sábado, 19 de setembro de 2015

SAI DELA, POVO MEU II

Ap. 18:4 - "Ouvi outra voz do céu dizer: sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas."
Considerando a aparente confusão no trato com os símbolos do estudo anterior se faz necessária uma recapitulação dos mesmos. A dificuldade com alguns textos ocorre devido ao caráter duplo da referência profética. Portanto, um mesmo símbolo pode significar diferentes pessoas por mais de uma vez no tempo, mas o sentido espiritual é sempre o mesmo. Desta forma simplifica-se assim:
a) A mulher vestida de púrpura e de escarlata é o símbolo de uma igreja falsa e satânica. É o oposto da mulher vestida do Sol que simboliza a verdadeira Igreja. É a oposição entre Deus Pai, o Filho e o Espírito Santo e do outro lado Satanás, o Anticristo e o Falso Profeta. Esta mulher está sentada sobre uma besta escarlate que possui sete cabeças e dez chifres. A besta é uma síntese do governo mundial desde os tempos passados até os últimos tempos, tendo como cabeça deste sistema, o próprio Satanás. O representante humano deste mesmo sistema é o Anticristo apoiado pelo Falso Profeta, a saber, o líder de um grande e poderoso sistema religioso. A mulher declarada como "Babilônia, a Grande" é um sistema eclesial fora da verdade do evangelho puro, porém altamente engajada e aceita pela sociedade.
b) As muitas águas sobre as quais a mulher está assentada é o seu domínio sobre muitos povos, multidões, nações e línguas conforme Ap. 17:15.
c) Prostituição em sentido espiritual é uma referência à adoração de ídolos, sejam eles de barro, de pedra, de metal, como também de pessoas mortas ou vivas. Recai em uma infidelidade à verdade disfarçada por meias verdades.
d) "Mistério: Babilônia" é uma referência àquilo que é hermético, ou seja, é conhecido apenas pelos iniciados. É uma forma de esoterismo religioso e místico. São práticas satânicas que apenas alguns conhecem em determinadas seitas e grupos secretos.
e) A besta é originalmente o Diabo, mas se expressa por um sistema político-econômico-religioso e também por uma pessoa, o Anticristo. 
f) As sete cabeças são sete impérios, sendo cinco já desaparecidos historicamente, mas existentes culturalmente. O sexto império dominava no tempo em que o texto foi revelado. Este sexto império, o Romano, ressurgirá no fim dos tempos formado por nações originalmente de cultura latina. Este sétimo império dará origem ao oitavo domínio ou o reino do Anticristo, o qual é uma das duas bestas de Ap. 13.
g) Os sete montes são outra referência aos sete impérios, sendo cinco já passados e um que ainda ressurgirá no final dos dias. O oitavo reino será o domínio do Diabo em pessoa e emergirá do sétimo domínio.
h) Os dez reis indicam governantes de nações poderosas e influentes que farão aliança com o Anticristo para lhe entregar o governo mundial.
A voz que vem do céu no capítulo dezoito de Apocalipse diz: "... sai dela povo meu..." É uma ordem imperativa aos eleitos e regenerados para sair do sistema político-econômico e religioso organizado e controlado pela falsa igreja denominada "Babilônia, a Grande". O poder religioso sempre esteve apoiado e apoiando-se sobre os governos e a economia. Mudou de localização geográfica ao longo da História, mas seus métodos são sempre os mesmos. Desta forma, o texto dá entender que surgirá uma grande cidade a qual receberá o nome de Babilônia e ocupará novamente o mesmo espaço geográfico da primeira Babilônia no Oriente Médio conforme Zc. 5: 5 a 11 - "Então saiu o anjo, que falava comigo, e me disse: levanta agora os teus olhos, e vê que é isto que sai. Eu perguntei: que é isto? Respondeu ele: isto é uma efa que sai. E disse mais: esta é a iniquidade em toda a Terra. E eis que foi levantada a tampa de chumbo, e uma mulher estava sentada no meio da efa. Prosseguiu o anjo: esta é a impiedade. E ele a lançou dentro da efa, e pôs sobre a boca desta o peso de chumbo. Então levantei os meus olhos e olhei, e eis que vinham avançando duas mulheres com o vento nas suas asas, pois tinham asas como as da cegonha; e levantaram a efa entre a terra e o céu. Perguntei ao anjo que falava comigo: para onde levam elas a efa? Respondeu-me ele: para lhe edificarem uma casa na terra de Sinar; e, quando a casa for preparada, a efa será colocada ali no seu lugar." Efa era um recipiente que servia para medir grãos e coisas a granel. A mulher sentada no meio da efa é uma igreja mundial que está mudando de localização. Terra de Sinar era outro nome para a região da Babilônia, o que hoje, corresponde ao Iraque.
O reino do Anticristo emergirá de uma síntese dos sete impérios já existentes no passado. É como se houvesse um apuramento da cultura mundial nos últimos tempos. Este será o oitavo rei e este tipo já apareceu uma vez com Antíoco Epifânio o qual invadiu Jerusalém e sacrificou um porco no altar do Templo de Salomão para afrontar os judeus. O Anticristo foi previsto em Dn. 8: 9 e 21 - "Ainda de um deles saiu um chifre pequeno, o qual cresceu muito para o sul, e para o oriente, e para a terra formosa;  Mas o bode peludo é o rei da Grécia; e o grande chifre que tinha entre os olhos é o primeiro rei." O bode peludo é uma referência a Alexandre, o Grande da Macedônia que conquistou o mundo civilizado da época. Após a morte prematura de Alexandre o seu império foi dividido entre quatro dos seus generais, cabendo a Antíoco Epifânio o domínio da Palestina, incluindo-se, Israel. Assim, o bode peludo é o império grego-macedônio e o chifre pequeno foi, no passado, Antíoco Epifânio, mas reaparecerá na pessoa do Anticristo. Jesus, o Cristo também afirma que o oitavo rei, a saber, o Anticristo voltará à Terra de Israel no fim dos tempos e fará a mesma coisa que fez Antíoco Epifânio conforme Mt. 24: 15 a 19 - "Quando, pois, virdes estar no lugar santo a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judeia fujam para os montes; quem estiver no eirado não desça para tirar as coisas de sua casa, e quem estiver no campo não volte atrás para apanhar a sua capa. Mas ai das que estiverem grávidas, e das que amamentarem naqueles dias!" O lugar santo é o Santo dos Santos no Templo de Jerusalém que, pelo tempo do fim será novamente reconstruído. A abominação desoladora será a tomada do templo pelo Anticristo que exigirá adoração como um "deus". Isto é ensinado também em II Ts. 2:4 - "... aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus." Sabe-se que, os judeus religiosos já possuem todo o material e os recursos para a reconstrução do Templo em Jerusalém. A única coisa que os impede, humana e espiritualmente, é a ocupação do local por duas mesquitas muçulmanas no Domo da Rocha.
Por estas razões a ordem de Deus é que o seu povo - eleito e regenerado - saia do ambiente da religião e se volte para a adoração em espírito e em verdade que é o culto racional.
Solo Christus!

2 comentários:

Lizandra Soave disse...

Hoje em dia na cultura pop é possível identificar referências sutis à Grande Meretriz, como por exemplo em uma animação infantil que fez muito sucesso em 2015, em que a vilã aparece todo o tempo de vermelho, idolatrada pelas crianças e pelos personagens amarelinhos. O contraponto à vila no filme é a rainha que atualmente é conhecida como "Solar Queen".

MENDIGO ENTRE MENDIGOS disse...

Interessante!
De fato o processo de aliciamento e preparo do inconsciente coletivo se dá, principalmente, pelo meio artístico. Isto se deve ao fato que as artes conseguem penetrar no mais íntimo dos lares e pegam as pessoas desprevenidas. No recinto do lar e em instituições religiosas as pessoas ficam mais desarmadas.
O sistema da grande meretriz é bruto e sutil, porém será inevitável a convergência disto tudo para o advento do Grande Rei e Senhor para restaurar todas as coisas.
Abraço