sexta-feira, 14 de junho de 2013

SOBRE O FIM DOS TEMPOS VIL

Ap. 16: 1 a 21 - "E ouvi, vinda do santuário, uma grande voz, que dizia aos sete anjos: ide e derramai sobre a Terra as sete taças, da ira de Deus. Então foi o primeiro e derramou a sua taça sobre a Terra; e apareceu uma chaga ruim e maligna nos homens que tinham o sinal da besta e que adoravam a sua imagem. O segundo anjo derramou a sua taça no mar, que se tornou em sangue como de um morto, e morreu todo ser vivente que estava no mar. O terceiro anjo derramou a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue. E ouvi o anjo das águas dizer: Justo és tu, que és e que eras, o Santo; porque julgaste estas coisas; porque derramaram o sangue de santos e de profetas, e tu lhes tens dado sangue a beber; eles o merecem. E ouvi uma voz do altar, que dizia: na verdade, ó Senhor Deus Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos. O quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grande calor; e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória. O quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, e o seu reino se fez tenebroso; e os homens mordiam de dor as suas línguas. E por causa das suas dores, e por causa das suas chagas, blasfemaram o Deus do céu; e não se arrependeram das suas obras. O sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do oriente. E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta, vi saírem três espíritos imundos, semelhantes a rãs. Pois são espíritos de demônios, que operam sinais; os quais vão ao encontro dos reis de todo o mundo, para os congregar para a batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso. (Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua nudez.) E eles os congregaram no lugar que em hebraico se chama Armagedom. O sétimo anjo derramou a sua taça no ar; e saiu uma grande voz do santuário, da parte do trono, dizendo: está feito. E houve relâmpagos e vozes e trovões; houve também um grande terremoto, qual nunca houvera desde que há homens sobre a terra, terremoto tão forte quão grande; e a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e Deus lembrou-se da grande Babilônia, para lhe dar o cálice do vinho do furor da sua ira. Todas ilhas fugiram, e os montes não mais se acharam. E sobre os homens caiu do céu uma grande saraivada, pedras quase do peso de um talento; e os homens blasfemaram de Deus por causa da praga da saraivada; porque a sua praga era mui grande."
Este capítulo traz como foco a batalha do Armagedom ou do Vale do Megido que se localiza no centro-norte de Israel. Quando Napoleão Bonaparte passou por este local disse: "que lugar ideal para manobrar tropas". De fato, será neste espaço geográfico que as tropas de Gogue farão suas manobras para o confronto final. Este confronto se estenderá por 250 km e o sangue chegará aos arredores de Jerusalém. Este dado é fornecido pelo texto do capítulo 15, pois se refere a 1.600 estádios.
O capítulo dezesseis descreve o derramamento das sete taças da cólera de Deus sobre o mundo. São os juízos finais sobre os homens incrédulos e seguidores do Dragão, da Besta e do Falso Profeta. São os mesmos fatos dos capítulos oito e nove do Apocalipse. Aqui aparecem mais alguns detalhes nos versos decimo segundo e decimo sexto. 
A primeira taça foi derramada sobre toda a Terra e os seus habitantes adoradores da Besta e que tinha a sua marca ficaram doentes de uma chaga maligna e perniciosas. Isto implica em feridas fétidas pelo corpo todo. A segunda taça foi derramada sobre as águas salgadas e estas se tornaram em sangue. Isto levou à mortandade dos seres viventes nos oceanos e mares. A terceira taça foi derramada sobre as águas doces. Neste caso, o anjo executor faz uma adoração e confissão da justiça deste flagelo, porque a Besta e seus seguidores derramaram o sangue de muitos santos e eleitos de Deus. Há o reconhecimento da retidão dos juízos de Deus diante do seu trono no céu. A quarta taça foi derramada sobre o Sol, determinando um superaquecimento que queimará os homens pelo calor abrasador. As pessoas se revoltarão e blasfemarão de Deus por causa deste flagelo. Isto prova que os condenados pelos juízos têm plena consciência que tudo provém de Deus. Mostra que os não eleitos não se arrependem, porque arrependimento e glorificação do nome de Deus é dado por graça d'Ele mesmo. A quinta taça foi derramada sobre o próprio domínio da Besta. É um juízo direto sobre o governo satânico e bestial e todos os seus auxiliares. Experimentarão os juízos diretos de Deus e o seu império será totalmente destruído, sendo-lhes infringido muito sofrimento e muta dor. 
A sexta taça derramada secará o rio Eufrates como sinal para os exércitos vindos pelo oriente possam se posicionar contra Israel. Paralelo a este fato Satanás, a Besta e o Falso Profeta liberarão espíritos imundos que percorrerão a Terra convocando os líderes e governos controlados pela Besta para a batalha final. Sabe-se que, para as tecnologias de guerra do mundo moderno um rio não é mais grande obstáculo. A questão do rio Eufrates secar está associada à liberação dos 200 milhões de espíritos malignos que sairão de lá para atormentar os homens por seis meses.
Finalmente a sétima taça foi derramada no ar atmosférico e houve grande manifestação de poder no trono de Deus. Ocorreu o maior terremoto da história da humanidade, fazendo profundas alterações no relevo terrestre. Caiu grande quantidade de meteoritos incandescentes sobre a Terra ateando fogo em tudo e em todos os lugares. Todas as cidades do mundo foram postas abaixo e Deus se lembrou de Babilônia. Ao que tudo indica Babilônia será o centro urbano do poder da Besta neste tempo. Alguns afirmam que esta Babilônia já foi Roma ao tempo do Império Romano e que voltará a ser o centro de decisões do Anticristo. É também comparada a Jerusalém conforme Ap. 11:13 - "E naquela hora houve um grande terremoto, e caiu a décima parte da cidade, e no terremoto foram mortos sete mil homens; e os demais ficaram atemorizados, e deram glória ao Deus do céu." Outros acreditam que a antiga cidade de Babilônia será reconstituída neste tempo. O ex-presidente Saddam Hussein do Iraque deu início à reconstrução da antiga Babilônia nos anos em que governou o país. A verdade é que só se poderá afirmar com certeza quando os fatos acontecerem concretamente.
Com a sétima taça derramada é afirmado no céu que "feito está." Isto indica o fim dos juízos e a preparação para a manifestação visível de Cristo no mundo para dar início aos mil anos de restaurações na Terra.
Maranata!

Nenhum comentário: