sexta-feira, 12 de outubro de 2012

ANALFABETOS ESPIRITUAIS

II Tm. 3: 7 a 9 - "Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; sempre aprendendo, mas nunca podendo chegar ao pleno conhecimento da verdade. E assim como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesta a sua insensatez, como também o foi a daqueles."
No contexto geral do capítulo 3, o apóstolo Paulo está descrevendo as tipologias de homens em geral, e de religiosos, em particular. Situa-os em tempos posteriores ao que ele se achava inserido. Está, outrossim, doutrinando a Timóteo seu discípulo e pastor de uma das igrejas primitivas. O apóstolo conclui a sua assertiva inicial com a afirmação que abre este artigo. Ele se refere aos que andam anunciando um evangelho ambulante, isto é, domiciliar. Arregimentam mulheres desqualificadas espiritualmente, porque não experimentaram a justificação dos seus pecados e são movidas por toda sorte de desejos. Néscio é um adjetivo ou um substantivo que  indica pessoas  desprovidas de conhecimento, discernimento, estúpidas, inéptas e ignorantes. 
Na essência, o apóstolo está revelando pelo Espírito de Deus que há no seio da própria igreja, pessoas que estão sempre aprendendo, mas nunca podendo chegar a um ponto satisfatório de conhecimento da verdade. É notório que há profunda diferença entre aprender e apreender. O verbo aprender quer dizer adquirir conhecimento por meio de estudo, instruir-se, obter habilidade prática por meio de intuição, sensibilidade, exemplo observado. Já o verbo apreender expressa algo a mais, visto que é assimilar profundamente, internalizar, compreender, captar pelo espírito e tomar posse para si. 
Os religiosos a que alude Paulo, são da categoria dos que estão sempre procurando um conhecimento puramente intelectivo e de segunda mão. Estes apenas observam as tendências do momento ou o que é mais atrativo e embarcam nestes projetos cegamente. Em um momento estão convictos de um uma ação, em outro momento já estão convictos de outra ação. Assim, andam pulando de doutrina em doutrina, de ideia em ideia, porque os seus espírito estão corrompidos e não podem ter comunhão com Deus. Eles não passam por uma compreensão experimental e pessoal por meio do novo nascimento. Eles não recebem a revelação e a sabedoria que do alto vem, mas absorvem e reproduzem a sabedoria humana, que, segundo o apóstolo Tiago, é terrena, almática e diabólica. Nisto não há participação alguma do Espírito Santo. São meros reprodutores de modelos humanos e gnósticos.
Paulo compara estes falsos apóstolos a Janes e Jambres que foram os magos de Faraó rei do Egito, os quais operaram milagres diante de Moisés e Arão. O objetivo destes era demonstrar que os poderes de Deus não eram superiores aos poderes latentes das suas almas decaídas e dissociadas da verdade. Assim, ficou evidente no episódio das serpentes, que o homem pode também operar maravilhas tidas como milagres. Entretanto, a serpente transformada do cajado de Moisés, engoliu as serpentes produzidas por magia a partir dos poderes almáticos daqueles dois homens. A principal característica de uma pessoa que resiste a Deus é a reação diante da apresentação do evangelho bíblico. Quando elas tentam provar que a sua tese é verdadeira e não o que alguém está mostrando pelo evangelho são da categoria de Janes e Jambres, a saber, analfabetas espirituais. Tais pessoas são réprobas quanto a fé e não quanto a comportamentos e costumes. Podem até ser muito bem comportadas e cultivar bons costumes, mas estão longe da verdade.
O analfabeto espiritual é aquele que aprende por repetição os esquemas que satisfazem suas almas. Reproduzem modelos que os torna líderes, famosos e reconhecidos perante a religião institucionalizada. Estes falsos mestres não aprendem o conhecimento espiritual, porque não podem apreendê-lo, não é uma questão de incapacidade intelectiva. Eles não apreenderam o conhecimento do Altíssimo por meio de Cristo conforme Mt. 11: 29 - "Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas." Sem morrer com Cristo, a saber, tomar sobre si o jugo d'Ele, não se pode aprender a mansidão e a humildade que d'Ele procede. É exatamente este aprendizado espiritual que torna  os eleitos e regenerados semelhantes a Cristo, conferindo-lhes o descanso na graça. Enquanto as almas dos homens não apreendem de Cristo, não encontram o descanso e o refrigério prometidos por Ele.
O analfabeto espiritual é aquele que obtém apenas instrução religiosa, compreende e reproduz preceito sobre preceito, regra sobre regra. É um legalista inveterado que, não podendo alcançar a soberana graça de Deus, cria sistemas teológicos próprios para satisfação das suas próprias almas. São arrogantes como aqueles magos de Faraó que imaginam poder enfrentar o conhecimento do alto. Suas confianças estão firmadas em sua ignorância de Deus e na presunção de que são eles mesmos os promotores das suas salvações. Confiam em suas normas e regras para fazer reforma moral nos homens, e, mentido, os enganam com uma falsa promessa de salvação.
Jo. 14:26 - "Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito." Ajudador no texto original é "Parakleto", a saber, o ensinador vindo de Deus que permanece com os eleitos e os ensina a ganhar a vida de Cristo e adquirir a sua semelhança que é o projeto de Deus para os que elegeu e predestinou antes dos tempos eternos conforme Rm. 8:29 - "Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos."
Soli Deo Gloria"

Nenhum comentário: