domingo, 20 de setembro de 2015

SAI DELA, POVO MEU III

Ap. 18:4 - "Ouvi outra voz do céu dizer: sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas."
Está claro que o sistema mundial envolve política, economia e religião. Babilônia é uma metáfora que se utiliza dos conceitos, ideias e práticas de uma antiga civilização berço de mentira, engano e escuridão espiritual. Embora os significados se alteram com a evolução das línguas antigas para línguas modernas, entretanto, não se lhes pode retirar os primeiros significados. Desta forma sabe-se que o substantivo feminino babilônia provém do acadiano 'babil' que significa 'porta dos deuses'. A cidade de Babilônia foi a capital da Suméria e o seu primeiro rei foi Hamurábi cujo governo e administração muito influenciaram as civilizações ocidentais. Dentre os feitos deste rei apontam-se alguns, como, a criação do sistema de tempo com o dia de vinte e quatro horas e a hora de sessenta minutos. O tempo é um componente fundamental para o estabelecimento de muitos outros subsistemas, tais como cálculo matemático, comercial, bancário, financeiro, trabalhista, astronômico, agrícola, arquitetônico, etc. Após a passagem dos hebreus por Babilônia, em seu cativeiro de setenta anos, acrescentaram mais um significado à palavra babilônia como sendo "grande confusão". Isto se deve ao fato de o fundador desta cidade - Ninrode - construía uma torre para finalidades místicas e escusas, portanto, Deus confundiu a língua dos operários para dar fim ao projeto de rivalidade. Na atualidade a palavra babilônia significa: 'cidade grande edificada sem planejamento, confusão, falta de ordem'. 
O significado primitivo de Babilônia - 'porta dos deuses' - traz na essência, a ideia de contato com seres decaídos vindos do mundo espiritual. No passado qualquer ente ou ser não humano era tido como "deus" ou divindade. No início deste blog há quatro estudos sobre tais seres denominados Nephilim. Tais estudos acham-se na aba de janeiro de 2008. Desta forma não há dúvidas que são estes seres decaídos sob a liderança de Satanás que controlam invisivelmente o sistema mundial a fim de estabelecer o seu domínio total sobre a Terra. Este sempre foi o projeto do "deus" deste século cuja função é entenebrecer os entendimentos dos não regenerados conforme II Co. 4: 3 e 4 - "Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, é naqueles que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." E não se iluda, o fato de alguém estar em um sistema de crença, ainda que se intitula como cristão, não significa que seja nascido do alto. Uma das principais características da cegueira religiosa é a falta de aprofundamento na busca da verdade. Esta superficialidade se firma em manter-se preso a um sistema religioso sem testá-lo à luz das Escrituras. Todavia, os seus líderes, sabedores dessa possibilidade produzem muita literatura pretensamente esclarecendo os fundamentos da sua crença. Mostram de modo muito convincente que o seu sistema de crença é o verdadeiro. Por isso, muitos se satisfazem apenas com tais explicações epidérmicas e se acomodam. Por fim, com os anos de banco de igreja recebem uma dose tão elevada de lavagem cerebral que nada mais é capaz de penetrar em suas mentes e tudo que lhes é apresentado é rejeitado como inverídico e herético. Isto é explicado pelo apóstolo Paulo conforme I Tm. 4: 1 a 3 - "Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada, proibindo o casamento, e ordenando a abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ações de graças pelos que são fiéis e que conhecem bem a verdade." Vê-se que tal processo de cegueira envolve desde práticas dietéticas, passando por moralidade e indo até questões doutrinárias. Invertem completamente os decretos eternos de Deus e torcem suas ordenanças conforme os desejos dos seus corações. 
O texto neotestamentário previne os eleitos e regenerados acerca do comportamento do sistema "Babilônia, a Grande" conforme II Tm. 4: 3 e 4 - "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas." Ora, há grande diversidade de religiões, não apenas as tidas como cristãs, mas em todos os grandes sistemas de crenças. Logo, se todas reclamam a verdade como sendo sua, conclui-se que nenhuma está na verdade, pois a verdade é uma só. O fato é, que, o homem morto espiritualmente para Deus busca apenas gratificação para a alma. Por esta razão é que se sente bem em um sistema onde suas demandas morais, emocionais e legalistas são gratificadas. Tais religiosos são como bombas-relógio, pois as suas naturezas pecaminosas ficam contidas e retidas pelas imposições do sistema preceitual. Assim, eles se tornam subjugados ao jugo religioso, o qual nem eles mesmos creem espiritualmente. Agarram-se a estes expedientes cerimoniais regulados por preceitos a fim de apaziguar suas almas perturbadas pelos reclames das suas naturezas pecaminosas. Não percebem no texto sagrado a diferença entre natureza pecaminosa e atos pecaminosos. Não entendem que aquela é a causa e estes os seus efeitos. Tomam os efeitos como causa e a causa como os efeitos. 
Por esta razão a ordem do anjo é "... sai dela, povo meu..." Este mensageiro está obedecendo a ordem de Deus para que os eleitos abandonem o sistema da "Grande Meretriz" e dependam plenamente da Palavra d'Ele. A ordem é escatológica, entretanto, após a ascensão de Jesus, o Cristo deu-se início à contagem do tempo escatológico. Isto fica claro no texto de I Jo. 2:18 - "Filhinhos, esta é a última hora; e, conforme ouvistes que vem o anticristo, já muitos anticristos se têm levantado; por onde conhecemos que é a última hora." Fica evidente que, mesmo no primeiro século da Era Cristã, já havia dado início à última hora. Muitos imaginam que, quem prega esta verdade está errado, porque encoraja a saída de pessoas das igrejas. Porém, há duas coisas a serem consideradas: primeiro, nem toda agregação de pessoas em um templo físico é uma congregação ou igreja; segundo, a ordem é dada por Deus e não por qualquer homem. Deus é quem conhece tudo profunda e verdadeiramente!
Sai dela, povo meu!!!
Sola Scriptura!
Sola Gratia!
Sola Fides!
Solo Christus!
Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário: