quarta-feira, 6 de maio de 2015

O DIABO, VOSSO ADVERSÁRIO VI

I Pd. 5: 8 a 11 - "Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer. A ele seja o domínio para todo o sempre. Amém."
O mundo sempre esteve dividido sobre a realidade de Satanás ou da existência de um ser maléfico. Há os que, crendo na sua existência acabam por exagerar tanto que lhe presta uma espécie de culto por antagonismo. Outra parcela nega a sua existência e ações, reputando-a à categoria de mito ou lenda. Na realidade nenhum desses extremos está correto. Uns erram por desconhecer a sua real origem, natureza, queda e ações. Outros erram por ignorá-lo deixando-o livre para atuar sem resistência. Obviamente, tal resistência, não se dá por rituais de exorcismos, mas pela fé conforme o texto de abertura ensina. A resistência consiste em estar firme na fé e não pela fé como se supõe comumente. Estar na fé é estar possuído pela fé de Deus e não exercitar-se em um conjunto de práticas, preceitos e atitudes para obter alguma forma de vitória sobre o mal. 
A confusão acerca da natureza de Satanás é tão grande que, mesmo entre aqueles que supostamente deveriam conhecer profundamente o assunto há graves discordâncias. A primeira evidência de erro é o abandono das Escrituras para adoção de teorias de base intelectivas, filosóficas ou religiosas a respeito de um assunto bíblico. Neste sentido, o homem cria um corolário de verdades próprias para explicar as coisas por uma lógica mais plausível ou aceitável.
Não há dúvidas que há um enorme mal moral atuante na humanidade e um mal degradante na própria natureza física. A origem de tudo isto é o próprio Diabo, pois é homicida e pai da mentira conforme Jo. 8:44 - "Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira." Desta forma fica claro que o homem que não crê à verdade possui filiação diabólica, porque o filho herda a natureza do pai. O homem não regenerado, ainda que religioso, satisfará invariavelmente os desejos do daquele que os contaminou com a natureza dele, a saber, a natureza pecaminosa. O pecado de Satanás, mesmo antes da queda, foi a incredulidade, porque nunca se firmou na verdade. Mesmo não havendo qualquer força determinante para tentá-lo a cair no pecado, ele ainda assim optou por não crer em Deus. O texto mostra que nele, no Diabo, não há verdade! Nem mesmo poderia haver, porque verdade não é uma concepção filosófico-religiosa, mas é uma pessoa, a saber, Cristo. O texto ainda esclarece que o pecado é o que a pessoa é e não necessariamente o que ela faz. O que a pessoa faz é consequência do que ela é e nunca ao contrário. Assim, fica evidente que o Diabo é mentiroso e o pai da mentira. Ora, se há um pai da mentira, há igualmente os filhos da mentira, os quais são os herdeiros legítimos deste pai.
Ef. 2:1 e2 - "Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência..." O homem após a queda pela mesma incredulidade do Diabo, ou seja, não crer na Palavra de Deus, tornou-se morto espiritualmente. A morte espiritual significa a perda da glória de Deus conforme Rm. 3:23 - " Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus." O andar nos delitos e pecados são os atos e atitudes contaminados pela natureza pecaminosa. O homem anda segundo o curso anormal do mundo, porque é sua natureza que está contaminada. Assim, o homem decaído é pecador porque possui natureza pecaminosa e não porque comete pecados e delitos. Tal ação inata e persistente é o resultado de ser guiado pelo "príncipe das potestades do ar." A palavra príncipe como inserida neste texto, não indica nobreza, mas indica que o Diabo é o principal dos demônios que habitam a atmosfera em torno da Terra. Os filhos da desobediência são filhos do Diabo. Eles não são pecadores porque desobedecem, mas desobedecem porque possuem naturezas pecaminosas. O texto de Efésios permite dizer que é do espaço sideral que Satanás opera seus feitos e efeitos nos seus filhos. No texto grego original diz: "archoon tees exoysias toy aeros" que significa: "príncipe das potestades do ar." Então, o Diabo exerce uma espécie de poder na própria ordem cósmica, portanto, além da ação maléfica na sociedade, também interfere no cosmo.
Ef. 6:12 - "...pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniquidade nas regiões celestes." Uma vez mais é reforçada a verdade sobre o fato de o Diabo estar reinando no espaço sideral e não no inferno de Dante Alighieri. Esta visão dantesca é o subproduto do ideário da igreja na Idade Média para meter medo nos homens incultos e sem acesso à verdade. Muitos religiosos travam uma luta com base no esforço da carne e do sangue, pois criam para si uma série de rituais de auto-sacrifício para vencer o mal. As Escrituras, entretanto, mostram que a luta não é contra a carne e o sangue, mas contra grupos de demônios que operam nos lugares celestiais, ou seja, no espaço sideral. Este é e sempre foi o problema da religião humana desprovida da verdade bíblica: transferir a solução do pecado para o esforço humano. 
A maioria dos religiosos desconhece que o Diabo foi derrotado na cruz conforme Jo. 12:31 - "Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo." O juízo deste mundo foi executado na cruz, quando Jesus, o Cristo morreu e incluiu os pecadores eleitos para serem regenerados. Isto fica evidente em Jo. 12: 32 e 33 - "E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. Isto dizia, significando de que modo havia de morrer." Então, Jesus, o Cristo está doutrinando com clareza que iria ser levantado na cruz para expulsão de Satanás. Por esta razão é que ele vive no espaço sideral ou regiões celestes. A justiça de Deus contra o pecado foi executada em seu próprio Filho Unigênito na cruz. Tal juízo abrange, tanto os homens pecadores que foram preordenados para crer, quanto o autor e controlador das suas naturezas pecaminosas. A morte de Cristo não foi um ato solitário e isolado, como uma mera demonstração teatral para o mundo. Foi um ato compartilhado e, portanto, um ato inclusivo dos pecadores eleitos para a aniquilação da culpa do pecado deles conforme Hb. 9:26 - "... doutra forma, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo; mas agora, na consumação dos séculos, uma vez por todas se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo." Claro, se a morte de Cristo não houvera sido suficiente, eficiente e eficaz teríamos um caso de embuste, pois de nada teria valido. Deus teria de punir o pecado a cada segundo para resolver o problema do pecado. Ele, com um único ato exerceu o juízo e fez a justiça eterna contra a culpa do pecado nos homens eleitos antes da fundação do mundo conforme Rm. 8:29 e 30 - "Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos; e aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou."
Desta forma o Diabo, adversário dos nascidos de Deus não pode nada contra eles, porque já foi julgado conforme Jo. 16:11 - "... e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado." Igualmente, o Diabo é apenas adversário e não controlador dos regenerados. Ele sequer pode tocá-los conforme I Jo. 5:18 e 19 - "Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca. Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno." Os nascidos de Deus têm a vida de Cristo e, por isso, o Diabo não lhes pode tocar, porque ele não pode tocar Cristo. Ele toca e controla os que estão no mundo e jazem nele. Isto não significa que os eleitos e regenerados sejam perfeitos e não cometam erros ou atos pecaminosos. Estão em processo de aperfeiçoamento e cometem atos pecaminosos sim. Entretanto, estes já foram aniquilados na cruz e não têm qualquer efeito sobre suas vidas espirituais. Podem até causar efeitos nas vidas terrenas, perante a justiça e o sistema humano, mas não na sua redenção. Por isso, é necessário acabar com estas crendices tolas que mais prestam culto e adoração ao Diabo que libertação plena dos seus feitos no mundo.
Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário: