terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

AS GUERRAS INVISÍVEIS E A SOBERANIA DE DEUS

Dn. 10: 1 a 15 - "No ano terceiro de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome se chama Beltessazar, uma palavra verdadeira concernente a um grande conflito; e ele entendeu esta palavra, e teve entendimento da visão. Naqueles dias eu, Daniel, estava pranteando por três semanas inteiras. Nenhuma coisa desejável comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com unguento, até que se cumpriram as três semanas completas. No dia vinte e quatro do primeiro mês, estava eu à borda do grande rio, o Tigre; levantei os meus olhos, e olhei, e eis um homem vestido de linho e os seus lombos cingidos com ouro fino de Ufaz; o seu corpo era como o berilo, e o seu rosto como um relâmpago; os seus olhos eram como tochas de fogo, e os seus braços e os seus pés como o brilho de bronze polido; e a voz das suas palavras como a voz duma multidão. Ora, só eu, Daniel, vi aquela visão; pois os homens que estavam comigo não a viram: não obstante, caiu sobre eles um grande temor, e fugiram para se esconder. Fiquei pois eu só a contemplar a grande visão, e não ficou força em mim; desfigurou-se a feição do meu rosto, e não retive força alguma. Contudo, ouvi a voz das suas palavras; e, ouvindo o som das suas palavras, eu caí num profundo sono, com o rosto em terra. E eis que uma mão me tocou, e fez com que me levantasse, tremendo, sobre os meus joelhos e sobre as palmas das minhas mãos. E me disse: Daniel, homem muito amado, entende as palavras que te vou dizer, e levanta-te sobre os teus pés; pois agora te sou enviado. Ao falar ele comigo esta palavra, pus-me em pé tremendo. Então me disse: não temas, Daniel; porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras, e por causa das tuas palavras eu vim. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu o deixei ali com os reis da Pérsia. Agora vim, para fazer-te entender o que há de suceder ao teu povo nos derradeiros dias; pois a visão se refere a dias ainda distantes. Ao falar ele comigo estas palavras, abaixei o rosto para a terra e emudeci."
Profeta como indicado nos textos bíblicos é a pessoa a qual fala ou profere palavras em nome de Deus. Não é alguém que se coloca na perspectiva de interlocutor entre o homem e Deus, mas aquele a quem Deus ordena proclamar o que ele diz. No velho testamento era considerado falso profeta aquele que errasse uma única predição. Era apedrejado segundo a lei de Moisés, ainda que em mil predições acertasse novecentos e noventa e nove. Nos cultos pagãos, profeta era a pessoa que fazia previsões, proferia acontecimentos futuros ou se apresentava como intérprete dos 'deuses'. Neste caso, a profecia, tinha caráter adivinhatório e não como ensinado nas Escrituras. Hoje se vê muitos destes profetas que se fazem profetas por conta própria mentindo e engando.
O profeta Daniel viveu entre os séculos V e VI a. C. Ele estava entre os judeus levados cativos á Babilônia quando o rei Nabucodonosor invadiu Israel. Devido ao seu caráter, sua juventude e origem nobre, Daniel foi selecionado pelo rei para servir no palácio real, juntamente com outros três jovens hebreus. O nome Daniel provém do hebraico 'דָּנִיּאֵל' que significa 'Deus é meu juiz.' A ele foi dado um nome babilônico, o qual era Beltessazar. A profecia de Daniel narra os acontecimentos ligados às nações e o desenvolvimento dos fatos históricos até o fim dos tempos. Daniel foi uma das poucas pessoas elogiadas por Deus e morreu aos 72 anos. Atuou, segundo os propósitos de Deus, com sabedoria e diligência durante toda a vida.
O texto de abertura mostra Daniel no cativeiro babilônico no reinado de Ciro. Estava muito abatido pela demora na libertação do seu povo. Daniel se dirigiu às margens do rio Tigre para orar e confessar o seu pecado e o pecado do seu povo. Com ele estavam outros homens, porém não suportaram a revelação e fugiram. Daniel jejuou por três semanas e buscou entendimento de Deus sobre os acontecimentos. Após a sua oração olhou para o céu e viu um anjo ou mensageiro celeste vestido de roupas de linho cingido por ouro puro. O anjo foi descrito como tendo corpo como o berilo, o rosto resplandecia como um relâmpago, os braços e pés reluziam como bronze polido, os olhos como tochas de fogo e a voz como o som de uma multidão. Diante desta visão celestial, Daniel perdeu todas as suas forças físicas e caiu em sono profundo ao ouvir o som das suas palavras. Prostrado em terra desfalecido, ouviu a ordem do anjo para que se levantasse e ouvisse a mensagem de Deus. Trêmulo Daniel ouviu que era um homem mui amado e que suas orações haviam sido ouvidas por Deus desde o momento em que se colocou a orar e confessar.
A despeito do poder do mensageiro divino e da sublimidade da visão de Daniel foi relatada uma batalha invisível no espaço: "Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias..." Ora, sempre que uma mensagem faz referência à Satanás e seus demônios usa-se uma tipificação com algum dominador tirano terrestre. Desta forma, a referência ao 'príncipe do reino da Pérsia' não é uma referência ao rei Ciro, mas a um poder espiritual satânico que detinha o controle da Pérsia. Tal força espiritual do mal resistiu entre o mensageiro enviado e o profeta Daniel. Por causa desta interferência no mundo espiritual, um dos anjos mais poderosos na hierarquia celeste veio para ajudar. Muitos intérpretes afirmam que o anjo Gabriel é o responsável pela proteção e condução do povo judeu ou de Israel como nação. 
Assim, Daniel recebeu a revelação sobre os acontecimentos futuros acerca do povo judeu. Não era uma visão para aqueles dias e para atender aos desejos dos judeus de retornar à Jerusalém, mas para os últimos dias da história da Terra. O fato é que, embora o homem carnal não possa ver há movimento constante no mundo espiritual. Portanto, não devemos andar ansiosos ou amedrontados conforme ensinado em Mt. 28:20 "...e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.
Soli Deo Gloria!

Nenhum comentário: