quarta-feira, 29 de abril de 2015

O DIABO, VOSSO ADVERSÁRIO V

I Pd. 5: 8 a 11 - "Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão-se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer. A ele seja o domínio para todo o sempre. Amém."
No filme "O Advogado do Diabo" o personagem que faz o papel do Diabo, em um diálogo, afirma que ele é amigo do homem e deseja o seu bem. Afirma, ainda, que faz tudo para que o homem consiga o que quer, mas Deus é o verdadeiro inimigo do homem. Usa o jogo dos antagonismos no sentido de colocar na mente do homem que ele, o Diabo, é quem quer o bem da humanidade, mas Deus quer apenas se divertir sarcasticamente. Segundo a proposta do filme Deus é mau, porque dá ao homem o desejo e a liberdade de escolha, mas não lhe permite ter tudo o que deseja e escolhe. Ora, raciocinando por esta lógica, alguém é capaz mesmo de dar razão ao Diabo, dependendo se é ou não regenerado. Entretanto, o que o Diabo não diz é que as razões para Deus agir como age no Universo nada têm a ver com escolhas ou desejos humanos. Ele tem um propósito supremo e eterno e não muda em função do homem. Deus executa os seus desígnios apesar do homem e dos seus desejos e escolhas puramente naturais e condicionados à natureza pecaminosa e decaída. O homem imagina, erroneamente, que Deus age apenas em função da humanidade decaída. Não é verdade!
Na verdade Jesus, o Cristo deixa claro que, quem cogita das coisas do homem é Satanás conforme Mc. 8:33 - "Mas ele, virando-se olhando para seus discípulos, repreendeu a Pedro, dizendo: Para trás de mim, Satanás; porque não cuidas das coisas que são de Deus, mas sim das que são dos homens." Jesus não chamou Pedro de Satanás, mas o repreendeu, porque estava agindo à serviço dos interesses de Satanás. Obviamente, Satanás não tem qualquer interesse em tratar das coisas relativas ao supremo propósito de Deus. Ele cuida em satisfazer os desejos e escolhas naturais dos homens. Tais desejos e escolhas mantêm os homens escravos de si mesmos, a saber, das suas naturezas pecaminosas e decaídas. De fato, Deus em certo sentido age para humilhar o homem a fim de que este se veja a si mesmo como pecador e se reconheça incompetente para promover sua própria libertação. Satanás, ao contrário, age invariavelmente no sentido de satisfazer os caprichos e desejos do homem para mantê-lo escravo da natureza pecaminosa. Isto faz que o homem tenha alguma alegria passageira agora, mas seja humilhado eternamente em sua condenação.
Uma das maiores mentiras e enganos que Satanás incute na mente humana é que existe um "livre arbítrio". Para que algo ou alguém seja livre é necessário que se basta a si mesmo, ou seja, não dependa de nada, nem de ninguém. Ora, sabe-se que não existe efeito sem uma causa. Portanto, o homem nem é livre, nem é árbitro de si mesmo. O que o Diabo faz é enganar os sentidos do homem, confundindo-lhe com a noção de que escolhas naturais são escolhas livres e espirituais. Escolher, comer, beber, andar, fazer necessidades fisiológicas, se defender são apenas escolhas naturais e, portanto, colocadas no homem para sua sobrevivência no mundo. Tais escolhas em nada interferem na vida eterna do homem. Escolhas espirituais só são possíveis a quem não é escravo do pecado. Jesus, o Cristo indica isto claramente em Jo. 8: 32 a 34 - "... e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: somos descendentes de Abraão, e nunca fomos escravos de ninguém; como dizes tu: sereis livres? Replicou-lhes Jesus: em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado." Desta forma, o homem é, ao contrário, escravo do pecado e não possui "livre arbítrio" no sentido de fazer escolhas livres. O que realmente existe é o "servo arbítrio" e não o "livre arbítrio". Por esta razão, Deus não atende aos desejos e escolhas naturais contaminados do homem. Primeiramente, é necessário que o pecador seja libertado completa e definitivamente. Por isso, o Mestre afirma que, conhecendo a verdade, esta libertará o homem da escravidão do pecado. A vontade humana está escravizada à natureza pecaminosa que só se aniquila se for para a cruz e nela morrer na morte de Cristo. Obviamente, tudo isto se dá pela fé e não por atos ou atitudes. É Deus quem conduz o homem até a cruz conforme Jo. 6:44 - "Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia." Uma vez conduzidos até Cristo, este inclui o pecador em sua morte conforme Jo. 12: 32 e 33 - "E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. Isto dizia, significando de que modo havia de morrer."
II Pd. 2:4 - "... Porque se Deus não poupou a anjos quando pecaram, mas lançou-os no inferno, e os entregou aos abismos da escuridão, reservando-os para o juízo." Então, anjos que acompanharam a rebelião do Diabo foram expulsos e presos no Tártaro para aguardar o juízo final. O homem que não foi libertado da sua natureza pecaminosa está a serviço de Satanás, mesmo não tendo consciência disso. Jo. 13:2 - "Enquanto ceavam, tendo já o Diabo posto no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, que o traísse ..." Portanto, se o Diabo é um mito, como poderia ter entrado no coração de Judas para que traísse Jesus? Judas era um dos doze discípulos e andava com Jesus. Entretanto foi usado para um mau desígnio.
Mt. 12: 28 - "Mas, se é pelo Espírito de Deus que eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o reino de Deus." Desta forma, a expulsão de demônios dos corpos de algumas pessoas no tempo de Jesus, tais seres não são fictícios ou apenas lendas oriundas do ideário popular. São reais e estão espalhados entre os homens, conhecendo-lhes os feitos e os passos. Então, o que acontece é que o homem possui uma natureza contaminada pelo pecado. Isto dá a Satanás o controle sobre a mente humana. É como uma seleção de futebol, o treinador não joga, mas dá todas as instruções e arma toda a tática do jogo. 
Mc. 5: 1 a 13 - "Chegaram então ao outro lado do mar, à terra dos gerasenos. E, logo que Jesus saíra do barco, lhe veio ao encontro, dos sepulcros, um homem com espírito imundo, o qual tinha a sua morada nos sepulcros; e nem ainda com cadeias podia alguém prendê-lo; porque, tendo sido muitas vezes preso com grilhões e cadeias, as cadeias foram por ele feitas em pedaços, e os grilhões em migalhas; e ninguém o podia domar; e sempre, de dia e de noite, andava pelos sepulcros e pelos montes, gritando, e ferindo-se com pedras, vendo, pois, de longe a Jesus, correu e adorou-o; e, clamando com grande voz, disse: que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? conjuro-te por Deus que não me atormentes. Pois Jesus lhe dizia: sai desse homem, espírito imundo. E perguntou-lhe: qual é o teu nome? Respondeu-lhe ele: legião é o meu nome, porque somos muitos. E rogava-lhe muito que não os enviasse para fora da região. Ora, andava ali pastando no monte uma grande manada de porcos. Rogaram-lhe, pois, os demônios, dizendo: manda-nos para aqueles porcos, para que entremos neles. E ele lho permitiu. Saindo, então, os espíritos imundos, entraram nos porcos; e precipitou-se a manada, que era de uns dois mil, pelo despenhadeiro no mar, onde todos se afogaram." Observa-se que, os próprios demônios reconhecem que Jesus, o Cristo é o filho de Deus e que tem poder sobre eles. O homem em seu orgulho, não reconhece aquilo que até os demônios reconhecem. Cristo chamou o demônio incorporado no homem de espírito imundo, portanto estas manifestações mediúnicas não são espíritos de quem já morreu, mas de demônios que enganam os homens com curas, orientações, conselhos, etc. 
Solo Christo!

Nenhum comentário: