sábado, 8 de agosto de 2015

PARA QUEM É A SALVAÇÃO? V

Jo. 10: 14 a 17 e 24 a 29 - "Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco; a essas também me importa conduzir, e elas ouvirão a minha voz; e haverá um rebanho e um pastor. Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar. Rodearam-no, pois, os judeus e lhe perguntavam: até quando nos deixarás perplexos? Se tu és o Cristo, dize-no-lo abertamente. Respondeu-lhes Jesus: já vo-lo disse, e não credes. As obras que eu faço em nome de meu Pai, essas dão testemunho de mim. Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.
A primeira conclusão simples a que se pode chegar sobre o universalismo da salvação é, se ela fosse para todos, a condenação eterna seria desnecessária. Visto que todos os homens seriam irrevogavelmente salvos pela obra de Cristo na cruz, o inferno, tal como popularmente pregado, não se justifica. Outra questão é, se Deus intentou em seu plano eterno salvar todos os homens, todos os homens deveriam ser salvos, porque os seus eternos decretos não podem ser contraditados. Desta forma, o argumento universalista cai por terra, posto que, muitos homens são, sabidamente, condenados à separação eterna conforme palavras do profeta Daniel em Dn. 12:2 - "E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.
A salvação é pela graça mediante a fé conforme Ef. 2: 8 a 10 - "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas." Graça, segundo Phillip Yancey, é Deus fazendo tudo por quem nada merece. Obviamente que, se entrasse qualquer traço de mérito humano, não seria graça, mas recompensa. Fé é simplesmente crer no que diz a palavra de Deus sem qualquer evidência ou sinal exterior. Portanto, graça e fé são operações sobrenaturais, não necessitando do concurso do homem, pois este se acha absolutamente contaminado pela natureza pecaminosa.
Outro erro doutrinário amplamente disseminado pelas religiões ditas cristãs é que o eleito e regenerado poderá perder a salvação. Este engodo é mantido, especialmente, em grupos que apelam para a emocionalidade e a moralidade. Entretanto, as Escrituras não ensinam tal falsa doutrina. Rm. 8: 33 a 39 - "Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica; Quem os condenará? Cristo Jesus é quem morreu, ou antes quem ressurgiu dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós; quem nos separará do amor de Cristo? a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." Ou seja, nem as angústias e provações experimentadas pelas pressões externas, nem as pressões internas da própria alma podem separar os eleitos e regenerados ao amor de Deus. 
I Ts. 4: 16 e 17 - "Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor." O mistério guardado nos séculos e revelado em Jesus, o Cristo é este: "... e os que morreram em Cristo..." Quando o homem caiu pelo pecado, o seu espírito se tornou morto para Deus, porque ele só se comunica com o espírito. Esta foi a primeira morte! Portanto, para matar a morte do homem é que Cristo se manifestou. Ele atraiu a todos os eleitos para a cruz conforme Jo. 12: 32 e 33 - "E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. Isto dizia, significando de que modo havia de morrer." É este o sentido de "morrer em Cristo". Após a destruição da condenação do pecado na cruz, Cristo ressuscitou, trazendo todos os eleitos em sua ressurreição conforme Cl. 3:1 - "Se, pois, fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus." Desta forma os eleitos e regenerados experimentam a morte da morte, na morte com Cristo. Este é o sentido de 'novo nascimento' que, no texto original é 'nascimento do alto" conforme Jo. 3: 3 - "Respondeu-lhe Jesus: em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus."
O texto de abertura não deixa qualquer dúvida que a morte inclusiva e substitutiva de Cristo na cruz foi para um grupo de pessoas em especial. Ele se identifica como o bom pastor. Ele fiz que conhece as suas ovelhas e não todas as ovelhas. Ele afirma que as suas ovelhas ouvem a sua voz e o segue. Ele deixa claro que dá a sua vida por estas ovelhas e não por todas as ovelhas. Jesus, o Cristo respondeu aos que o interrogavam, dizendo que ele era o Salvador, mas disse-lhes eles não podiam crer nele, porque não era das suas ovelhas. É Cristo quem dá a vida eterna que não permite que suas ovelhas pereçam e morram eternamente. É Cristo a garantia que ninguém pode arrebatar as suas ovelhas da sua mão. Ele reafirma que foi Deus quem deu as suas ovelhas para que fossem salvas e guardadas. Logo, onde está qualquer forma de concurso do homem pecador em sua salvação?
Sola Gratia!
Sola Fides!
Sola Scriptura!
Solo Christus!
Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário: