segunda-feira, 24 de junho de 2013

SOBRE O FIM DOS TEMPOS IIIL

Ap. 19: 1 a 21 - "Depois destas coisas, ouvi no céu como que uma grande voz de uma imensa multidão, que dizia: aleluia! A salvação e a glória e o poder pertencem ao nosso Deus; porque verdadeiros e justos são os seus juízos, pois julgou a grande prostituta, que havia corrompido a Terra com a sua prostituição, e das mãos dela vingou o sangue dos seus servos. E outra vez disseram: aleluia. E a fumaça dela sobe pelos séculos dos séculos. Então os vinte e quatro anciãos e os quatro seres viventes prostraram-se e adoraram a Deus que está assentado no trono, dizendo: amém. Aleluia! E saiu do trono uma voz, dizendo: louvai o nosso Deus, vós, todos os seus servos, e vós que o temeis, assim pequenos como grandes. Também ouvi uma voz como a de grande multidão, como a voz de muitas águas, e como a voz de fortes trovões, que dizia: aleluia! porque já reina o Senhor nosso Deus, o Todo-Poderoso. Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou, e foi-lhe permitido vestir-se de linho fino, resplandecente e puro; pois o linho fino são as obras justas dos santos. E disse-me: escreve: bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. Disse-me ainda: estas são as verdadeiras palavras de Deus. Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: olha, não faças tal: sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia. E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga a peleja com justiça. Os seus olhos eram como chama de fogo; sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus. Seguiam-no os exércitos que estão no céu, em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso. No manto, sobre a sua coxa tem escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores. E vi um anjo em pé no sol; e clamou com grande voz, dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: vinde, ajuntai-vos para a grande ceia de Deus, para comerdes carnes de reis, carnes de comandantes, carnes de poderosos, carnes de cavalos e dos que neles montavam, sim, carnes de todos os homens, livres e escravos, pequenos e grandes. E vi a besta, e os reis da Terra, e os seus exércitos reunidos para fazerem guerra àquele que estava montado no cavalo, e ao seu exército. E a besta foi presa, e com ela o falso profeta que fizera diante dela os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta e os que adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre. E os demais foram mortos pela espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo; e todas as aves se fartaram das carnes deles."
Neste capítulo, o foco é o Reino de Cristo sendo estabelecido na Terra. Vê-se uma grande alegria entre os imortais e todos os seres espirituais nos céus pela vitória de Cristo. A posse definitiva da propriedade que sempre foi de Cristo, porém usurpada por Satanás por causa do pecado. O sangue de todos os eleitos e regenerados foi vingado por Cristo. Há um enorme júbilo e culto de ações de graças nos céus. 
Nesta fase os exércitos reunidos no Vale do Megido é julgado e destruído pelos exércitos celestiais. Esta batalha é denominada de "batalha do Armagedom", porque o nome do monte desta região é Har Meggidon. A Primeira Besta ou Anticristo e a Segunda Besta ou Falso Profeta que enganava os que receberam a marca da besta, são lançados vivos no Geena, ou seja, no inferno. Satanás é amarrado e preso, permanecendo assim por mil anos. Ao fim deste milênio Satanás será solto novamente para o seu juízo final. Todos os demais que adoraram a besta, o falso profeta e o dragão que é Satanás serão destruídos. Permanecerão na Terra, os que ficarem vivos dentre os povos e nações que entrarem no milênia da restauração, os imortais que voltarem com Cristo e os cento e quarenta e quatro mil judeus que servem e acompanha o Cristo. 
As bodas do Cordeiro é uma referência ao encontro definitivo de Cristo com a sua Igreja na Terra, agora sem o mal. Haverá uma espécie de comemoração, quando novamente o Senhor Jesus, o Cristo partirá o pão e distribuirá o vinho aos seus eleitos e escolhidos. Cristo é chamado de Noivo e a Igreja de Noiva.  Dos versos onze a dezesseis mostra a abertura de um portal nos céus por onde Cristo e os imortais descerão para a Terra. Esta é, pois, a segunda vinda de Cristo. A primeira foi como Jesus, o homem histórico nascido de mulher e sofrido conforme mostra Isaías capítulos cinquenta e três e cinquenta e quatro. O encontro da Igreja arrebatada se dá nos ares, ou seja, fora da Terra. A segunda vinda visível de Cristo será em seu poder e glória total e triunfante. 
Maranata!

Nenhum comentário: