segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A ORAÇÃO SEGUNDO AS ESCRITURAS II


II Tm. 2:5 a 8- "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual se deu a si mesmo em resgate por todos, para servir de testemunho a seu tempo; para o que, digo a verdade, não minto, eu fui constituído pregador e apóstolo, mestre dos gentios na fé e na verdade. Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda."
O propósito da oração não é alterar a vontade de Deus já estabelecida no universo antes mesmo que o mesmo viesse a existir conforme Mt. 13:35 - "...
para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: abrirei em parábolas a minha boca; publicarei coisas ocultas desde a fundação do mundo." Ninguém, nascido de Deus ou não, pode exigir que Ele altere os seus decretos eternos os quais regem o universo em função de uma postulação pessoal, capricho, necessidade, ou desejo egoísta. Ele não responde este tipo de oração, pois não é o Criador que se curva à criatura, mas esta se curva Àquele, e sempre, por intermediação de outro, a saber, Cristo único mediador. Primeiro, porque Deus sequer ouve o homem diretamente, ainda que reto, íntegro, temente e que se esquiva do mal. Ele ouve apenas a intercessão do Espírito Santo que traduz a oração humana conforme Rm. 8:26 - "Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis." Além disto, Ele só ouve àqueles pelos quais o Filho, Cristo, intercede ou representa conforme Rm. 8:34 - "Quem os condenará? Cristo Jesus é quem morreu, ou antes quem ressurgiu dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós." É Cristo o fiel e amoroso advogado dos pecadores perante o Pai.
Na verdade nenhum homem pode se apresentar perante Deus, porque todos são pecadores e estão destituídos da glória d'Ele. É Cristo quem torna os eleitos e regenerados apresentáveis diante do Pai conforme Cl. 1:22 - "... agora contudo vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, a fim de perante ele vos apresentar santos, sem defeito e irrepreensíveis..."
Considerando apenas o ensino das Escrituras, muita gente que ora, ora para si mesmas ou para outras forças ocultas, pois não foram nascidas do alto na conformidade das exigências da justiça de Deus. Assim, suas orações são meros exercícios almáticos e, portanto, podem até produzir certos efeitos sensoriais, mas não respostas de Deus. É como o fariseu que subiu ao templo para orar: "orava de si para consigo mesmo". O texto diz que o outro, o publicano desceu para a sua casa justificado, porque se humilhou perante Deus, enquanto o fariseu voltou da mesma forma que subiu: soberbo, orgulhoso, religioso e condenado.
Muitos religiosos, embora bem intencionados, diga-se, creem que as manifestações sobrenaturais, as soluções de problemas, e as respostas às suas ansiedades provêm de Deus. Estão absolutamente enganados, e por isso, também se tornam enganadores. Em muitos casos estão recebendo apoio e poder do próprio Satanás, pois é ele quem cogita das coisas dos homens conforme Mt. 16:23 - "Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não estás pensando nas coisas que são de Deus, mas sim nas que são dos homens."
Sola Scriptura!

Nenhum comentário: