domingo, 2 de agosto de 2009

GRAÇA E DEPENDÊNCIA PLENA DE DEUS VIII


I Rs. 17: 4 e 6 - "E há de ser que beberás do ribeiro; e eu tenho ordenado aos corvos que ali te sustentem. E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro." Em alguns segmentos religiosos, quando alguém se acha pressionado por dívidas, doenças e desespero, imediatamente faz uma promessa. Segundo esta crendice, sendo a graça alcançada, paga-se a promessa ou o voto. Bem, primeiramente demonstra-se profunda falta de fé genuína, pois Deus dá dons e bênçãos sem nada exigir em troca. Secundariamente, não se trata de graça no sentido bíblico, pois se foi condicionada ao cumprimento de algum tipo de esforço em troca já não é mais graça, mas uma negociata.
O profeta Elias acabara de se envolver em um confronto de natureza espiritual contra o rei Acabe e sua iníqua mulher Jesabel. Por causa da idolatria e maldade destes governantes, Deus resolvera cessar a chuva e trazer disciplina àquela região. Então, para proteção do profeta Deus ordenou ao mesmo que se retirasse para o oriente e ali habitasse, sendo dessedentado pelas águas do ribeiro de Querite e os corvos o alimentariam com pão e carne duas vezes ao dia. Assim, o profeta Elias se retirou para aquele lugar crendo na Palavra de Deus e não nas possibilidades circunstanciais. Ficou ali até que o ribeiro secou, então, recebeu nova ordem para se retirar para Sarepta, em Sidon, no que é hoje o Líbano. Ali Deus ordenarara a uma viúva que tinha apenas um filho, um punhado de farinha e um fundo de botija sujo de azeite. Esta era toda a provisão da mulher que Deus escolhera para sustentar o profeta. Esta palavra mostra o que de fato é graça, como dom de Deus, e o que é dependência plena do que a Palavra d'Ele diz e não o que os olhos e sentidos humanos podem perceber e aperceber. Este é o padrão de fé verdadeiramente bíblico, pois não é ver para crer, mas crer para ver.
Nos versos 14 a 16 diz: "porque assim diz o Senhor Deus de Israel: a farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará até ao dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra. E ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias. Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou; conforme a palavra do Senhor, que ele falara pelo ministério de Elias." Dependeram exclusivamente da Palavra de Deus e não das possibilidades naturais e sensoriais. É este padrão de fé que não se vê nos tempos atuais, nem mesmo entre os mais "fervorosos" crentes que propalam aos quatro ventos do mundo a sua suposta fé. O homem em seu estado decaído não pode crer por conta própria, e, por isso, não recebe a graça plena de Deus. A religião, no máximo, produz crendice e dependência nos esforços com base na justiça própria e nos méritos humanos.
Sola Fide!
Sola Scriptura!

Nenhum comentário: