segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

O MEU JUSTO VIVERÁ DA FÉ

Hb. 10: 36 a 39 - "Porque necessitais de perseverança, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. Pois ainda em bem pouco tempo aquele que há de vir virá, e não tardará. Mas o meu justo viverá da fé; e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Nós, porém, não somos daqueles que recuam para a perdição, mas daqueles que crêem para a conservação da alma."
A perseverança dos santos é uma garantia que lhes é dada em diversas instâncias do evangelho da verdade. Na continuidade da formação da semelhança de Cristo nos eleitos e regenerados é que a vontade de Deus se revela. Deus possui apenas uma obra em relação aos seus eleitos conforme Jo. 6:29 - "Jesus lhes respondeu: a obra de Deus é esta: que creiais naquele que ele enviou." Assim fica evidente que a fé é a obra que antecede a toda e qualquer outra obra que alguém presume realizar como prerrogativa espiritual. É exigido, que, primeiramente se creia que Cristo é Deus e o Todo-Suficiente salvador dos pecadores eleitos antes dos tempos eternos. O homem natural sempre tenta se aproximar de Deus por meio das ofertas dos esforços e da justiça própria. Este foi o erro de Caim, quando apresentou a oferta do suor do seu rosto, a qual foi rejeitada por Deus, exatamente porque se originava da lei do esforço do ofertante contaminado pelo pecado. Outrossim, Deus aceitou a oferta de Abel fundamentada no reconhecimento da sua indignidade por conta do pecado, portanto, este se aproximou de Deus por meio do substituto, prefigurando o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Por esta razão Caim matou o irmão Abel, visto que o pecado não suporta ser preterido e rejeitado. Abel representa o pecador que achou a graça por meio de um substituto, Caim representa aquele que deseja produzir graça por si mesmo. No mundo prevalece esta doutrina caiminita, especialmente nos círculos religiosos.
O texto de Hebreus que abre esta instância é uma reafirmação da necessidade de os nascidos de Deus perseverarem na 'fé que de uma vez para sempre' receberam conforme o registro de Jd. 5. Após serem tratados pela vontade de Deus, receberão a recompensa de ver o Justo Filho de Deus restaurar todas as coisas e reinar eternamente com eles. O autor da missiva aos hebreus cita no texto retromencionado a passagem de Hc. 2: 3 e 4 - "Pois a visão é ainda para o tempo determinado, e até o fim falará, e não mentirá. Ainda que se demore, espera-o; porque certamente virá, não tardará. Eis o soberbo! A sua alma não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá." Estes versos estão em um contexto no qual o profeta está orando a Deus para livrar o povo de Israel do domínio iminente dos caldeus. Neste registro há o princípio da dupla referência profética: refere-se tanto ao rei dos caldeus como a personificação de Satanás, como também faz menção ao Messias, o Cristo, como o Justo que vive da fé. Enquanto os caldeus viviam pelo poder da força das suas armas e ajuntando riquezas depojadas dos vencidos, o Cristo de Deus vive pela fidelidade ao Pai Celestial. O soberbo é também uma referência dupla: ao Diabo e ao rei dos caldeus; o Justo é igualmente uma dupla referência: a Cristo e aos justificados n'Ele para a vida eterna. 
O Justo de Deus, que é Cristo, não retrocedeu no "Supremo Propósito" do Pai, semelhantemente os justificados n'Ele por inclusão em sua morte e ressurreição, perseverarão até o fim. Esta é, pois, a esperança da glória! A saber, a vida de Cristo nos nascidos do alto!
Assim, os eleitos e regenerados não são dos que recuam, porque estão firmes sobre a Rocha Eterna que é Cristo. Eles não estão firmados em si mesmos, pois caso fosse esta a premissa, dar-se-ia que Cristo veio em vão salvar alguém que poderia ser o autor da própria salvação. Onde Cristo está, os nascidos do alto estão espiritualmente conforme Ef. 2: 5 a 7 - "... estando nós ainda mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo, pela graça sois salvos, e nos ressuscitou juntamente com Ele, e com Ele nos fez assentar nas regiões celestes em Cristo Jesus, para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça, pela sua bondade para conosco em Cristo Jesus." Vê-se com meridiana clareza que tudo se resume na obra de Cristo e não em qualquer obra humana por esforços e justiças próprias. Os justificados em Cristo perseveram e não recuam, porque vivem da fé, isto é, a fé do Justo de Deus é a fé deles, porque se trata de uma obra inclusiva. Em nada são superiores a qualquer pecador. Entretanto, os seus nomes foram escritos no livro da vida do Cordeiro antes da fundação do mundo conforme Lc. 10:20b - "... alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus."  Aqueles cujos nomes não foram escritos no livro da vida de Cristo viverão do que veem e do que se pode obter por esforço, por isso, adorarão ao Diabo conforme Ap. 13: 8 - "... e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.
Sola Fide!
Sola Gratia!

Nenhum comentário: