da graça conforme Rm. 11:5 - "Assim, pois, também no tempo presente ficou um remanescente segundo a eleição da graça." A estes é dada a graça da dependência do "Quarto Elemento", o qual é invisível e imortal, estando sempre presente seja na alegria, seja na tristeza. Ele é o Cristo de Deus que está assentado nos lugares celestiais, e n'Ele, estão incluídos todos os que foram atraídos à cruz conforme Jo. 12: 32 e 33 - "E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. Isto dizia, significando de que modo havia de morrer." É promessa do próprio Cristo que estaria com os eleitos todos os dias até a consumação dos séculos. Esta graça só se recebe por misericordiosa graça determinada por Deus antes dos tempos eternos conforme II Ts. 1:9 - "... que nos salvou, e chamou com uma santa vocação, não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e a graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos eternos..."
O "Quarto Elemento" é o mistério de Deus oculto nos séculos conforme Rm. 16:25 - "Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar, segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio desde os tempos eternos..." Ele é o doador e a doação da graça plena, a qual destruiu a morte do homem em sua morte, trouxe a luz da vida e a imortalidade pelo evangelho da graça conforme II Tm. 1:10 - "... e que agora se manifestou pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, o qual destruiu a morte, e trouxe à luz a vida e a imortalidade pelo evangelho..."
O "Quarto Elemento" não é um fato circunstancial e circunstanciado pela vontade humana decaída, mas é uma realidade preordenada por Deus desde antes dos tempos eternos. Os religiosos agem invariavelmente pelas circunstâncias que os rodeiam e, por isso, sua falsa espiritualidade oscila como uma espécie de termômetro, ora esfuziantes e agradecidos, ora deprimidos, decepcionados e magoados com Deus. Recebem os benefícios da graça geral, mas não recebem o doador da mesma graça, porque Ele só se recebe por misericordiosa ação monérgica de Deus.
Dn. 3:23 a 26 - "E estes três, Sadraque, Mesaque e Abednego, caíram atados dentro da fornalha de fogo ardente. Então o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa; falou, e disse aos seus conselheiros: não lançamos nós dentro do fogo três homens atados? Responderam ao rei: é verdade, ó rei. Disse ele: eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e nenhum dano sofrem; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses. Então chegando-se Nabucodonosor à porta da fornalha de fogo ardente, falou, dizendo: Sadraque, Mesaque e Abednego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde! Logo Sadraque, Mesaque e Abednego saíram do meio do fogo."
A fornalha ardente é a imagem da queda do homem na condenação eterna e da sua redenção pelo "Quarto Elemento". Atado pelas cordas de amor de Deus é atraído em Cristo, para, na sua morte de cruz, perder a vida almática na purificação do fogo do cálice que o Senhor bebeu e, n'Ele, ganhar a luz da vida e a imortalidade perdidas na queda. Sem o "Quarto Elemento" nada disso é possível, pois o homem não é autosauvável.

Nenhum comentário: