sexta-feira, 31 de maio de 2013

SOBRE O FIM DOS TEMPOS XXXVIII

Ap. 12: 1 a 18 - "E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estando grávida, gritava com as dores do parto, sofrendo tormentos para dar à luz. Viu-se também outro sinal no céu: eis um grande dragão vermelho que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas; a sua cauda levava após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que estava para dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe devorasse o filho. E deu à luz um filho, um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono. E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias. Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam, mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou no céu. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele. Então, ouvi uma grande voz no céu, que dizia: agora é chegada a salvação, e o poder, e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo; porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte. Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Mas ai da terra e do mar! porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta. Quando o dragão se viu precipitado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão. E foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente. E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para fazer que ela fosse arrebatada pela corrente. A terra, porém acudiu à mulher; e a terra abriu a boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca. E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus. E o dragão parou sobre a areia do mar."
Após os sete selos e as sete trombetas e antes da descrição específica das sete taças, ocorre uma visão de grande significação para a Igreja. Este texto está diretamente relacionado à ressurreição dos mortos e ao arrebatamento da Igreja. O grande sinal mencionado por João, não se refere a um símbolo propriamente, mas a uma grandiosa e esplendente revelação sobre o arrebatamento. Tal revelação ocorre no firmamento, pois a mulher tem a Lua debaixo dos pés. Mulher no Apocalipse se refere à Igreja, podendo ser a verdadeira ou a falsa. Neste texto é uma referência à Igreja verdadeira, porque a mulher se acha revestida do Sol, a saber, da luz. Também está grávida e possui doze estrelas na sua cabeça, indicando os doze apóstolos e a sua realeza divina. O Filho varão que a mulher dá à luz, a saber, a Igreja que está na Terra. A Igreja é identificada como a um filho varão, porque o filho homem era o herdeiro, semelhantemente, a Igreja é formada por herdeiros do Reino. Este filho foi arrebatado para Deus, pois, enquanto a mulher representa um grande grupo de cristãos, o filho varão representa uma parte deste grupo que será arrebatada para Deus. A Igreja fiel não passará pela grande tribulação, mas a parte da Igreja que ficar na Terra passará pela tribulação. Todos os santos deste período que ficarem ou que forem convertidos serão perseguidos e mortos pelo Anticristo, executor da vontade de Satanás.
Neste ponto da história sagrada, Satanás fará de tudo para impedir o arrebatamento, pois os santos serão os ministradores dos juízos contra ele e seu reino na Terra. Por esta razão João vê outro sinal no céu: um grande dragão vermelho com sete cabeças e dez chifres. Dragão sempre foi o símbolo de Satanás, o vermelho, no texto grego é "purros", ou seja cor de fogo. As sete cabeças representam a totalidade dos reinos e eras do domínio de Satanás. Chifres nos textos bíblicos indicam poder de governo ou de comando. No caso, os dez chifres são dez governantes submissos ao sistema de Satanás no mundo. Segundo a profecia de Daniel, tais governos serão nações que se originaram do Império Romano. Assim, o império romano renascerá no fim dos tempos. Os chifres estão ligados às sete cabeças, mas os dez chifres estarão na sétima cabeça, ou seja, no governo do Anticristo. O papel do dragão vermelho e cheio de chifres é devorar o filho varão da mulher que deu a luz. Isto implica em que Satanás se porá entre o primeiro e o terceiro céu, tentando impedir a subida da Igreja arrebatada. Todavia, o arcanjo Miguel se levantará para batalhar e o Dragão será lançado sobre a Terra. Uma vez na Terra e a terça parte dos anjos que caíram com ele em sua rebelião, iniciará uma terrível perseguição contra a Igreja que ficar na Terra. Isto ocorrerá por três anos e meio representados pelos mil duzentos e sessenta dias. A Igreja da tribulação será sustentada por este período.
Imediatamente a derrota e expulsão de Satanás, a vitória de Cristo é proclamada no céu. Isto incitará a ira do Diabo contra os descendentes da mulher, ou seja, a igreja que não foi arrebatada. Ao que tudo indica, o Espírito Santo, não mais resistirá aos ataques do Maligno. Portanto, todos que professarem o cristianismo serão mortos, tanto judeus quanto gentios. A base para a afirmação que não haverá mais resistência pelo Espírito Santo está em II Ts. 2:6 e 7 - "E agora vós sabeis o que o detém para que a seu próprio tempo seja revelado. Pois o mistério da iniquidade já opera; somente há um que agora o detém até que seja posto fora." Esta ação será realizada por meio do Anticristo e seus governantes leais.
Maranata!

Nenhum comentário: