domingo, 2 de junho de 2013

SOBRE O FIM DOS TEMPOS XXXIX

Ap. 13: 1 a 10 - "Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade. Também vi uma de suas cabeças como se fora ferida de morte, mas a sua ferida mortal foi curada. Toda a Terra se maravilhou, seguindo a besta, e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela? Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias; e deu-se-lhe autoridade para atuar por quarenta e dois meses. E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e do seu tabernáculo e dos que habitam no céu. Também lhe foi permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua e nação. E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. Se alguém tem ouvidos, ouça. Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a perseverança e a fé dos santos."
O mar no texto apocalíptico representa as nações da Terra em estado de agitação. No final do capítulo doze se lê: "... e se pôs em pé sobre a areia do mar." Esta é uma referência ao Dragão, Serpente ou Satanás, logo conclui-se que, ele quem produziu e fez subir a besta do mar, a saber, um líder que comanda um conjunto de nações. A palavra grega koinê para besta é "thérion", a qual se traduz como "fera" ou "animal selvagem". Assim, é desta forma que Cristo vê o líder que emergirá dentre diversos povos e nações. Tal líder ou a Besta foi descrito como tendo sete cabeças, dez chifres e dez diademas e sobre tais cabeças, nomes de blasfêmia. As cabeças são países ou nações, os chifres indicam poder político-econômico, os diademas indicam autoridade político-diplomática. Neste ponto, a Besta recebe toda autoridade e capacidade de persuasão diretamente de Satanás. Trata-se de uma incorporação, pois Satanás necessita possuir um corpo para agir porque é um espírito. Isto é revelado pelo fato de a Besta ter os chifres e as cabeças que estavam sobre a cabeça do Dragão em Ap.12:3. Vê-se ainda que os diademas estão sobre os chifres e não sobre as cabeças. Isto indica que Satanás terá o controle dos governantes que se tornarão domínios humanos subordinados a ele.
O verso 3 revela uma simulação de ressurreição para enganar os povos da Terra. Esta cabeça ferida de morte, mas que voltou a viver é uma tentativa de imitar a morte e a ressurreição de Cristo. Desta forma, Satanás simulará para apresentar-se como o Messias dos judeus e o Salvador dos cristãos. Verifica-se que tal estratégia dará certo, porque toda a Terra se maravilhará e seguirá a Besta. Haverá adoração também ao Dragão, a saber, a Satanás que conferiu sua autoridade e poder à Besta. Os homens estarão tão sem referência e em meio a tantas enganações que darão crédito ao que se apresentar como o solucionador dos problemas econômicos e políticos. À Besta foi dada autoridade para falar blasfêmias contra Deus durante quarenta e dois meses, ou seja, três anos e meio. A arrogância de Satanás se virará contra o próprio Deus e todos os santos e anjos que habitam no céu. Ele desenvolverá uma teologia e uma religião universal cujo objetivo é anular qualquer crença em Deus e em Jesus, o Cristo. Por isto ele se apoderará de um homem que é chamado de Anticristo, não apenas por opor-se à Cristo, mas por tentar tomar o lugar d'Ele.
Foi concedido a Satanás por meio do seu aparelho humano, a Besta, que persiga e mate os santos que estão na Terra após o arrebatamento da Igreja. Também a ele foi conferida plena autoridade sobre todos os povos da Terra. Todos os habitantes da Terra, cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro adorarão à Besta. É importante notar que o Cordeiro não foi morto desde a fundação do mundo, mas os nomes dos eleitos de Deus é que foram escritos no livro da vida desde então. Portanto, a eleição e predestinação ensinado por Paulo em Rm. 8 e 9 são confirmadas neste texto escatológico.
O texto de abertura termina mostrando que, naquele tempo de guerra satânica, os cristãos morrerão e derramarão o próprio sangue. Eles não foram arrebatados, porque ainda não haviam sido convertidos, e, portanto, não tiveram participação na primeira ressurreição e no arrebatamento. Deles será exigida profunda perseverança, pois o Espírito Santo não deterá a ação de Satanás por meio do sistema da Besta. 
Maranata!

Nenhum comentário: