terça-feira, 18 de setembro de 2012

CONSCIÊNCIAS CAUTERIZADAS

I Tm. 4: 1 a 5 - "Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada, proibindo o casamento, e ordenando a abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ações de graças pelos que são fiéis e que conhecem bem a verdade; pois todas as coisas criadas por Deus são boas, e nada deve ser rejeitado se é recebido com ações de graças; porque pela palavra de Deus e pela oração são santificadas."
Consciência é proveniente do vocábulo latino 'conscientia' que significa 'conhecimento', 'consciência' e 'senso íntimo'. Em termos mais amplos consciência é "sentimento ou conhecimento que permite ao ser humano vivenciar, experimentar ou compreender aspectos ou a totalidade de seu mundo interior. É o sentido ou a percepção que o ser humano possui do que é moralmente certo ou errado em atos e motivos individuais." 
O homem natural possui a mente cauterizada porque dá ouvidos a espíritos enganadores, crê e prega doutrinas de demônios, ou seja, de anjos caídos que se passam por espíritos iluminados. Homens com as consciência cauterizadas são apostatados da fé e não da religião. Eles permanecem dentro dos sistemas de crenças por meio de igrejas institucionais cuja religião é apenas ritual ou cerimonial. Eles preferem a hipocrisia dos que pregam mentiras e se apegam a atos exteriores, mas não se importam e não suportam a sã doutrina que é a Palavra de Deus. Reputam-na como lenda, como algo duvidoso e manipulado. São em geral pessoas bondosas e têm atitudes humanitárias, caridosas e muito preocupadas com o próximo. Porém, é exatamente isto que os afasta da verdade, pois se apoiam em uma espécie de auto-salvação, por meio de desempenho meritório e de justiça própria. Creem no que eles mesmos podem fazer e não no que Deus faz por eles.
O verbo cauterizar provém de cautério, que, por sua vez, provém do grego 'kauterion', a saber, "ferro vermelho ou em brasa para queimar". No latim provém de 'cauterium' que quer dizer ferro de cauterizar. Assim, a ideia do texto paulino a seu filho espiritual Timóteo é que os homens cujas mentes estão cauterizadas são aqueles que queimaram as suas próprias consciências cicatrizando-as contra o ensino da verdade. Eles substituem a verdade por um sistema que os satisfaça almaticamente. Em medicina cautério é o uso de nitrato de prata, neve carbônica e de bisturi elétrico para cicatrizar lesões e estancar sangramentos. O resultado deste processo químico ou físico é a formação de uma crosta endurecida sobre o local lesionado a fim de criar uma regeneração dos tecidos por baixo. Analogamente, o homem que dá ouvidos a doutrinas de demônios e fala mentiras, cria sobre a sua consciência uma barreira protetora que não permite a penetração de outra verdade, ou de outro ensino que não seja o seu próprio. A cauterização produz um tampão como casca de pereba sobre o local onde há uma chaga. A religião é esta casca e a chaga é o pecado.
A cauterização é o ato pelo qual o homem natural aplica cautério à sua consciência. Este processo é, em suma, o total desaparecimento, destruição e extinção de algo que causava uma falha. Neste processo, há uma perda de sensibilidade ou neutralização daquilo que incomodava. Neste ponto o ser humano natural, fica anestesiado por suas próprias doutrinas e justiças próprias. Ora, sabe-se, que, no sentido do ensino bíblico o que incomoda o homem é o pecado. Visto que pecado é incredulidade conforme Jo. 16:9 - "...do pecado, porque não creem em mim." Como o pecador não pode estabelecer uma comunhão direta com Deus, ele cria o sistema religioso por meio de intermediários, ou seja, demônios e espíritos enganadores para formar um corpo doutrinário bonito e sensível que o satisfaça a alma. Como tal sistema religioso não resolve definitivamente o seu problema pecaminoso, ele, então, se cauteriza por meio de preceitos cerimoniais e morais. Tenta aplacar a dor e o sofrimento espiritual aplicando cautério à sua mente. Neste sentido é que as suas consciências ficam cauterizadas, ou seja, insensíveis, anestesiadas, indiferentes e neutralizadas da verdade. Eles criam um sistema de verdade relativizadas com base em concepções. Entretanto, a verdade não é uma concepção, mas uma pessoa, a saber, Cristo conforme o registro de Jo. 14:6 - "Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." Observa-se, que, Jesus é o caminho, ou seja, o método de Deus, porque caminho significa método. Ele é a verdade e não uma verdade qualquer. Como também é a vida e não apenas vida almática e biológica. E finalmente o texto em comento mostra que ninguém vai a Deus se não for por Cristo. Então, qualquer proposta de burlar este processo é cauterizador e nada tem a ver com Deus e sua verdade.
Solus Christus!

Nenhum comentário: