domingo, 27 de setembro de 2009

ESPÍRITOS ENGANADORES E RELIGIÕES ENGANADAS XIX


Ef. 2: 19 a 22 - "Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus; Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito." O texto indica que os eleitos e regenerados são edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, isto é, no ensino doutrinário pregado por eles. Jesus Cristo é a principal pedra da esquina, sendo esta uma analogia aos construtores de grandes estruturas da época, quando os edificadores encaixavam uma pedra em forma de cunha nos ângulos, a qual dava todo o equilíbrio à massa total do prédio. Retirando esta pedra angular, toda estrutura se desmoronava. Então é n'Ele, Cristo, que todo o edifício, ou seja, a Igreja devidamente ajustada, cresce para servir de templo santo no Senhor. Os eleitos e regenerados são partícipes neste edifício, sendo que o próprio Deus em Espírito neles habita.
A questão fundamental a ser colocada aqui e que se contrapõe à proposta escriturística do texto vertente é que as religiões institucionais optaram por um caminho de relevância com base na satisfação das necessidades e anseios do homem. Querem e buscam um conjunto de manifestações que possam atestar o poder, tanto espiritual, como temporal os quais coloquem a igreja em alto relevo. Querem retirar a igreja da obscuridade e da marginalidade a que foi submetida ao longo dos séculos a fim de torná-la notável, poderosa e importante. Neste sentido, buscam o método que toma por referência o homem, satisfazendo-lhe as carências e até mesmo os caprichos. Assim, permanece a idéia subjacente que pessoas satisfeitas permanecem na igreja e trazem outras pessoas a ela, criando aparência qualitativa, gerando recursos financeiros e tecnológicos, tornando assim estas igrejas importantizadas no contexto do mundo moderno. Mero engano que engana e dá bases aos enganadores! Estas igrejas são repletas de pessoas azedas, maledicentes, invejosas, contenciosas e cheias de veneno. Nelas não se vê o perfume de Cristo, mas o azedume da alma soberba.
Acontece que muitas das possíveis necessidades humanas são produzidas em seu inconsciente por meio de artifícios subliminares. Não são necessidades, mas apenas desejos. Por isso, o texto sagrado previne em Is. 55: 1 e 2 - "Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura." Enquanto Deus oferece a sua maravilhosa graça, os homens buscam satisfação almática.
Tomam desejo por necessidade e, com isso, as consideram legítimas apenas porque são sensoriais. Nunca se falou tanto em auto-estima, auto-confiança, auto-satisfação, felicidade, alegria, paz e vitória, como nos dias atuais. Há inumeráveis livros escritos para dar respostas a perguntas que jamais serão feitas. A necessidade de satisfação de desejos ou necessidades tem primazia sobre a necessidade de ser justificado da natureza pecaminosa. Não dão importância ao ato misericordioso da graça de Deus aceitando o pecador em Cristo, mas dão importância à cura, à vitória sobre questões financeiras, dentes de ouro, prosperidade, reconhecimento e consulta sobre assuntos do mundo.
Os meios de comunicação criam constantemente novas necessidades, gerando no subconsciente dos homens uma permanente insatisfação. Isto acontece para que se tornem presas fáceis às novas experiências de consumo. É este tipo de pessoas que vão buscar nas igrejas institucionais os mesmos estímulos e as mesmas respostas. Ingressam numa igreja sem evangelho, onde um Deus do tipo "resolve tudo" se inclina a eles para lhes satisfazer todas as suas exigências, sem extirpar-lhes a natureza pecaminosa. É uma religião sem justiça na cruz, sem pecado e sem inferno. Coitados! Morrerão em seus pecados conforme Jo. 8:24 - "Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados."
Nestes corações enganados pelos espíritos enganadores prevalecem os "cuidados deste mundo e a fascinação das riquezas."
A Cristo, pois glória e majestade eternamente!

Nenhum comentário: