domingo, 12 de julho de 2009

TEOLOGIA REFORMADA x TEOLOGIA DEFORMADA XVI


Jr. 7: 8 a 10 - "Eis que vós confiais em palavras falsas, que para nada vos aproveitam. Porventura furtareis, e matareis, e adulterareis, e jurareis falsamente, e queimareis incenso a Baal, e andareis após outros deuses que não conhecestes, e então vireis, e vos poreis diante de mim nesta casa, que se chama pelo meu nome, e direis: fomos libertados para fazermos todas estas abominações?" Deformar é um verbo transitivo direto que traz as seguintes significações: alterar a forma de; tornar desforme, deturpar, alterar, modificar. Enquanto verbo pronominal significa: perder a forma primitiva; alterar-se, modificar-se.
Todo o processo de deformação teológica começa, porque alguém confia em palavras falsas. Esta tendência em todos os tempos revela uma forte e continuada inclinação do homem religioso em transformar a pureza do evangelho em água suja; transformar o vinho puro em sangria ou ponche diluído. É como diluir o evangelho da verdade ás tradições e racionalizações humanistas. O homem que não tem a experiência de nascimento do alto se cansa rapidamente das verdades bíblicas, porque elas não o importantiza.  Para ele, tudo o que não o torna o centro das atenções e traz gratificação à sua alma contaminada pela natureza pecaminosa, não serve. Ele busca trocá-las pelas idéias e invenções próprias por meio de modismos evangelicalistas. Tais modismos são fórmulas mirabolantes engendradas para encher igrejas, não importando se os "fiéis" são incrédulos sem nenhuma experiência real de regeneração.
Por estas razões Deus inquire por meio do profeta: "Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, posto que não eram deuses? Todavia o meu povo trocou a sua Glória por aquilo que é de nenhum proveito." Jr. 2.11. Até os ditos pagãos eram mais fiéis aos seus falsos deuses do que o povo dito de Deus. Neste sentido é que Cristo pergunta naquela parábola: "... Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?" Mt. 16:26. Não há absolutamente nada que o homem possa fazer ou realizar para resgatar a sua alma do inferno. Esta é uma obra monérgica e soberana de Deus.
Sabe-se que os espelhos côncavos ou convexos deformam as imagens, semelhantemente as palavras falsas acerca de Deus e das Escrituras deformam a teologia. Os deformatas estão interessados em fixar os seus nomes nos anais da história, recebendo a glória dos homens ao invés de receber a glória de Deus. Estes religiosos, cujo velho homem não foi crucificado com Cristo e, por isso, também não ressuscitou juntamente com Ele, não podem suportar a verdade do evangelho. Esta verdade não é uma mera concepção, mas é uma pessoa, a saber, o próprio Cristo, segundo as suas palavras em Jo. 14:6. A natureza da macieira é invariavelmente produzir maçãs, semelhantemente a natureza pecaminosa produzirá invariavelmente atos pecaminosos. De maneira que, estes serão superados pela produção da santidade de Cristo, na medida em que aquela for aniquilada pela justificação n'Ele conforme Hb. 9:26.
II Tm. 4:3 - "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências." A sã doutrina, isto é, o verdadeiro evangelho não pode ser suportado por quem não recebeu graça para suportá-lo. Não há compatibilidade entre a natureza pecaminosa persistente no homem não regenerado e a sã doutrina. Por isso, amontoam doutores em divindades, mestres, e teólogos conforme os seus próprios desejos acerca do que querem que lhes seja por verdade. No sentido oposto, as Escrituras permanecem incólumes sempre e perpetuamente, porque elas se destinam aos eleitos de Deus, os quais recebem graça para crer conforme a multiforme sabedoria d'Ele. É neste sentido que o Senhor Deus mantém a Sua santa semente que o serve de geração em geração, produzindo a teologia sempre reformada, isto é, a teologia puramente fundamentada na Bíblia.

Nenhum comentário: