sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

ESCATOLOGIA LVII

Lc. 21: 1 a 19 - "Perguntaram-lhe então: mestre, quando, pois, sucederão estas coisas? E que sinal haverá, quando elas estiverem para se cumprir? Respondeu então ele: acautelai-vos; não sejais enganados; porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu; e o tempo é chegado; não vades após eles. Quando ouvirdes de guerras e tumultos, não vos assusteis; pois é necessário que primeiro aconteçam essas coisas; mas o fim não será logo. Então lhes disse: levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino; e haverá em vários lugares grandes terremotos, e pestes e fomes; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu. Mas antes de todas essas coisas vos hão de prender e perseguir, entregando-vos às sinagogas e aos cárceres, e conduzindo-vos à presença de reis e governadores, por causa do meu nome. Isso vos acontecerá para que deis testemunho. Proponde, pois, em vossos corações não premeditar como haveis de fazer a vossa defesa; porque eu vos darei boca e sabedoria, a que nenhum dos vossos adversário poderá resistir nem contradizer. E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós; e sereis odiados de todos por causa do meu nome. Mas não se perderá um único cabelo da vossa cabeça. Pela vossa perseverança ganhareis as vossas almas."
Nos últimos tempos tem-se falado muito sobre o "fim do mundo". Diversos filmes de Hollywood teorizam sobre uma catástrofe mundial que porá fim à Terra. Tentam desviar a verdade do evangelho para fenômenos naturais e corpos vindos do espaço que se chocarão com a Terra. Apelam para calendário do povo pré-colombiano, os maias, dando-lhe as interpretações que deduzam por conta própria. Apelam para previsões de videntes, runas, búzios, tarôs, e assemelhados a fim de estabelecer acontecimentos futuros. Tudo isto é o desespero do homem para controlar o tempo e os acontecimentos, segundo a sua teologia humanista. Este sempre foi o sonho do homem: ser "deus" e agir independentemente. As Escrituras indicam uma verdade absolutamente oposta a este desejo. 
A posição cristã mostrada nas Escrituras é uma só: não há fim do mundo, mas o fim de uma era, a qual é chamada de período da graça. Após esta fase virá o período da tribulação, e em seguida, o período dos juízos divinos por meio da grande tribulação. 
Vê-se pelo texto de abertura que os discípulos estavam preocupados acerca dos eventos escatológicos. Entretanto, a resposta do Mestre Jesus, o Cristo foi enfática: vão aparecer muitos por aí dizendo que sou eu, porém não se enganem. Ele fornece todos os sinais que antecederão a sua manifestação, primeiramente invisível à sua Igreja no arrebatamento, e, posteriormente, a sua 'parousia' visível ao mundo para julgamentos. Cristo acrescenta, ainda, que os eleitos e regenerados serão presos, perseguidos, conduzidos perante autoridades para responder interrogatórios. Tudo isto, não ocorrerá por causa de quaisquer coisas moral que os nascidos de Deus tenha feito, ou deixado de fazer, mas tão-somente por causa do evangelho e do testemunho do nome de Jesus, o Cristo. Ele deixa claro que até os familiares mais próximos, e os amigos mais chegados entregarão os cristãos nesse tempo. Muitos serão assassinados e haverá ódio por parte de todos por causa do nome d'Ele. Todavia, deixa claro que as suas almas serão resgatadas e viverão eternamente. O ódio de Satanás é contra Cristo, pois Ele é o verdadeiro Filho de Deus e o único Rei Eterno. Esta glória não pode ser transferida a outro em todo o Universo.
Ap. 19: 1 a 9 - "Depois destas coisas, ouvi no céu como que uma grande voz de uma imensa multidão, que dizia: aleluia! A salvação e a glória e o poder pertencem ao nosso Deus; porque verdadeiros e justos são os seus juízos, pois julgou a grande prostituta, que havia corrompido a terra com a sua prostituição, e das mãos dela vingou o sangue dos seus servos. E outra vez disseram: aleluia. E a fumaça dela sobe pelos séculos dos séculos. Então os vinte e quatro anciãos e os quatro seres viventes prostraram-se e adoraram a Deus que está assentado no trono, dizendo: amém. Aleluia! E saiu do trono uma voz, dizendo: louvai o nosso Deus, vós, todos os seus servos, e vós que o temeis, assim pequenos como grandes. Também ouvi uma voz como a de grande multidão, como a voz de muitas águas, e como a voz de fortes trovões, que dizia: aleluia! porque já reina o Senhor nosso Deus, o Todo-Poderoso. Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou, e foi-lhe permitido vestir-se de linho fino, resplandecente e puro; pois o linho fino são as obras justas dos santos. E disse-me: escreve: bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. Disse-me ainda: estas são as verdadeiras palavras de Deus."
Depois dos eventos que culminarão com a destruição do governo do Anticristo, do Falso Profeta, e do Dragão, Cristo retornará com poder e grande glória para dar início ao reino eterno. A "grande prostituta", a saber, um sistema religioso mundial, primeiramente com sede em Roma, e depois na Mesopotâmia, terá sido esmagado totalmente. Este sistema vem corrompendo o mundo há milênios, além de perseguir e matar os verdadeiros cristãos. 
Nesta visão João testemunha em espírito um grandioso culto de louvor e adoração nos céus, reconhecendo todo o poder e majestade do Eterno. 
Agora se aproxima a grande festa do Cordeiro de Deus que retirou o pecado do mundo. São as suas bodas com a noiva, a saber, a Igreja verdadeira e eterna que não se reduz a instituições religiosas criadas por homens. A Igreja formada apenas pelos eleitos e regenerados pela Graça. Por todos que foram inscritos no livro da vida do Cordeiro. Estes se assentarão à mesa para cear e beber o fruto da vide com Ele.
Gloria in excelsis Deo!

Nenhum comentário: