sábado, 22 de outubro de 2011

ESCATOLOGIA XIV


Is. 46: 9 e 10 - "Lembrai-vos das coisas passadas desde a antiguidade; que eu sou Deus, e não há outro; eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim; que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho subsistirá, e farei toda a minha vontade."
As profecias do velho testamento são indicações e sinais dos eventos finais, porque descrevem fatos que se sucederiam ao longo da história cujo escopo seria a última semana da profecia de Daniel. No capítulo 2 do mesmo livro de Daniel se acham as revelações de como a história se desenvolveria através dos séculos por meio da ação dos reis e seus reinos e impérios até culminar com a vinda do Anticristo e do Cristo, porque aquele precederá a este. Por um pouco de tempo o Anticristo terá grande sucesso e convencerá a muitos, inclusive os judeus, e o seu poder se estenderá por toda a Terra. Ele quererá assumir o lugar do Cristo, por isto é chamado de Anticristo, pois esta palavra quer dizer, ao contrário, do que imaginam muitos, "aquele que toma o lugar de..." e não "aquele que se opõe a..." De fato ele pretenderá tomar o lugar do Cristo, todavia isto lhe será por perdição e lhe será permitido algum poder apenas para que se manifeste o que está no coração dos eleitos de Deus, e o que está nas mentes dos não-eleitos. Cada pensamento e ação será manifestado para que se cumpram os juízos estabelecidos pelos "decretos eternos" do Altíssimo.
Dn. 2: 20 a 22 - "Disse Daniel: seja bendito o nome de Deus para todo o sempre, porque são dele a sabedoria e a força. Ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; é ele quem dá a sabedoria aos sábios e o entendimento aos entendidos. Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz." A primeira coisa que um eleito e regenerado deve saber é que Deus é bendito, porque é eternamente sábio e possui toda a força. Tem o poder de mudar os tempos e as estações conforme a Sua soberana vontade. É ele quem estabelece reis, príncipes, presidentes, ditadores e anarquistas de todos os gêneros. Tudo para um determinado fim, e não porque tenha abandonado as rédeas da história nas mãos do próprio homem. Em muitos casos Deus permite que o mal progrida para que o bem seja evidenciado e Sua justiça se faça perceptível. É Ele quem dá sabedoria aos homens, faz os de poucas letras entenderem o sentido das coisas, revela o profundo e o oculto, vê por meio das trevas onde o homem não pode ver, e com Ele está a luz. Quando aos eleitos e regenerados é dada a fé em todas estas esplendentes verdades, então começa a ganhar luz.
Dn. 2: 34 a 45 - "Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mãos, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se podia achar nenhum vestígio deles; a pedra, porém, que feriu a estátua se tornou uma grande montanha, e encheu toda a Terra. Este é o sonho; agora diremos ao rei a sua interpretação. Tu, ó rei, és rei de reis, a quem o Deus do céu tem dado o reino, o poder, a força e a glória; e em cuja mão ele entregou os filhos dos homens, onde quer que habitem, os animais do campo e as aves do céu, e te fez reinar sobre todos eles; tu és a cabeça de ouro. Depois de ti se levantará outro reino, inferior ao teu; e um terceiro reino, de bronze, o qual terá domínio sobre toda a Terra. E haverá um quarto reino, forte como ferro, porquanto o ferro esmiúça e quebra tudo; como o ferro quebra todas as coisas, assim ele quebrantará e esmiuçará. Quanto ao que viste dos pés e dos dedos, em parte de barro de oleiro, e em parte de ferro, isso será um reino dividido; contudo haverá nele alguma coisa da firmeza do ferro, pois que viste o ferro misturado com barro de lodo. E como os dedos dos pés eram em parte de ferro e em parte de barro, assim por uma parte o reino será forte, e por outra será frágil. Quanto ao que viste do ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão pelo casamento; mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura com o barro. Mas, nos dias desses reis, o Deus do céu suscitará um reino que não será jamais destruído; nem passará a soberania deste reino a outro povo; mas esmiuçará e consumirá todos esses reinos, e subsistirá para sempre. Porquanto viste que do monte foi cortada uma pedra, sem auxílio de mãos, e ela esmiuçou o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro, o grande Deus faz saber ao rei o que há de suceder no futuro. Certo é o sonho, e fiel a sua interpretação."
Deus deu a Daniel a interpretação do sonho. Mostra a sucessão de reinos no mundo, cada qual com sua história e seus feitos. São mostrados nesta visão os seguintes impérios:
1) Império Babilônico - representado pela cabeça de ouro e que era o que estava governando o mundo à época de Daniel. Os judeus estava cativos na Babilônia por este tempo por determinação de Deus.
2) Império Medo-Persa - representado pelos braços de prata e que foi conquistado por Ciro.
3) Império Grego - representado pelo tronco de bronze e que foi construído por Alexandre, o Grande.
4) Império Romano - representado pelas pernas e pés de ferro, tendo se originado pela fundação de Roma. As duas pernas são a Europa e a Ásia, por isso, o Império Romano foi dividido em Oriental e Ocidental.
O profeta explica cada mínimo detalhe desses reinos ou impérios a partir dos elementos constitutivos do sonho. Tais fatos foram previstos mais de mil anos antes dos acontecimentos, e de fato todas as coisas aconteceram exatamente como previstas.
O profeta finaliza a sua visão afirmando que Deus levantaria um reino eterno, que jamais terminará. Obviamente, ele está descrevendo o Reino Eterno do Grande Rei Jesus que é o Cristo. Este não terá fim e dominará toda a Terra, para sempre!
Gloria in excelsis Deo!

Nenhum comentário: