domingo, 5 de maio de 2013

SOBRE O FIM DOS TEMPOS XXXI

Ap. 7: 1 a 17 - "Depois disto vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da Terra, retendo os quatro ventos da Terra, para que nenhum vento soprasse sobre a Terra, nem sobre o mar, nem contra árvore alguma. E vi outro anjo subir do lado do sol nascente, tendo o selo do Deus vivo; e clamou com grande voz aos quatro anjos, quem fora dado que danificassem a Terra e o mar, dizendo: não danifiques a Terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos na sua fronte os servos do nosso Deus. E ouvi o número dos que foram assinalados com o selo, cento e quarenta e quatro mil de todas as tribos dos filhos de Israel: da tribo de Judá havia doze mil assinalados; da tribo de Rúben, doze mil; da tribo de Gade, doze mil; da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Naftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil; da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil; da tribo de Zabulom, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim, doze mil assinalados. Depois destas coisas olhei, e eis uma grande multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, que estavam em pé diante do trono e em presença do Cordeiro, trajando compridas vestes brancas, e com palmas nas mãos; e clamavam com grande voz: salvação ao nosso Deus, que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro. E todos os anjos estavam em pé ao redor do trono e dos anciãos e dos quatro seres viventes, e prostraram-se diante do trono sobre seus rostos, e adoraram a Deus, dizendo: amém. Louvor, e glória, e sabedoria, e ações de graças, e honra, e poder, e força ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém. E um dos anciãos me perguntou: estes que trajam as compridas vestes brancas, quem são eles e donde vieram? Respondi-lhe: meu Senhor, tu sabes. Disse-me ele: estes são os que vêm da grande tribulação, e levaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que está assentado sobre o trono estenderá o seu tabernáculo sobre eles. Nunca mais terão fome, nunca mais terão sede; nem cairá sobre eles o sol, nem calor algum; porque o Cordeiro que está no meio, diante do trono, os apascentará e os conduzirá às fontes das águas da vida; e Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima."
No capítulo seis foram abertos seis selos disparando cada um deles uma série de acontecimentos. Portanto, ainda falta abrir o sétimo e último selo. Todavia, no capítulo sete não são abertos selos. O que ocorre neste capítulo é um procedimento relacionado à preparação da Terra para o início dos juízos contra os povos e nações e da grande tribulação dos santificados. Sabe-se que o número quatro em escatologia sempre se refere à Terra. Os quatro anjos foram colocados nos quatro pontos cardeais do planeta cuja função será a de controlar os quatro ventos, desestabilizar a terra firme, os oceanos e mares, bem como a vegetação. Um quinto anjo poderoso e forte surge para executar uma outra tarefa antes dos juízos sobre a natureza. A função dele é selar ou marcar alguns israelitas das doze tribos de Israel. Serão marcados doze mil judeus de cada uma das doze tribos de Israel que serão protegidos de qualquer mal. Os nomes hebraicos quase sempre trazem significados. Tomando os nomes das tribos de Israel, listadas no Apocalipse e seus significados, pode-se obter um acrônimo muito interessante:
- Judá: confissão, louvor a Deus;
- Rúben: vendo o filho;
- Gade: uma companhia;
- Aser: bendito;
- Naftali: lutador ou lutando contra;
- Manassés: esquecimento;
- Simeão: ouvindo e obedecendo;
- Levi: união ou apego;
- Issacar: recompensa;
- Zebulom: lar ou moradia;
- José: adição ou soma;
- Benjamim: filho da mão direita ou predileto, filho da idade avançada.
Assim, tem-se: "confessores ou adoradores de Deus, olhando para o Filho, uma companhia de benditos, lutando contra o esquecimento, ouvindo e obedecendo a Palavra, apegados à recompensa de um abrigo ou lar, uma adição, filhos da mão direita de Deus, gerados no fim dos dias." Joseph A. Seiss, Lectures on the Apocalypse. Isto parece indicar que os cento e quarenta e quatro mil judeus serão marcados para serem protegidos durante a grande tribulação, porque os fenômenos não serão simplesmente naturais, mas comandados por Cristo e os santificados para juízo contra o mundo incrédulo. Observa-se, que, na lista do Apocalipse as tribos de Dan e de Efraim não entram. Foram substituídas pelas tribos de José e de Levi, porque Dan significa 'juiz' ou 'juízo' e Efraim significa 'aumento por multiplicação'. Eles não poderiam participar dos israelitas selados, porque eles não serão juízes e formam um número fixo, não ocorrendo aumento deste número por multiplicação.
Finalmente João vê uma enorme multidão de todos os povos da Terra em pé diante do trono de Deus e do Cordeiro. Um dos vinte e quatro anciãos pergunta a ele quem eram aqueles, mas João não soube responder. O ancião, então, lhe diz: "estes são os que vêm da grande tribulação, e levaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro." Isto significa que o número dos eleitos e regenerados mortos pela perseguição do Anticristo se completou. Neste ponto ocorre um grande culto de adoração no céu antes da abertura do sétimo e último selo. Com a abertura deste último selo serão executados os juízos sobre a Terra. Haverá a purificação pelo fogo de tudo o que não pode ser redimido pelo sangue do Cordeiro.
Solo Christus!

Nenhum comentário: