domingo, 13 de março de 2011

FÉ E OBRAS: OPOSIÇÃO OU COMPLEMENTO V?

Tg. 2:25 e 26 - "E de igual modo não foi a meretriz Raabe também justificada pelas obras, quando acolheu os espias, e os fez sair por outro caminho? Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta."
No texto o apóstolo Tiago está trabalhando com um outro exemplo acerca de fé e obras. Ele lança mão de um episódio doVelho Testamento cuja personagem central é uma prostituta chamada Raabe. É bom lembrar que, para os padrões do povo hebreu e da lei mosaica, Raabe não era uma mulher honrada, porque não era hebréia, era prostituta e, finalmente, não seguia a lei de Moisés. Isto precisa ser dito, não para denegrir a sua memória, mas para mostrar que, com base em boas obras, ela não serviria como modelo para quase nada. Também é bom lembrar que esta mesma meretriz, Raabe, faz parte da genealogia de Jesus conforme Mt. 1:5.
Ainda de Raabe se diz o seguinte em Hb. 11:31 - "
Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os desobedientes, tendo acolhido em paz os espias.
" Vê-se que a obra de Raabe foi, primeiramente, pela fé e não por justiça própria ou mérito. Tiago diz que a obra de Raabe a justificou, mas que obra operou ela? Na verdade, a sua maior obra foi a mentira, pois sendo ela nativa daquela terra espionada pelos hebreus, os acolheu, protegeu e mentiu para as autoridades de Jericó. Logo, o que Tiago está dizendo é que, ao deixar aqueles dois espias fugirem, porque acreditava que Deus estava com o povo de Israel, isto lhe foi imputado para justiça. Raabe simplesmente creu no que foi dito sobre as obras grandiosas de Deus para com o povo hebreu conforme Js. 2: 9 a 13 - "... e disse-lhes: bem sei que o Senhor vos deu esta terra, e que o pavor de vós caiu sobre nós, e que todos os moradores da terra se derretem diante de vós. Porque temos ouvido que o Senhor secou as águas do Mar Vermelho diante de vós, quando saístes do Egito, e também o que fizestes aos dois reis dos amorreus, Sion e Ogue, que estavam além de Jordão, os quais destruístes totalmente. Quando ouvimos isso, derreteram-se os nossos corações, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa presença; porque o Senhor vosso Deus é Deus em cima no céu e embaixo na terra. Agora pois, peço-vos, jurai-me pelo Senhor que, como usei de bondade para convosco, vós também usareis de bondade para com a casa de meu pai; e dai-me um sinal seguro de que conservareis em vida meu pai e minha mãe, como também meus irmãos e minhas irmãs, com todos os que lhes pertencem, e de que livrareis da morte as nossas vidas."
A obra de Raabe foi colocar a sua vida e o seu futuro em jogo ao se por contra os interesses do seu próprio povo, protegendo o invasor. Entretanto, isto ocorreu porque ela simplesmente creu no que ouviu sobre Deus ter dado a terra de Canaã aos hebreus. Ela não duvidou disto e, portanto, esta atitude é decorrente de fé e não de obras. A obra de Raabe foi apenas a expressão da sua fé e não o contrário como presumem os religiosos, especialmente, os arminianos. Muitos teólogos e interpretes das Escrituras fazem eixegese dos textos e não exegese. Isto é, colocam palavras inexistentes na boca dos que escreveram os textos. O correto é extrair do texto o que o profeta ou escritor disse inspirado por Deus, e não acrescentar o que não há no texto. Raabe agiu primeiramente por fé, porque os muros de Jericó eram altos e os portões fortificados com ferrolhos, logo, como ela pode crer que um povo errante pelo deserto poderia conquistar aquela cidade fortificada? Ora, sabe-se que a fé é dom de Deus e não de obras humanas conforme Ef. 2: 8 e 9 - "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie."
Sola Fidei!

Nenhum comentário: