terça-feira, 17 de julho de 2012

A DIFERENÇA ENTRE OS DONS ESPIRITUAIS E AS HABILIDADES ALMÁTICAS X

I Co. 12:9b - "... a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar."
Todos os demais dons espirituais tratados nos artigos anteriores constantes no texto de I Coríntios 12 aparecem no singular. O único dom que aparece no plural é o de curar. Talvez porque haja grande variedade de males, doenças e enfermidades. De acordo com as postulações medicinais, doença é uma alteração biológica do estado de saúde de um ser vivo, manifestada por um conjunto de sintomas perceptíveis ou não. Pode também, no sentido amplo e popular, significar debilidade psicológica ou mental. A doença é uma disfunção de um órgão, da psiquê, ou do organismo como um todo, podendo ter causas internas ou externas. Assim, a doença engloba a enfermidade, porque é mais abrangente e complexa. Entretanto, a doença difere da enfermidade, porque enquanto aquela é um conjunto de sintomas perceptíveis ou não, esta é uma debilidade, perda de forças ou uma compleição de fraqueza sempre perceptíveis. A enfermidade afeta a compleição física ou o biótipo do indivíduo, mesmo quando é de cunho psicológico, moral e temperamental. Vê-se, que, enquanto a doença é relacionada ao corpo físico, a enfermidade relaciona-se à alma. Então, uma pessoa enferma ou enfermiça é alguém que possui aspecto debilitado, fraco, mórbido, podendo ser originado em doença física ou mental. Segundo algumas pesquisas de entidades e pessoas ligadas à área da saúde, a maioria dos que procuram médicos e hospitais não possuem de fato uma doença, mas apenas uma enfermidade. Na linguagem coloquial e popular, doença e enfermidade são sinônimas, porém, em termos científicos há distinção entre elas.
Mt. 8: 16 e 17 - "Caída a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele com a sua palavra expulsou os espíritos, e curou todos os enfermos; para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças." Muitas pessoas associam as enfermidades à possessão por espíritos, mas nem sempre uma coisa está associada à outra. No episódio do texto acima, Jesus fez duas coisas distintas: expulsou os demônios com o poder da palavra e também curou enfermos e doentes. Também o texto cita a profecia de Isaías, indicando que o Cristo levaria sobre si as enfermidades e as doenças dos eleitos, mostrando que há distinção entre uma coisa e outra. De fato, tanto doenças, como enfermidades são consequências do pecado, a saber, do pecado original. Tal pecado é a incredulidade conforme Jesus confirma em Jo. 16:9c - "... do pecado, porque não creem em mim." Realmente a queda de Adão foi por incredulidade no que Deus havia afirmado: "...certamente morrerás." Adão creu no que o Diabo havia afirmado: "... é certo que não morrereis." Assim tem sido ao longo dos tempos, o homem não crê na Palavra de Deus como tal, mas apenas como um manual de regras morais, comportamentais e éticas. 
Mt. 4:23-24E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino, e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo. Assim a sua fama correu por toda a Síria; e trouxeram-lhe todos os que padeciam, acometidos de várias doenças e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos, e os paralíticos; e ele os curou.” Vê-se que pregação do evangelho, curas de doenças e enfermidades são ações distintas realizadas por Cristo. Doenças, tormentos, endemoninhados, lunáticos e paralíticos são categorias de males perfeitamente subordinados ao poder e autoridade de Deus. Desta forma pode-se dizer que a cura e a salvação veem invariavelmente de Deus conforme Jr. 17:14“Cura-me, ó Senhor, e serei curado; salva-me, e serei salvo; pois tu és o meu louvor."
At. 10:38b - "... o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com ele." Quanto às enfermidades resultantes da opressão diabólica é possível serem curadas pela fé dos que possuem os dons de curar. Obviamente que doenças, enfermidades, males, opressões, possessões não têm procedência de Deus. São resultantes da condição de decaídos ou de mortos espiritualmente.  Ex. 15:26 - "Dizendo: se ouvires atentamente a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, sobre ti não enviarei nenhuma das enfermidades que enviei sobre os egípcios; porque eu sou o Senhor que te sara." Deus, evidentemente, pode enviar e também pode desviar os males e enfermidades conforme a sua soberana vontade. Todavia, não procedem d'Ele estas coisas. A adoração verdadeira traz saúde, pois gera descanso à alma conforme Ex. 23:25 - "Servireis, pois, ao Senhor vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de vós as enfermidades." As promessas de bênçãos e livramento de enfermidades são feitas aos que se submetem aos ordenamentos divinos. Isto nada tem a ver com salvação, mas com fidelidade e proteção.
Na restauração final, os eleitos e regenerados, não mais sofrerão qualquer tipo de enfermidade ou doença conforme Ap. 21:4 - "Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas." É muito comum ouvir certos pregadores que mais se assemelham a vendedores ambulantes de curas, afirmarem que vão libertar alguém disso ou daquilo. Eles falam das enfermidades e doenças como sendo uma espécie de possessão demoníaca. Entretanto, em muitos casos, são resultantes da alma contaminada pelo pecado. Na verdade o Diabo, neste caso, é apenas o treinador, pois os males são criados pelo próprio homem. O inimigo apenas administra tais males, pois ele adquiriu o direito sobre o homem por causa do pecado.
III Jo. 2 - "Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai à tua alma." Na carta do apóstolo João ao seu discípulo Gaio há esta referência aos votos de saúde física e bem-estar da alma. Isto significa dizer que tanto, o corpo físico como a alma devem estar bem. Todavia os eleitos e regenerados não são imunes às doenças e enfermidades, porque ainda estão sujeitos ao corpo, que, por sua vez, é ainda influenciado pelo pecado. Na epístola de Paulo aos Romanos é possível verificar a partir do capítulo 4 que, o eleito e regenerado foi liberto da culpa do pecado, está sendo liberto da influência do pecado e será liberto da presença do pecado eternamente. É fundamental que se esclareça isto e se diga a verdade para diminuir o número de enganados e enganadores que atuam no mundo em nome de Jesus. Na verdade, Jesus não está nisto! Eles são absolutamente responsáveis por seus desatinos e mentiras religiosas.
Lc. 8:2 - "... bem como algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios." Vê-se claramente que Jesus curou algumas mulheres de espíritos malignos e de suas enfermidades. O texto, porém não liga os espíritos malignos às enfermidades. São coisas distintas e o "e" faz esta distinção gramatical.
Sola Scriptura!
Sola Gratia!
Sola Fides!
Solo Christus!
Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário: