domingo, 20 de setembro de 2009

ESPÍRITOS ENGANADORES E RELIGIÕES ENGANADAS XVI


II Pd. 1: 16 a 21 - "Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade. Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido. E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo; E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo." Não há dúvida alguma que persiste um profundo engano no seio das igrejas institucionais. Prevalece nas religiões humanizadas uma profunda secularização e uma indefectível humanização.
Entende-se por secularização a crescente utilização da tecnologia disponibilizada pelo presente século para obter resultados espirituais. Também, e por extensão de sentidos, a secularização é uma conformação do religioso aos padrões aceitos e praticados pela sociedade. Por humanização se pode entender a crescente centralidade no homem e suas carências e necessidades. Tais critérios estão substituindo as Escrituras que devem ser o norte do que é  chamado de espiritual.
O texto do apóstolo Pedro afirma com profunda solenidade que o conhecimento de Cristo é com base na experiência vivenciada e por meio da Palavra de Deus audível e escrita. É esta essencialidade que a igreja secularizada e humanizada perdeu. Tais igrejas dão mais valor ao culto exterior, à estética do templo, aos preceitos definidos pelos líderes das denominações religiosas. Cristo está do lado de fora destas igrejas, porque ele não atrai os interesses de uma sociedade corrupta, corruptível e corrompida.
O apóstolo doutrina sobre a necessidade de estar atento à palavra dos santos profetas e mostra que a Palavra de Deus não é de particular interpretação e que a profecia nunca foi produzida por homem algum. É esta doutrina que falta nas igrejas humanistas e humanizadas. Elas estão amplamente e profundamente arraigadas aos princípios estranhos ao evangelho da graça apresentado por Jesus, o Cristo. Neste ponto é que se tornam igrejas enganadas e verdadeiros serpentários de espíritos enganadores. Isto porque dão ouvidos às fábulas judaizantes, valorizam a lei e não a graça, dão ouvidos às falsas profecias baseadas na lógica humana. São cristãos sem Cristo, regenerados sem novo nascimento, igrejas sem comunhão.
A conjuntura religiosa da atualidade é muito favorável às influências de enganos, enganados e enganadores. Há uma profunda crise de identidade na igreja institucional, pois os grupos chamados tradicionais se dilaceraram em sub-grupos com doutrinas esdrúxulas; profunda decepção com o que se convencionou chamar de evangélico; ausência de líderes de notável saber bíblico com revelação do alto; extremo pessimismo em relação ao futuro dos crentes; grande crescimento numérico e quantitativo, mas profundo impacto negativo e qualitativo na vida dos religiosos; isolamento cultural, porque a erudição intelectual definiu a atual era como sendo pós-cristã; e substituição do ensino da sã doutrina pelas soluções políticas e metodológicas. Estão, portanto, combatendo o que é espiritual com armas humanas e materiais, nunca encontrarão a vitória verdadeira sem Cristo.
As perspectivas apresentadas não são bíblico-escriturísticas e a ministração do evangelho se transformou em ativismo e evangelicalismo barato. Entretanto, Deus está no comando, porque nada Lhe escapa no universo. A Ele, pois honra, glória e majestade em Cristo.

Um comentário:

eaffraga disse...

Damos graças pelo comando de Deus, pois o quadro é negro!!
Vivendo, ou melhor, morrendo na Lei (Porque pela Lei nenhuma carne se salvará), os grupos religiosos perdem o poder curador da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual fomos elevados à categoria de Filhos de Deus, e, conseqüentemente, irmãos de Cristo, não mais vil servidão!! Não vivemos mais movidos pelo medo, mas pelo amor!!!