quarta-feira, 2 de maio de 2012

A DIFERENÇA ENTRE ADORAÇÃO E ATIVISMO

Jo. 4:23 e 24 - "Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade."
II Sm. 18:19 a 23 - "Então disse Aimaaz, filho de Zadoque: deixa-me correr, e anunciarei ao rei que o Senhor o vingou a mão e seus inimigos. Mas Joabe lhe disse: tu não serás hoje o portador das novas; outro dia as levarás, mas hoje não darás a nova, porque é morto o filho do rei. Disse, porém, Joabe ao cuchita: vai tu, e dize ao rei o que viste. O cuchita se inclinou diante de Joabe, e saiu correndo. Então prosseguiu Aimaaz, filho de Zadoque, e disse a Joabe: seja o que for, deixa-me também correr após o cuchita. Respondeu Joabe: para que agora correrias tu, meu filho, pois não receberias recompensa pelas novas? seja o que for, disse Aimaaz, correrei. Disse-lhe, pois, Joabe: corre. Então Aimaaz correu pelo caminho da planície, e passou adiante do cuchita."
Adoração é um substantivo derivado do verbo adorar, sendo este oriundo do latim 'adorare' e aquela de 'adorationis'. As significações são variadas, porque abrangem desde o sentido teológico até o sentido emocional. No contexto que hora se apresenta neste artigo pretende-se que seja o ato ou o efeito de adorar, orar ou pedir orando a uma divindade, que, neste caso, é o Deus único, soberano e verdadeiro. Muitos adoram apenas as relíquias de uma religião, tais como, a cruz, os restos mortais de um suposto santo, os objetos usados por alguém em vida, uma imagem ou um símbolo místico qualquer. Outros adoram pessoas vivas que supostamente mantêm uma relação com o divino e o sobrenatural. Outros ainda adoram lugares que supõem colocá-los em contato com o supranatural. Algumas religiões dizem que adoram somente a Deus, mas que veneram os santos e suas imagens e relíquias, entretanto, quando se consulta qualquer dicionário, os significados de adorar e venerar são sinônimos. 
O primeiro texto deixa bem claro que a adoração é um ato de natureza espiritual e não um ato religioso, exterior e ritualístico. No contexto Jesus travou um diálogo com uma mulher samaritana, a qual afirmava haver divergências entre gentios e judeus acerca do melhor local de adoração. Todavia, o Mestre disse-lhe que não era uma questão de lugar, mas de um exercício espiritual. Afirmou também que não é o adorador que procura a Deus para adorar a qualquer custo, mas que Ele procura os que adorem em espírito e em verdade. Deus é Espírito e, portanto, só se comunica com espírito com base na verdade que é o próprio Cristo conforme Jo. 14:6 - "Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim."
Adorar, portanto, não é um ato exterior e místico, mas uma comunicação espiritual, posto que entre o espírito no homem e o Espírito Santo de Deus. Tal comunicação se dá por intermédio de Cristo o Filho Unigênito e Primogênito que se assenta à destra do Pai. O homem, decaído ou mesmo redimido, não possui em si mesmo o 'munus' para comparecer diante de Deus para adorar, ou seja, orar pedindo, agradecendo, adorando. É absolutamente dependente da advogacia de Jesus, o Cristo conforme  I Jo. 2:1 - "...temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo." Também depende da tradução ou interpretação da sua adoração perante Deus feita pelo Espírito Santo conforme Rm. 8:26 - "...porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis."
Ativismo é um substantivo masculino que traz diversas significações, como por exemplo, o sentido filosófico: "...qualquer doutrina ou argumentação que privilegie a prática efetiva de transformação da realidade em detrimento da atividade exclusivamente especulativa, frequentemente subordinando sua concepção de verdade e de valor ao sucesso ou pelo menos à possibilidade de êxito na ação." Assim, o ativismo substitui a adoração que é de dependência plena da soberania de Deus, em ação para produzir os efeitos que se deseja. O ativismo não confia na transformação da realidade pelo poder pleno e gracioso de Deus, mas propõe à produção de uma verdade particular com base no esforço, no mérito e na justiça próprios. Visa os resultados que se desejam por meio da ação objetiva e prática, excluindo-se a fé. É o homem pelo próprio homem!
Um ser ativo é aquele que tem ação, que age e que exerce ação, estando neste caso, o foco no homem e não em Deus. Este foi o caso de Caim que apresentou a sua oferta com base no resultado do seu trabalho e esforço agrícola. Abel, ao contrário, apresentou a sua oferta com base no substituto sem a participação do seu esforço. Deus se agradou da oferta de Abel, porque ela estava na conformidade da fé, visto que ele se aproximou de Deus pela adoração substitutiva e não pela adoração ativista de si mesmo. O cordeiro oferecido por Abel era o protótipo do "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" e que havia sido "imolado antes da fundação do mundo" para expiar o pecado do homem. 
O segundo texto de abertura mostra dois mensageiros: o cuchita que foi escolhido e enviado pelo general Joabe a dar as notícias da guerra ao rei Davi, e o outro, Aimaaz, que se escolheu a si mesmo e saiu correndo desesperadamente para chegar primeiro, porém sem uma mensagem objetiva. Aimaaz estava mais interessado na ação de dar a notícia, do que no conhecimento da própria notícia a ser dada.  
Assim tem sido no campo da religião humanista: milhares de mensageiros apressados e sem mensagem para pregar. São ativistas que imaginam que, por empregar grandes esforços agradarão mais a Deus que os outros. Eles estão dispostos a longos auto-sacrifícios, penitências doloridas, entrega de tempo e dinheiro, esforços individuais e coletivos de ofertas, dízimos, orações, jejuns. Entretanto, a realidade do dia a dia mostra que os tais não diferem em nada dos demais homens portadores da natureza pecaminosa.
Tais ativistas desconhecem o ensino da verdade que mostra a necessidade de novo nascimento para serem aceitos por Deus em Espírito e em Verdade.
Sola Gratia!

Um comentário:

Valdenilson Moura disse...

Excelente diferenciação, parabens. O Senhor me mostrou seu texto para servir de apoio a uma mensagem que está sendo desenvolvida sobre este assunto.