terça-feira, 3 de agosto de 2010

A CRUZ COMO UM LUGAR E COMO UM CAMINHO VII


Cl. 1: 17 a 22 - "Ele é antes de todas as coisas, e nele subsistem todas as coisas; também ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio, o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência, porque aprouve a Deus que nele habitasse toda a plenitude, e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus. A vós também, que outrora éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, a fim de perante ele vos apresentar santos, sem defeito e irrepreensíveis..." A anterioridade de Cristo, o Filho Unigênito de Deus, o faz preeminente. Esta preeminência Lhe confere os seguintes qualificativos: que apresenta inexcedível perfeição material, moral ou intelectual; sublime, divino, augusto, que se distingue pelo mérito, pelo saber ou por qualidades dignas de louvor; digno, nobre, distinto, ilustre. Jesus é o princípio da criação, porque por Ele todas as coisas foram feitas conforme o registro de Jo. 1:2 - "Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez."
O texto de abertura apresenta o Cristo, também, como o primogênito dentre os mortos, porque Ele se encarnou em Jesus, o homem histórico, foi crucificado, morreu e ressuscitou ao terceiro dia. Este processo deu a Jesus, o Cristo, o parentesco remidor em relação ao homem pecador. Este parentesco e o pagamento do resgate de todas as coisas, tanto terrestres, como celestes, reconciliou os pecadores eleitos novamente a Deus. A reconciliação se deu na inclusão no corpo de Jesus, o Cristo em sua morte de cruz. Tal processo de redenção, executou a promissória de dívida que o homem e a natureza tinham para com o posseiro usurpador, o Diabo. Assim, os eleitos e regenerados não devem absolutamente mais nada. Desta forma são agora apresentados aceitáveis diante da face do Altíssimo, santos, sem defeitos e irrepreensíveis conforme I Pd. 2:5 - "... vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo." Isto nada tem a ver com doutrina herética da impecabilidade como compreendem os religiosos cujas escamas não foram retiradas. Tem a ver, outrossim, com o pagamento realizado por Cristo para o resgate de pecadores cujos nomes estavam escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo conforme o registro de Ap. 13:8.
Cl. 2: 12 a 14 - "...tendo sido sepultados com ele no batismo, no qual também fostes ressuscitados pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos; e a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos; e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz." O sepultamento com Cristo, a que alude o texto, não é o batismo simbólica em água, mas o batismo na morte juntamente com Ele conforme o registro de Rm. 6: 4 e 5. Desta forma a cruz é um lugar específico e o único caminho, ou método de Deus para tirar o pecado do homem e pagar por todos os seus atos pecaminosos. Não há mais nada a ser pago a Satanás, pois a dívida foi liquidada e tudo foi cravado na cruz. Por esta razão, a cruz continua sendo o lugar onde o pecado, e os atos pecaminosos continuam cravados, pois o que dá testemunho na Terra é o sangue de Jesus, o Cristo. Este foi derramado na Terra para testemunho de que Ele derramou a Sua alma para o resgate de muitos conforme já foi colocado em outro artigo.
I Jo. 5: 8 - "Porque três são os que dão testemunho na terra: o Espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam em um." O Espírito Santo é o que foi enviado para ensinar todas as coisas e convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo; a água simboliza a pregação do evangelho e tem o poder de produzir a fé no que ouve e recebe graça para crer; e o sangue é o que prova que Jesus, o Cristo pagou o preço pelo resgate das almas dos pecadores eleitos e regenerados. Portanto, todos quantos foram atraído na morte de Cristo, e, com Ele ressuscitou, estão justificados.
Desta forma a cruz é o único lugar e o único caminho que soluciona o problema do pecado e dos atos pecaminosos.
Sola Grátia!
Sola Fidei!

Nenhum comentário: