domingo, 10 de junho de 2012

A DIFERENÇA ENTRE OS DONS ESPIRITUAIS E AS HABILIDADES ALMÁTICAS V

 Rm. 12: 5 a 8 – "De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com zelo; o que usa de misericórdia, com alegria.
A partir de agora desenvolver-se-ão artigos sobre os três dons relativos à expressão e à fala. Iniciar-se-á pelo dom da profecia, o qual, talvez seja o mais procurado no seio das religiões designadas de carismáticas. Mesmo os religiosos tradicionais, por vezes, sentem-se atraídos a ouvir alguma predição sobre seus dramas pessoas e familiares. Alguns dos que criticam e se dizem contra tais manifestações de carismas, quando se veem diante de fatos indesejáveis, buscam ouvir alguma profecia. Na busca de alívio de fatos desconfortantes, diversas pessoas abrem mão de muitos dos seus supostos princípios a que se aferram por anos a fio. Basta a coisa apertar, que correm atrás de profetas, curandeiros e místicos a fim de  se  livrar do que os perturba ou prejudica.
A palavra profecia e suas cognatas no grego koinê pode ter diferentes significados, incluindo-se as adivinhações e vaticínios das crenças ditas pagãs. Assim, 'profetheia' é profecia no sentido de discurso emanado da inspiração divina, segundo Thayer. Há papiros antigos indicando até mesmo o preço que os profetas cobravam pelo ofício de prever o futuro. O vocábulo 'profetheio' ou 'eprofetheisa' encontrados na Septuaginta e nos papiros de Alexandria significam: "sou profeta e desempenho tais funções; profetizo, declaro a revelação divina por inspiração; adivinho." No sentido neotestamentário pleno o profeta é a pessoa que interpreta a vontade de Deus por meio de revelação, alguém que fala por inspiração, ou que movido pelo Espírito de Deus, torna-se um porta-voz ou órgão comunicador. É uma pessoa que declara, não o que pensa sobre um assunto, mas o  que recebeu por inspiração aquilo que se refere ao reino de Deus e à causa do evangelho da verdade para a salvação dos pecadores eleitos. A palavra profeta aparece até mesmo como sendo um poeta como é o caso de Tt. 1:12 - "Um dentre eles, seu próprio profeta, disse: os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, glutões preguiçosos." Estas palavras foram ditas por Epimênides, um poeta cretense, segundo informações de Clemente de Alexandria.
Segundo o apóstolo Paulo, o dom da profecia é superior ao dom de falar em outras línguas conforme I Co. 14:5 - "Ora, quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis, pois quem profetiza é maior do que aquele que fala em línguas, a não ser que também intercede para que a igreja receba edificação." E por que o dom de profecia é superior? Por que este se refere à pregação da Palavra de Deus, direta ou indiretamente, a qual pode despertar os pecadores eleitos conforme Rm. 10:17 - "Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo." Outro texto permite ver que o próprio dom do Espírito Santo é originado na pregação da Palavra de Deus conforme Gl. 3: 3 e 5 - "Só isto quero saber de vós: foi por obras da lei que recebestes o Espírito, ou pelo ouvir com fé? Sois vós tão insensatos? tendo começado pelo Espírito, é pela carne que agora acabareis? Aquele pois que vos dá o Espírito, e que opera milagres entre vós, acaso o faz pelas obras da lei, ou pelo ouvir com fé?."
É fundamental entender que o dom da profecia é concedido para determinadas finalidades conforme I Co. 14:3 e 4 - "Mas o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação. O que fala em língua edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja." Assim, fica evidente que, aquele que fala e ensina as Escrituras e as revelações que recebe de Deus pelo Espírito e no espírito, o faz para o crescimento da Igreja. Não se trata de uma espécie de guru para resolver problemas e fazer adivinhações como se vê por aí. Edificar significa construir, ou seja, despertar os eleitos para que conheçam ao Senhor Jesus, o Cristo. Exortação significa chamar atenção por meio de conselhos sábios das Escrituras e seus fundamentos para corrigir desvios e erros na vida dos eleitos. Consolar significa conformar os corações dos eleitos em meio às dores causadas pela influência do pecado no mundo. Tudo isto está na conformidade da doutrina da perseverança dos santos. Aos eleitos e regenerados não foi prometida perfeição e ausência de dificuldades nesta vida, contrariamente, foi dito que seriam odiados de todos por causa do nome de Jesus.
Há três sentidos para profecia nas Escrituras: 
a) As profecias veterotestamentárias como vaticínios ou previsões sobre o Messias. 
b) As profecias da transição entre a velha e a nova aliança como revelações para  a Igreja em formação. 
c) Profecias como anúncio da revelação e conhecimento de Deus à Igreja.
II Pd. 1: 19 a 21 - "E temos ainda mais firme a palavra profética à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma candeia que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça e a estrela da alva surja em vossos corações; sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo." Esta palavra profética a que alude Pedro é uma referência a tudo quanto havia sido anunciado pelos profetas antigos acerca da vinda do Messias e Salvador. Envolvia, não apenas, os sinais da sua vinda, mas também os seus feitos comprobatórios da sua messianidade. Mostra  que as profecias não são o resultado das interpretações e ilações dos homens, mas que procedem do coração de Deus. Os homens foram apenas utilizados como meio para comunicar a Palavra de Deus aos pecadores.
At. 21: 8 a 13 - "Partindo no dia seguinte, fomos a Cesaréia; e entrando em casa de Felipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. Tinha este quatro filhas virgens que profetizavam. Demorando-nos ali por muitos dias, desceu da Judéia um profeta, de nome Ágabo; e vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo e, ligando os seus próprios pés e mãos, disse: isto diz o Espírito Santo: assim os judeus ligarão em Jerusalém o homem a quem pertence esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios. Quando ouvimos isto, rogamos-lhe, tanto nós como os daquele lugar, que não subisse a Jerusalém. Então Paulo respondeu: que fazeis chorando e magoando-me o coração? Porque eu estou pronto não só a ser ligado, mas ainda a morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus." Neste episódio da profecia de Ágabo vê-se que se insere no caso dos profetas que viveram entre a velha e a nova dispensação. Observa-se que Felipe tinha filhas que profetizavam e nada disseram a Paulo sobre o que lhe sobreviria em Jerusalém. O profeta Ágabo fez uma dramatização sobre o iria acontecer a Paulo em Jerusalém, e, em seguida, disse, segundo ele, o que o Espírito Santo lhe falara sobre o assunto. Entretanto, é curioso que Paulo não mudou os seus planos sobre ir a Jerusalém e sobre tudo o que lhes fariam por causa da fé. Qual foi a utilidade desta profecia? As Escrituras dizem que os dons são dados para o que é útil. Profecia no sentido transicional entre a velha aliança e a nova aliança é o que Paulo revela acerca de Timóteo conforme I Tm. 1:18aI Tm. 4:14 - "Esta admoestação te dirijo, filho Timóteo, que segundo as profecias que houve acerca de te..não negligencies o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbítero."
O último sentido da profecia é ensino da vida de Cristo, revelação da verdade, conhecimento da natureza de Deus e edificação da Igreja inspirada aos nascidos do alto. Neste sentido acha-se registrado em Hb. 1:1 e 2“Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias a nós nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por quem fez também o mundo.” O que Deus tem para os seus filhos é Cristo. Não há nada fora de Cristo para os eleitos e regenerados. Desta forma, não lhes interessa viver à cata de predições, vaticínios e profecias que em nada revelam Cristo conforme Ap. 19:10b - "... que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia." Isto implica em que tudo o que foi profetizado acerca de Jesus, de fato, aconteceu. Agora não há mais necessidade de vaticinar acerca de Jesus, mas acerca do pecado, da justiça e do juízo a fim de despertar os pecadores eleitos conforme Jo. 16:8 a 11 - "E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais, e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado." É este o sentido mais profundo da profecia nestes tempos, pois o papel do Espírito Santo é o de convencer o pecador do seu pecado de incredulidade a fim de que os seus ouvidos sejam furados e as escamas dos seus olhos sejam retiradas. 
Sola Gratia!

Nenhum comentário: