domingo, 10 de maio de 2015

O DIABO, VOSSO ADVERSÁRIO VII

I Pd. 5: 8 a 11 - "Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer. A ele seja o domínio para todo o sempre. Amém."
Como já dito, as Escrituras falam muito pouco acerca da pessoa de Satanás. E o que dele se declara é mais sobre ações e projetos maléficos e suas consequências para o homem e o mundo. Desta forma, sequer sabe-se o nome deste anjo que foi um dos mais importantes na hierarquia celestial. Os dois textos mais específicos, embora não muito óbvios, sobre o Diabo são o de Ez. 28 e de Is. 14. Por confusões de tradução do hebraico para o latim, deram a ele o nome de Lúcifer, porém não se pode traduzir uma expressão adjetiva "portador de luz" pelo substantivo próprio "Lúcifer". Este descuido vem causando muitos males ainda hoje. A expressão hebraica de Is. 14:12 (הילל בן שחר) transliterada é "heilel ben shachar" e significa "estrela filha da alva". É uma referência à Estrela Matutina ou Estrela Vespertina que, em suma, é o planeta Vênus e não uma estrela de fato. Em uma época do ano este planeta aparece antes do amanhecer e em outra época ao anoitecer como um ponto muito luminoso no céu. O profeta usa da dupla referência profética, por analogia, tanto ao rei de Babilônia, como ao Diabo em sua queda e natureza conforme Is. 14: 12 a 14 - "Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! como foste lançado por terra tu que prostravas as nações! E tu dizias no teu coração: eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; subirei acima das alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo." Nos primeiros séculos da Igreja tal expressão não tinha nenhuma conotação com o Diabo. Tanto que havia um bispo da Sardenha chamado São Lúcifer e, ainda hoje há uma igreja dedicada a ele lá. Da mesma forma os profetas usavam a mesma expressão para se referir ao rei da Babilônia, Nabucodonosor e seus projetos soberbos de poder absoluto. Também em Ap. 22:16, o próprio Cristo se auto-identifica como a "resplandecente estrela da manhã": "Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã."
Os textos de Ez. 28 e de Is. 14 fazem dupla referência, ou seja, fazem lamento profético a dois reis - Ittiobalus ou Ittiobaal II de Tiro e Nabucodonosor de Babilônia. Porém, o sentido do texto passa a ser uma descrição dos atos de Satanás, na medida em que certos aspectos e lugares não se aplicam mais a um homem, mas a um ser espiritual. Este recurso utilizado pelos profetas é comum, pois demonstra o orgulho e a soberba satânica no comportamento de homens, indicando a natureza do pecado de Satanás que foi a iniquidade. Trata-se de um processo para dar a compreender os segredos do Diabo por meio do comportamento de pessoas e vice-versa. Ao final, o próprio rei Nabucodonosor veio contra o rei de Tiro em 587 a. C. e o destruiu. 
Tal recurso de desejo de endeusamento de homens foi demonstrado por Paulo  conforme At. 12: 20 a 23 - "Ora, Herodes estava muito irritado contra os de Tiro e de Sidom; mas estes, vindo de comum acordo ter com ele e obtendo a amizade de Blasto, camareiro do rei, pediam paz, porquanto o seu país se abastecia do país do rei. Num dia designado, Herodes, vestido de trajes reais, sentou-se no trono e dirigia-lhes a palavra. E o povo exclamava: é a voz de um deus, e não de um homem. No mesmo instante o anjo do Senhor o feriu, porque não deu glória a Deus; e, comido de vermes, expirou." O rei Herodes, em sua arrogância, odiava o sucesso dos reis de Tiro e de Sidom, mas os suportava porque necessitava manter comércio com estes. Vê-se que, o povo o considerou como "a voz de um deus" e ele se envaideceu disso, trazendo imediato castigo. Ora, sabe-se que a queda do anjo querubim foi pelas mesmas razões, ou seja, pelo desejou ser semelhante ao Altíssimo, ter um trono e um governo para si próprio no universo.
O que ocorre em muitas interpretações correntes dos textos de Ez. 28 e Is. 14 é uma espécie de desonestidade para se livrar de textos difíceis. Usam malabarismo simplistas para dar uma explicação teológica que nada tem de teológica. Dizem que se trata de um texto poético, entretanto, o recurso estilístico não anula o fato que continua sendo a Palavra de Deus. O fato é que os profetas sempre falavam de assuntos espirituais por meio de assuntos terrestres e contemporâneos para que o povo pudesse compreender o sentido profundo e espiritual da revelação. Isto se vê claramente nos salmos. Este é o princípio hermenêutico da dupla referência que, tanto se aplica ao tempo, como à pessoa objeto da profecia. Paulo usa este processo ao se referir ao anticristo conforme II Ts. 2: 3 e 4 - "Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição, aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus." O homem do pecado e filho da perdição é um homem, porém é ele o representante ou a expressão das pretensões do próprio Satanás no fim dos tempos. O profeta Daniel afirma que o anticristo estará na terra gloriosa, ou seja, na Palestina no fim dos tempos. Diz ainda que ele armará suas tendas nos mares conforme Dn. 11: 41 a 45 - "Entrará na terra gloriosa, e dezenas de milhares cairão; mas da sua mão escaparão estes: Edom e Moabe, e as primícias dos filhos de Amom. E estenderá a sua mão contra os países; e a terra do Egito não escapará. Apoderar-se-á dos tesouros de ouro e de prata, e de todas as coisas preciosas do Egito; os líbios e os etíopes o seguirão. Mas os rumores do oriente e do norte o espantarão; e ele sairá com grande furor, para destruir e extirpar a muitos. E armará as tendas do seu palácio entre o mar grande e o glorioso monte santo; contudo virá ao seu fim, e não haverá quem o socorra." Ora, o texto de Isaías 14 pode perfeitamente ter a primeira referência ao rei Ittiobalus, mas também ao anticristo do fim dos tempos, porque Tiro ficava numa ilha no Mar Mediterrâneo no que é hoje o Líbano. Mas, a atual cidade de Tiro  está em uma península e não mais numa ilha como foi no tempo dos profetas veterotestamentários. Por isso, Tiro fica entre o Mar Mediterrâneo chamado no passado de Mar Grande e o Monte Santo onde fica Jerusalém.
Ao ler o texto de Ez. 28 vê-se claramente que a descrição parte de um homem e termina descrevendo um ser que não pode ser um homem mortal. Fala que o tal "estava no Éden, jardim de Deus" e que "se cobria de todo tipo de pedras preciosas". Também o chama de "querubim ungido" e que estava no "monte santo de Deus." Também diz que o tal "nadava no meio das pedras de fogo." Estas expressões não se aplicam nem mesmo a Adão que esteve no Éden. O Éden onde esteve Adão era vegetal e não mineral. Portanto, nada destas descrições se aplicam ao rei de Tiro, ao rei Nabucodonosor e ao Anticristo. São formas de descrever a próprio Satanás por meio de figuras e pessoas terrenas.
Por último pode-se ver a tradução de II Pd. 1:19 - "E temos ainda mais firme a palavra profética à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma candeia que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça e a estrela da alva surja em vossos corações." Na versão em latim da Vulgata de São Jerônimo esta mesma passagem fica da seguinte maneira: "Et habemus firmiorem propheticum sermonem cui bene facitis adtendentes quasi lucernae lucenti in caliginoso loco donec dies inlucescat et lucifer oriatur in cordibus vestris." A expressão "estrela da alva" foi traduzida como lúcifer. Isto nada tem a ver com o nome do anjo caído, mas com uma expressão adjetiva que indica o conhecimento da verdade nos corações dos eleitos e regenerados. 
Solo Christos!

Nenhum comentário: