sábado, 25 de abril de 2015

O DIABO, VOSSO ADVERSÁRIO IV

I Pd. 5: 8 a 10 - "Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer."
É fundamental fazer diferença entre Satanás e demônios. Satanás é o chefe dos demônios ou o maioral dos demônios. É o querubim decaído que foi expulso do Monte Santo de Deus. Os demônios são espíritos caídos que foram também anjos os quais participaram da rebelião do querubim protetor e portador da luz. Estes anjos caídos perderam todos os direitos e privilégios perante Deus. No texto sacro do Velho Testamento as palavras para demônios são "cecirim" e "syym", e por vezes, "sedim" as quais foram vertidas para o grego, na Septuaginta, como "daemonía" que é demônio em português.
Lv. 17:7 - "E nunca mais sacrificarão em seus sacrifícios aos demônios, após os quais prostituem; isto lhes ser-lhes-á por estatuto perpétuo nas suas gerações." A palavra utilizada para "demônios" por Moisés é "cecirim" que tem paralelo nas palavras "bodes peludos, hirsutos, animais horríveis". No texto bíblico, sempre que se refere a seres invisíveis e espirituais, usam-se os símiles animais de aspecto desagradável se se referir a anjos caídos. 
Sl. 96:5 - "Porque todos os deuses dos povos são demônios." Esta é uma afirmação bíblica para um fato óbvio, visto que há apenas um Deus Soberano e Eterno, qualquer outro ser que postula ser "deus" é falso e impostor. É uma espécie de antideus, porque quer estar no lugar de Deus, não o sendo. 
Sl. 106: 34 a 38 - "Serviram aos seus ídolos, que vieram a ser-lhes um laço; sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios; e derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e de suas filhas, que eles sacrificaram aos ídolos de Canaã; e a terra foi manchada com sangue." Neste texto aparece o termo "schedim" que também é designativo de demônios e de ídolos.
Dt. 32: 17 - "Ofereceram sacrifícios aos demônios, não a Deus, a deuses que não haviam conhecido, deuses novos que apareceram há pouco, aos quais os vossos pais não temeram." Esta é uma alusão ao fato que alguns israelitas, após a saída do Egito assimilaram diversos costumes religiosos dos povos por onde passaram. Esqueceram das recomendações divinas para que permanecessem em um culto monoteísta e puro. Sacrificavam a demônios como se deuses fossem. Este é um fato constatável mesmo nos dias atuais, quando muitos abandonaram a busca pela verdade no Cristianismo para aprofundar suas buscas pelo sobrenatural e o misterioso. Entretanto, encontram as profundezas de Satanás conforme Ap. 2: 24 - "Digo-vos, porém, a vós os demais que estão em Tiatira, a todos quantos não têm esta doutrina, e não conhecem as chamadas profundezas de Satanás, que outra carga vos não porei." É um texto escatológico para o tempo em que foi revelado a João, mas já acontecido e experimentado em muitas igrejas desde então. As tais profundezas de Satanás ocorrem com aqueles religiosos que presumem ou reivindicam para si experiências sobrenaturais de mistérios. É um tipo de experiência de busca interior pela verdade. Eles se põem na conta de pessoas especiais e únicas que conhecem alguma revelação hermética. Negam a graça do dom do Espírito, o qual concede os dons espirituais a todos os eleitos e regenerados. Os dons espirituais não são privilégios de alguns e Deus não concede dons para glorificar o homem, mas para a glória de Cristo.
Paulo doutrina aos cristãos que fujam da idolatria conforme I Co. 10:14 - "Portanto, meus amados, fugi da idolatria." e no verso 20 ele explica a razão dessa advertência: "... as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus." No grego do Novo Testamento, a palavra demônio é "daemonía". Para os gregos e os povos daquele tempo, um demônio era um espírito altamente sábio e inteligente que intermediava entre os homens mortais e os deuses. Portanto, era um ser de relevante valor e importância nos cultos não cristãos. Por esta razão é que Paulo chama Satanás de "deus deste século" conforme II Co. 4:4. Não que ele seja um "deus", mas, porque alguns homens o adoram como tal. A palavra grega "daemonía" traz a ideia de sabedoria, negando, portanto, a Cristo conforme I Co. 1: 23 e 24 - "... nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos, mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus." De fato, parece mesmo loucura que o verdadeiro Deus e a verdadeira sabedoria consiste em adorar e servir a um Deus que se deixou crucificar. Entretanto, esta é a verdadeira sabedoria de Deus, porque puniu o pecado em si mesmo para redimir os pecadores eleitos.
Os demônios conhecem a Cristo e sabem perfeitamente quem ele é conforme Mt. 8: 29 - "E eis que gritaram, dizendo: que temos nós contigo, Filho de Deus? Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo?" Então, fica evidente que os demônios,  não apenas sabem que é Jesus, o Cristo, como sabem qual será o destino final de si mesmos. Outro erro dessas religiões toscas pentecostais e neopentecostais é afirmar coisas que não conhecem. Quando são confrontados pelo texto bíblico, os seus agentes evocam uma revelação direta para não terem de dar nenhuma explicação. Eles falam muito em inferno e seus demônios. Alguns chegam a afirmar que foram levados ao inferno e que viram este ou aquele fulano lá. Ora, primeiro o lugar de habitação de Satanás e seus demônios ainda não é o lago de fogo e enxofre. Eles habitam a atmosfera em torno da órbita da Terra conforme Ef. 2:2 - "Em outro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência..." E nos versos 11 e 12 ajunta: "Revesti-vos da armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do Diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." Então, é evidente que potestades, principados, príncipes das trevas e hostes da maldade são categorias de demônios, ou seja, anjos caídos. O texto ainda informa que eles têm um chefe ou príncipe, o qual é Satanás. Eles estão no espaço sideral e não no inferno. Inferno provém do grego "inferos" e quer dizer lugares inferiores ou abismos. Ora, há abismos lotados de demônios que foram aprisionados até o dia do juízo nestes lugares inferiores. Entretanto, não é o inferno retratado pelas religiões com fogo e enxofre. Este inferno é revelado no Apocalipse e está sendo preparado para o Diabo e seus anjos. É o lago de fogo e enxofre, que representa a segunda morte, a saber, a condenação eterna. O correspondente ao inferno dos demônios que estão aprisionados é o Tártaro, onde estão as almas dos mortos aguardando o juízo final. Tanto inferno como tártaro são abismos ou profundezas da Terra. 
Soli Deo Gloria !!!

Nenhum comentário: