terça-feira, 5 de julho de 2011

ESPÍRITO, ESPÍRITOS, E ESPIRITUALISMO XV

Is. 8: 19 e 20 - "Quando vos disserem: consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei: acaso não consultará um povo a seu Deus? acaso a favor dos vivos consultará os mortos? A Lei e ao Testemunho! se eles não falarem segundo esta palavra, nunca lhes raiará a alva."
Há uma tese que defende a existência de uma "raça" pré-adâmica na Terra, resultante de tentativas de mesclagem entre anjos caídos e humanos. Porém, é apenas uma tese e não uma questão de doutrina. A base para tal assertiva é o texto de Gn. 6: 1 a 4 - "Sucedeu que, quando os homens começaram a multiplicar-se sobre a Terra, e lhes nasceram filhas, viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Então disse o Senhor: o meu Espírito não permanecerá para sempre no homem, porquanto ele é carne, mas os seus dias serão cento e vinte anos. Naqueles dias estavam os Nefilim na Terra, e também depois, quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Esses Nefilim eram os valentes, os homens de renome, que houve na antiguidade." Teólogos mais conservadores afirmam que estes filhos de Deus eram os descendentes de Sete, porque o texto bíblico afirma que, após o nascimento deste filho de Adão e Eva, voltou-se a invocar o nome de Deus. Entretanto, não pode ser, porque Deus só tem um filho, a saber, Cristo. Também a prática de um culto não torna ninguém filho de Deus. Acrescenta-se ainda, que todos os descendentes de Sete morreram no dilúvio, portanto, tiveram o mesmo destino dos descendentes de Caim que era do maligno conforme I Jo. 3:12. A expressão 'filhos de Deus' aparece em outros textos veterotestamentários sempre se referindo a anjos. Outra objeção contrária a esta tese, é que no texto neotestamentário de Mc. 12:25 afirma que os anjos, no céu, não se casam. Entretanto é uma referência a anjos que permanecem fiéis a Deus e que permanecem no Céu em estado original. Os tais Nefilim estavam na Terra, portanto, não eram da Terra. A palavra hebraica 'nefilim' indica seres que desceram do céu à Terra. Algumas traduções dizem que 'nefilim' significa gigantes, porém, em hebraico, gigante é Anak e o plural é Anakim. Os tais Nefilim eram de estrutura física gigantesca e muito poderosos conforme o texto de Gn. 6. Também os seus descendentes eram anômalos fisicamente. Vê-se que eles estavam na Terra, e, mesmo depois do dilúvio que destruiu a humanidade, eles reapareceram na Terra como resultado desta mescla entre humanos e anjos decaídos. Há diversos nomes na Bíblia para estes gigantes descendentes: nefilim, emin, refaim, anakim. Suas descrições são muito semelhantes às descrições de seres mitológicos de diversas culturas.
Nm.13:33 - "Também vimos ali os Nefilim, isto é, os filhos de Anaque, que são descendentes dos Nefilim; éramos aos nossos olhos como gafanhotos; e assim também éramos aos seus olhos." O relato dos espias de Israel dá conta da existência dos Nefilim filhos de Anaque e que, por sua vez, eram descendentes dos Nefilim ou Elohim. Ora, embora pareça redundante, mas o texto diz que em Canaã haviam seres gigantescos da linhagem de Anaque. Segundo os relatos sumerianos este Anak era descendente dos Anunnaki, que por sua vez, eram descendentes dos 'elohim', ou seja, dos deuses, seres celestes, ou anjos.
Pois bem, todas estas preliminares são para explicar que há diferença entre anjos fiéis, anjos caídos e demônios. Quando estes seres mesclados foram extintos da Terra, eles foram desencarnados e presos para não se materializar novamente e não se misturar com os humanos conforme Jd. 6 e 7 - "...aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia, assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno." A expressão: 'aos anjos que não guardaram o seu principado' é no texto original uma referência a anjos que não permaneceram nos seus postos ou lugares originais destinados por Deus. Foram rebeldes e desobedientes, seguindo Lúcifer em sua rebelião. Na outra expressão: 'mas deixaram a sua própria habitação', a palavra habitação no texto grego é 'oiketérion' que quer dizer o revestimento corporal, ou a sua forma corporal original e não uma casa. Finalmente, o texto de Judas mostra que os tais anjos rebeldes se prostituíram tal como os habitantes de Sodoma e Gomorra. Prostituição no sentido bíblico, geralmente, é mistura, mescla, miscigenação, e, neste caso, de seres de naturezas diferentes. Eles foram após outra carne, ou seja, eram de natureza celestial ou angelical, mas se materializaram e se misturaram às mulheres humanas. O resultado foi o nascimento de seres gigantescos e anormais. Também, por causa desta geração anômala a Terra se encheu de maldade e violência, por isso, Deus resolveu destruir tudo no dilúvio. Apenas oito pessoas se salvaram e repovoaram a Terra após o dilúvio.
Então, estes seres que foram desencarnados são os demônios, ou seja, anjos que abandonaram seus postos e formas originais, se encarnaram, se misturaram com humanos, geraram descendentes anormais, por isso, foram desencarnados. Agora seus espíritos estão em prisões para não cometerem o mesmo erro conforme II Pd. 2:4 - "Porque se Deus não poupou a anjos quando pecaram, mas lançou-os no inferno, e os entregou aos abismos da escuridão, reservando-os para o juízo."
Sola Gratia!

Nenhum comentário: