sábado, 18 de abril de 2015

O DIABO, VOSSO ADVERSÁRIO II

I Pd. 5: 8 a 10 - "Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão-se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer."
O Conselho Mundial de Ateus, os Racionalistas do Século XX e os espiritualistas, em geral, negam a existência de um ser diabólico tal como declarado nas Escrituras e no ideário religioso em geral. A maioria das pessoas considera-o apenas um mito emergido dos dramas existenciais do homem que, não tendo respostas e soluções ao mal moral, transferem a culpa dos infortúnios e mazelas humanas a um ente abstrato e invisível. É exatamente isto que o Diabo quer! Este é o legítimo satanismo, porque dá a ele a vantagem de permanecer anônimo e livre para fazer suas artimanhas. A negação ou a satirização do Diabo em nada influi na sua realidade. Agir de modo a ignorar a sua real existência é agir como a avestruz que, para se protege da tempestade, enfia a cabeça na areia e deixa o restante do corpo exposto às intempéries. Fechar os olhos à maldade e à realidade satânica, não livra o homem dos seus ardis. Ao contrário, torna a sua situação mais vulnerável e frágil.
Contrariamente à posição de alguns, as Escrituras mostram que Satanás é uma realidade e não uma ficção. Elas não o pintam de modo idealizado, mas tal como ele é, pois este não perdeu certas características pessoais pelo fato de ter sido expulso da presença de Deus. As Escrituras revelam que Deus criou por meio de Cristo todas as coisas, entre elas, seres espirituais inteligentes com funções específicas no Universo. Em Cl. 1:16 e 17 - diz: "... porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na Terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele subsistem todas as coisas." Desta forma foram criadas nove ordens de anjos com denominações e funções diferenciadas: anjos, arcanjos, tronos, dominações, potestades, querubins, serafins, principados (ao qual pertence o anjo Miguel) e Gabriel.
Jó 38: 4 a 7 - "Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da Terra? Faze-mo saber, se tens entendimento. Quem lhe fixou as medidas, se é que o sabes? ou quem a mediu com o cordel? Sobre que foram firmadas as suas bases, ou quem lhe assentou a pedra de esquina, quando juntas cantavam as estrelas da manhã, e todos os filhos de Deus bradavam de júbilo?" Neste texto, Deus indaga a Jó qual era conhecimento sobre o que ele fez no Universo. Ele se refere aos filhos de Deus que bradavam com júbilo as maravilhas da sua criação. Estes 'filhos de Deus' [b'nai haElohim] eram os seres espirituais, anjos querubins e arcanjos criados. São Jerônimo traduziu esta expressão comum no Velho Testamento como "anjos de Deus" ou "meus anjos." No Novo Testamento, "filhos de Deus" é uma referência aos eleitos e regenerados em Cristo Jesus pela inclusão deles na sua morte e ressurreição. Não se faz referência a outras criaturas como filhos de Deus, exceto a Jesus, o Cristo. Ele é, realmente, o único filho de Deus. Todos os redimidos foram feitos filhos de Deus por adoção por meio de Cristo conforme Jo. 1: 12 - "Mas, a todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus." São filhos de Deus apenas aqueles que foram aceitos por Cristo e o receberam por fé. Tanto a graça de recebê-lo como a fé para recebê-lo são dons de Deus e não méritos do homem como está registrado em Ef. 2: 8 e 9
Satanás não foi criado como um ser maléfico, mas como um anjo da ordem dos querubins conforme Ez. 28:14 - "Tu eras querubim ungido para proteger..." Esta expressão: "para proteger..." em seu original no hebraico é "que conduz..." A ele foi destinado o comando dos outros anjos e a exaltação da adoração e da glória a Deus. Ele não foi criado como um ser obscuro e maléfico, mas em função da liberdade de escolha que possuía deu lugar à iniquidade e caiu da sua posição original para a condição de anjo caído e condenado eternamente ao inferno.
As Escrituras revelam que há diversas e diferentes ordens e posição de anjos criados por Deus. São nove as categorias de anjos, como por exemplo: os anjos simples conforme I Pd. 3:22 - "... que está à destra de Deus, tendo subido ao céu; havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potestades." Há também as potestades, virtudes, principados e dominações conforme Ef. 1:21 - "... muito acima de todo principado, e autoridade, e poder, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro." Também foram criados os tronos conforme Cl. 1:16 - "... porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na Terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos." Embora a palavra tenha outro sentido, mas no texto bíblico se refere a uma ordem de seres espirituais criados por Deus e não a um lugar onde alguém se assenta. Ainda as Escrituras falam de querubins conforme Gn. 3:24 - "E havendo lançado fora o homem, pôs ao oriente do jardim do Éden os querubins..." Também são mencionados os serafins conforme Is. 6:2 - "Ao seu redor havia serafins; cada um tinha seis asas; com duas cobria o rosto, e com duas cobria os pés e com duas voava." As Escrituras falam também de um único ser espiritual chamado Miguel como sendo um anjo conforme Dn. 12: 1 - "Naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo." O arcanjo Miguel é mencionado também em Judas verso 9, em Ap. 12:7, em I Ts. 4:16. Finalmente as Escrituras falam no anjo Gabriel em Dn. 9: 21 a 23 - "... sim enquanto estava eu ainda falando na oração, o varão Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio voando rapidamente, e tocou-me à hora da oblação da tarde. Ele me instruiu, e falou comigo, dizendo: Daniel, vim agora para fazer-te sábio e entendido. No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, pois és muito amado; considera, pois, a palavra e entende a visão."
A ordem dos querubins, da qual o Diabo fazia parte antes da queda, estão intimamente relacionados ao trono de Deus, cabendo-lhes a adoração e o louvor à glória d'Ele. Sua função era a de organizador ou mobilizador de todos os outros anjos para comunicação dos decretos e ordens de Deus. Isto fica evidente no texto de Ezequiel 28, que usa a expressão "portador de luz". Isto não significa que ele emitia luz como um fenômeno luminoso, mas que ele detinha o conhecimento, as informações, as ordens e mandados para instruir os demais seres criados no Universo. 

Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário: