quinta-feira, 4 de julho de 2013

SOBRE O FIM DOS TEMPOS L

Ap. 22: 1 a 21 - "E mostrou-me o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça, e de ambos os lados do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a cura das nações. Ali não haverá jamais maldição. Nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão, e verão a sua face; e nas suas frontes estará o seu nome. E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de luz de lâmpada nem de luz do Sol, porque o Senhor Deus os alumiará; e reinarão pelos séculos dos séculos. E disse-me: estas palavras são fiéis e verdadeiras; e o Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou o seu anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em breve hão de acontecer. Eis que cedo venho! Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro. Eu, João, sou o que ouvi e vi estas coisas. E quando as ouvi e vi, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava, para o adorar. Mas ele me disse: olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus. Disse-me ainda: não seles as palavras da profecia deste livro; porque próximo está o tempo. Quem é injusto, faça injustiça ainda: e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda. Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra. Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro, o princípio e o fim. Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes [no sangue do Cordeiro] para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira. Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã. E o Espírito e a noiva dizem: vem. E quem ouve, diga: vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida. Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro; e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro. Aquele que testifica estas coisas diz: certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus. A graça do Senhor Jesus seja com todos."
Neste último capítulo de Apocalipse é retratada a eternidade e como é viver em perfeição e em um lugar perfeito onde o mal jamais poderá penetrar. É descrito um rio de água da vida ladeado por árvores cujos frutos são produzidos em estação própria. Nas duas margens do rio da vida existem duas ruas: uma de um lado e outra do outro. Por isto Cristo se identifica como o caminho, a verdade e a vida em João capítulo quatorze verso seis. É do trono d'Ele que sai o rio, as árvores da vida e as ruas que permitem entrar e sair da cidade santa.
Os redimidos que tiveram suas vidas regeneradas pelo Cordeiro de Deus, participaram da primeira ressurreição e se tornaram imortais irão viver na Cidade Santa como reis e sacerdotes, os que estiverem na Terra só terão vida permanente se comerem do fruo da árvore da vida. Esta árvore nunca mais será plantada na Terra, por isso os reis da Terra levarão a honra e a glória das nações até o trono de Cristo na Nova Jerusalém. As folhas da árvore da vida servirá como o remédio para quaisquer males aos homens que viverem na Terra.
Aos eleitos e redimidos é dada a elevadíssima honra de contemplar a face de Deus e de Cristo. Em suas testas estará escrito o nome d'Ele, porque foram justificados n'Ele, por Ele e para Ele. Naquela cidade eterna não haverá noite e os seus portões jamais se fecharão. Embora apenas os imortais possam entrar e sair da Cidade Santa, os seus portões estarão sempre abertos, indicando que eles não são prisioneiros nela. Por isto o profeta Isaías indaga: "quem são estes que veem voando como nuvens, e como pombas ao seu pombal?" A luz da Santa Cidade emanará do próprio Deus, por isto é uma cidade luminosa e não iluminada, porque Ele mesmo estará ali. Nas Escrituras, a vida e o conhecimento sempre estão associados à luz. Ali será o centro de toda a luz do universo.
É dito neste capítulo que ninguém pode acrescentar ou retira qualquer palavra desta profecia. São as palavras dos últimos tempos, no último livro do Canon Sagrado. É dito também que, neste tempo quem é justo, ou seja, foi justificado em Cristo permanecerá assim eternamente, enquanto os injustos, ou injustificados também permanecerão assim eternamente. No tocante às coisas espirituais não haverá mais quaisquer alterações. Também é indicado o modo como Jesus, o Cristo voltará: 'sem demora'. Isto indica que Ele se manifestará visivelmente de forma muito rápida. Com ele estará a recompensa aos seus eleitos pelas obras de Deus executadas por eles.
O livro encerra afirmando a bem-aventurança dos que foram purificados pelo sangue de Cristo. Isto lhes dará a graça de acesso à árvore da vida e poderão distribuir os seus benefícios aos povos e nações que estarão na superfície terrestre. Por isto os eleitos e redimidos são reis e sacerdotes de Cristo eternamente conforme I Pd. 2:9 - "Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz." Também é dito neste capítulo que ficarão de fora da Cidade Eterna os cães, feiticeiros, adúlteros, homicidas, idólatras e todos os que amam e praticam a mentira. A maioria dos religiosos toma estes conceitos apenas como comportamentos morais. Entretanto, vão muito além disto, pois indicam o estado da natureza pecaminosa que não foi regenerada em Cristo, e não apenas os atos pecaminosos indicados por tais palavras. É, portanto, uma questão de princípio e não apenas comportamental.
Nos últimos versos Jesus se identifica novamente como a raiz e a geração de Davi e a resplandescente estrela da manhã. Esta é uma clara indicação da linhagem de Jesus, a saber, a casa de Jessé, pai do rei Davi. O Espírito Santo e a Igreja dizem: vem e aos que ouvem com sede e fome de justiça dizem: vem.
E, eu, mendigo entre tantos mendigos digo: ora, vem Senhor Jesus, o Cristo, o Grande Rei Eterno e Imortal.
Amém!

Nenhum comentário: