sábado, 17 de dezembro de 2011

ESCATOLOGIA LII

Ez. 38: 14 a 16 - "Portanto, profetiza, ó filho do homem, e dize a Gogue: assim diz o Senhor Deus: acaso naquele dia, quando o meu povo Israel habitar seguro, não o saberás tu? Virás, pois, do teu lugar, lá do extremo norte, tu e muitos povos contigo, montados todos a cavalo, uma grande companhia e um exército numeroso; e subirás contra o meu povo Israel, como uma nuvem, para cobrir a terra. Nos últimos dias hei de trazer-te contra a minha terra, para que as nações me conheçam a mim, quando eu tiver vindicado a minha santidade em ti, ó Gogue, diante dos seus olhos."
Vê-se que a grande batalha em que diversos povos estarão tentando destruir Israel não é movida pela simples vontade do homem decaído, ou mesmo pela vontade de Satanás. É o próprio Deus quem os atrairá contra Israel, uma minúscula nação, cercada por quase 200 milhões de inimigos árabes, que atravessou e venceu seis guerras desde a sua recriação na Palestina, em 1948. O propósito de Deus é mostrar quem manda no universo, pois é uma vitória absolutamente impossível a Israel, mas possível ao que lutará por ele. Gogue, como já foi demonstrado, é a Rússia, e que não estará sozinha nesta empreitada. Virão povos de uma confederação afro-árabe (reis do sul), de uma confederação do oriente (reis do leste), forças de Gog e suas companhias de exércitos (reis do norte), e do império romano redivivo (dez países de origem latina, vindos da Europa).
Ap. 16: 17 a 21 - "O sétimo anjo derramou a sua taça no ar; e saiu uma grande voz do santuário, da parte do trono, dizendo: está feito. E houve relâmpagos e vozes e trovões; houve também um grande terremoto, qual nunca houvera desde que há homens sobre a Terra, terremoto tão forte quão grande; e a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e Deus lembrou-se da grande Babilônia, para lhe dar o cálice do vinho do furor da sua ira. Todas ilhas fugiram, e os montes não mais se acharam. E sobre os homens caiu do céu uma grande saraivada, pedras quase do peso de um talento; e os homens blasfemaram de Deus por causa da praga da saraivada; porque a sua praga era mui grande." 
Com o derramamento da sétima taça, pelo sétimo anjo, ou mensageiro, todos os juízos de Deus sobre a Terra e os seguidores da Besta, do Falso Profeta, e do Dragão terão sido cumpridos. O terremoto final será tão intenso que todas as cidades do mundo serão abaladas. As terras altas serão rebaixadas, as ilhas desaparecerão, além da do fogo vindo do espaço pela queda de meteoritos. Os homens estarão tão conscientes de suas condenações que não se importarão em dizer blasfêmias contra o próprio Deus. Aliás, o homem pecador sempre agiu dessa forma: quando as coisas estão bem, ele atribui o sucesso a si mesmo, quando as coisas estão muito mal, colocam a culpa em Deus. 
Todo este processo é a reconstrução de novos céus e nova Terra para que se estabeleça, finalmente, o Reino Eterno do Grande Rei. Não adiantam estes ensinos gnósticos e espiritualistas quererem amenizar as coisas, afirmando que será apenas uma depuração do planeta, e que as almas não evoluídas serão transferidas para outros mundos primitivos onde serão tratadas até atingirem a espiritualidade. As Escrituras não ensinam isto nem se forem torcidas, retorcidas, e contorcidas, como de resto eles tentam. Ao contrário, os ensinos são que haverá o juízo, a condenação eterna, e o estabelecimento do Reino de Cristo na Terra. Todo ensino que tenta dar um jeitinho na justiça divina é de origem diabólica, pois deixa o homem descansado, ou mesmo, cheio de méritos e justiças próprias. É tudo o que o Diabo quer é isto! Este sempre foi o projeto de Satanás, endeusar o homem para anular a graça e misericórdia de Deus em sua eleição, predestinação, e justificação.
A partir de agora nos capítulos 17 a 19 será mostrado o juízo e a destruição do sistema político-religioso montado por Satanás, por meio do Falso Profeta e pelo Anticristo. O Falso Profeta é chamado de "a Besta que subiu da Terra", e o Anticristo é chamado de "a Besta que subiu do mar." Ambos estão a serviço do "Grande Dragão Vermelho" que é o próprio Diabo. 
A "Grande Babilônia" é um sistema religioso mundial de características ecumênicas, ou seja, uma mistura de diversas crenças religiosas, que, no passado foram antagônicos e até inimigos. No final, todos estarão lado a lado para levar a humanidade a adoração de Satanás atrás das duas Bestas. A expressão "Grande Babilônia" procede da palavra "babilônia" que provém do  caldeu 'babil', ou seja, "portal dos deuses", e de "confusão" em língua hebraica por derivação de sentido. Foi nesse local que Ninrod construiu uma grande torre para rivalizar-se com o céu, provocando a confusão das línguas e a destruição da torre por parte de Deus. Também foi nesse local que ocorreram encarnações, manifestações, e organização de poder e ciência por parte dos Nefelim, ou seja, anjos decaídos que se misturaram às mulheres humanas conforme o capítulo seis de Gênesis.
Gloria in excelsis Deo!

Nenhum comentário: