segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

ESCATOLOGIA XLIX

II  Pd. 3: 10 a 12 - "Virá, pois, como ladrão o dia do Senhor, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se dissolverão, e a Terra, e as obras que nela há, serão descobertas. Ora, uma vez que todas estas coisas hão de ser assim dissolvidas, que pessoas não deveis ser em santidade e piedade, aguardando, e desejando ardentemente a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se dissolverão, e os elementos, ardendo, se fundirão?"
Um dos maiores equívocos cometidos por religiosos é acreditar que pregando o evangelho, o mundo se tornará melhor. Isto acontece, porque o evangelho que eles creem e pregam é outro evangelho que nada tem a ver com as Escrituras. Acreditam que a religião é uma espécie de reformatório moral para o homem, e que este obterá méritos e justiça própria para a salvação. Não é assim que é ensinado no verdadeiro evangelho. Tais posturas são boas sim, e até mesmo desejáveis em um mundo que vai de mal a pior. Entretanto, nada disso resolve, ou dá solução ao pecado que separa o homem de Deus. 
Contrariamente a estas postulações, as Escrituras mostram que os eleitos e regenerados foram feitos aceitáveis diante de Deus, por meio da santidade de Cristo. Logo, quando Deus olha para cada um dos seus eleitos, vê Cristo neles, e não seus pretensos méritos e justiças. Eles praticam as boas obras de Deus, porque foram regenerados, não foram regenerados por quaisquer obras que porventura praticaram. As justiças dos homens são originalmente contaminadas pela injustiça do pecado. Portanto, não servem como base, e muito menos, como método para redimi-los.
Ap. 14: 6 a 20 - "E vi outro anjo voando pelo meio do céu, e tinha um evangelho eterno para proclamar aos que habitam sobre a terra e a toda nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo com grande voz: temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. Um segundo anjo o seguiu, dizendo: caiu, caiu a grande Babilônia, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição. Seguiu-os ainda um terceiro anjo, dizendo com grande voz: se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na fronte, ou na mão, também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se acha preparado sem mistura, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, nem aquele que recebe o sinal do seu nome. Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus. Então ouvi uma voz do céu, que dizia: escreve: bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, pois as suas obras os acompanham. E olhei, e eis uma nuvem branca, e assentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem, que tinha sobre a cabeça uma coroa de ouro, e na mão uma foice afiada. E outro anjo saiu do santuário, clamando com grande voz ao que estava assentado sobre a nuvem: lança a tua foice e ceifa, porque é chegada a hora de ceifar, porque já a seara da terra está madura. Então aquele que estava assentado sobre a nuvem meteu a sua foice à terra, e a terra foi ceifada. Ainda outro anjo saiu do santuário que está no céu, o qual também tinha uma foice afiada. E saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e clamou com grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo: lança a tua foice afiada, e vindima os cachos da vinha da terra, porque já as suas uvas estão maduras. E o anjo meteu a sua foice à terra, e vindimou as uvas da vinha da terra, e lançou-as no grande lagar da ira de Deus. E o lagar foi pisado fora da cidade, e saiu sangue do lagar até os freios dos cavalos, pelo espaço de mil e seiscentos estádios."
Este contexto apocalíptico mostra como o evangelho eterno será pregado durante o período pós-arrebatamento, durante a "grande tribulação". Também mostra os juízos que serão executados sobre a Terra e os que nela estiverem submetidos ao poder do Anticristo, do Falso Profeta e do Dragão, que é Satanás.
O evangelho eterno mencionado no texto não se trata de outro evangelho, mas do mesmo evangelho deixado por Cristo e os apóstolos. Porém será pregado de modo diferente do que foi no período da Igreja pré-arrebatamento. Só existe um evangelho, por isso, o apóstolo Paulo afirma em Gl. 1:8 - "Mas, ainda que nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos tenho pregado, seja anátema." Infelizmente é o que mais se vê nos tempos atuais, a pregação de um "evangelho" capenga, de segunda mão, ou que vai além do verdadeiro evangelho. Cada refunda e reinventa o seu próprio evangelho para satisfazer seus desejos humanistas.
Neste tempo haverá a igreja apóstata, mas ela não pregará evangelho, tão somente se preocupará com a mentira gnóstica e mística para fazer de Satanás o governante da Terra. O evangelho será pregado por redimidos, que vistos da Terra se parecerão a anjos. Entretanto, João percebe que os tais são na semelhança, parecidos aos filhos dos homens. Anjo, provém do grego 'anggelos' que significa mensageiro e se aplica a seres espirituais, ou seres humanos incumbidos de pregar o evangelho eterno. Os tais mensageiros pregarão o evangelho rapidamente em toda a Terra, porque não estão mais submetidos às condições limitadas do corpo físico.
A mensagem será direcionada aos juízos de Deus sobre os que adoram à Besta, apelando para o arrependimento e para a perseverança até para a morte, pois de fato, quem for convertido nesse tempo pagará com a própria vida. 
O primeiro mensageiro anuncia as calamidades que estão por vir sobre a Terra, e conclama os homens a adorarem a Deus. Ele mostra a graça de Deus por meio de coisas criadas, tais como: céus, terra, mar e fontes de águas doces. O segundo mensageiro brada a queda da "grande babilônia" que tem embriagado o mundo e seus habitantes com o vinho da prostituição. Isto significa que um sistema religioso, político, e econômico tem enganado o mundo com uma falsa promessa de salvação sem cruz e sem Cristo. É uma verdade prostituída, ou seja, mentira disfarçada de verdades humanas. O terceiro anjo, ou mensageiro insta com o povo sobre a Besta para que não recebam a sua marca, pois isto, significa estar debaixo do seu domínio. 
Finalmente é ensinada a perseverança dos santos, ou seja, viver da fé de Jesus, e não pela fé em Jesus que pregam os religiosos. É mostrado com clareza que as obras dos mortos em Cristo, os acompanham e não o contrário como é ensinado hoje neste envangelicalismo triunfante. Alguns pregadores têm complexo, ou síndrome de Midas, isto é, tudo que eles tocam vira ouro. Este não é o evangelho da graça.
Não há nenhuma afirmação no Apocalipse que os 144.000 pregarão o evangelho ao mundo, embora haja quem afirme isto por conta própria. O evangelho eterno será pregado do céu, isto é, do firmamento da Terra, por homens já redimidos e em corpos espirituais. É também mostrado como será a batalha final chamada de Armagedom, por causa do local onde ela se dará. É mostrada tal batalha no céu a todos os moradores da Terra, como se fosse um filme. Isto antes de acontecer!
Gloria in excelsis Deo!

Nenhum comentário: