sábado, 1 de agosto de 2009

GRAÇA E DEPENDÊNCIA PLENA DE DEUS VI


II Sm. 4:4 e 9:1 a 13 - "E Jônatas, filho de Saul, tinha um filho aleijado de ambos os pés; era da idade de cinco anos quando as novas de Saul e Jônatas vieram de Jizreel, e sua ama o tomou, e fugiu; e sucedeu que, apressando-se ela a fugir, ele caiu, e ficou coxo; e o seu nome era Mefibosete. E disse Davi: há ainda alguém que tenha ficado da casa de Saul, para que lhe faça benevolência por amor de Jônatas? E havia um servo na casa de Saul cujo nome era Ziba; e o chamaram à presença de Davi. Disse-lhe o rei: és tu Ziba? E ele disse: servo teu. E disse o rei: não há ainda alguém da casa de Saul para que eu use com ele da benevolência de Deus? Então disse Ziba ao rei: ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés. E disse-lhe o rei: onde está? E disse Ziba ao rei: eis que está em casa de Maquir, filho de Amiel, em Lo-Debar. Então mandou o rei Davi, e o tomou da casa de Maquir, filho de Amiel, de Lo-Debar. E Mefibosete, filho de Jônatas, o filho de Saul, veio a Davi, e se prostrou com o rosto por terra e inclinou-se; e disse Davi: Mefibosete! E ele disse: eis aqui teu servo. E disse-lhe Davi: não temas, porque decerto usarei contigo de benevolência por amor de Jônatas, teu pai, e te restituirei todas as terras de Saul, teu pai, e tu sempre comerás pão à minha mesa. Então se inclinou, e disse: quem é teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu? Então chamou Davi a Ziba, moço de Saul, e disse-lhe: tudo o que pertencia a Saul, e a toda a sua casa, tenho dado ao filho de teu senhor. Trabalhar-lhe-ás, pois, a terra, tu e teus filhos, e teus servos, e recolherás os frutos, para que o filho de teu senhor tenha pão para comer; mas Mefibosete, filho de teu senhor, sempre comerá pão à minha mesa. E tinha Ziba quinze filhos e vinte servos. E disse Ziba ao rei: conforme a tudo quanto meu senhor, o rei, manda a seu servo, assim fará teu servo. Quanto a Mefibosete, disse o rei, comerá à minha mesa como um dos filhos do rei. E tinha Mefibosete um filho pequeno, cujo nome era Mica; e todos quantos moravam em casa de Ziba eram servos de Mefibosete. Morava, pois, Mefibosete em Jerusalém, porquanto sempre comia à mesa do rei, e era coxo de ambos os pés."
Comumente nos círculos religiosos, especialmente, os de cunho arminiano, quando se fala de graça, nunca é plena e conforme as Escrituras. Sempre adicionam os esforços humanos para dar-lhe mais brilho e falsa espiritualidade. Ora, qualquer ato ou atitude as quais dependem de esforços, já não é graça no sentido escriturístico desta. Se a graça é um dom da exclusiva competência de Deus, logo, não pode haver de forma alguma a participação ativa do homem na sua consecução. É fundamental entender a diferença entre graça e barganha!
É notório, todavia, que a graça de Deus seja invariavelmente destinada aos desgraçados, desvalidos, deserdados pela sociedade, recriminado pelos valores positivos de uma civilização imediatista. É precisamente isto que torna a graça um ato soberano e monérgico, pois se o objeto dela pudesse ser digno de recebê-la, certamente esta não seria dom, mas uma mera recompensa ou salário.
A forma que o mundo, especialmente, o mundo religioso recebe a graça é, no mínimo, curiosa, pois veem-na apenas como um benefício do qual se pode obter alguma ou muitas vantagens segundo a vontade e o interesse do homem. É como algo que lhe chega como resultante da sua dedicação, fidelidade, tempo de banco de igreja, tempo de oração, jejum e serviços à igreja. Esta é uma modalidade de graça resultante da teologia elaborada pela mente humana absolutamente fora do que preconizam as Escrituras.
O texto que vem de ser lido na abertura deste artigo, coloca as coisas no seu devido lugar em matéria de graça bíblicamente ensinada. Mefibosete cujo nome significa vergonha destruidora era o filho de Jônatas, e neto do rei Saul, ambos mortos. Tornou-se aleijado de ambos os pés aos cinco anos, quando da fuga de sua babá, por ocasião da notícia da derrota e morte do seu pai e do seu avô em batalha. Mefibosete é o tipo do homem em sua queda e restauração diante da santidade de Deus. Em toda extensão das Escrituras se vê o uso de tipos e símbolos. Este é apenas mais um utilizado na doutrina da verdade bíblica.
Vinte anos depois, quando já não se ouvia falar mais em Saul ou quaisquer dos seus descendentes, o rei Davi, perguntou se havia algum descendente dele, para que pudesse usar-lhe da graça de Deus. A palavra utilizada por Davi no texto hebraico foi 'hessedh', isto é, graça, benevolência, amor, bondade ou misericórdia. Isto porque, quando Jônatas ainda vivia houve um acordo entre ele e Davi conforme I Sm. 15: 13 a 17.
A misericórdia busca exatamente aquele que não tem méritos. Mefibosete foi apontado como alguém inserido naquilo a que se propunha o rei Davi, posto ser neto de Saul, e filho de Jônatas. Era coxo dos pés e vivia longe do centro de poder. Foi neste cenário que apareceu Ziba, um antigo servo de Saul como a pessoa que poderia localizar Mefibosete. Legalista, e, quando indagado, respondeu ao rei: sim há um descendente de Saul que ainda vive, porém é aleijado. O rei sem tergiversar sobre a deficiência de Mefibosete indaga: onde está? Ziba diz: está em casa de Maquir, na terra de Lo-Debar. Maquir significa em hebraico, vendido como escravo, e Lo-Debar significa, terra árida e sem pasto. Ora, tudo isto é uma simbologia do homem e da sua situação após a queda, se tornando aleijado espiritualmente, perdendo a graça e a comunhão, tendo sido vendido como escravo do pecado e expulso do paraíso. A atitude do rei Davi representa a ação graciosa de Deus buscando o homem pecador, e restaurando-lhe a graça por misericórdia, bondade e amor.
A atitude de Mefibosete, como o tipo do homem desgraçado, foi a de se colocar na perspectiva do pecador que se rende ante a graciosa e soberana vontade de Deus. Se reconheceu desprovido de qualquer mérito conforme os versos 6 e 8 - "eis aqui o teu servo... cão morto" - Assim, foi restituída a nobreza e o convívio de Mefibosete que, continuou coxo, porém sob a graça do rei. Quanto a Ziba, o legalista e que vinha explorando os bens de Saul sem partilhar os resultados ao verdadeiro herdeiro foi colocado pelo rei no seu devido lugar, a saber um servo.
Por símile, Mefibosete viveu até os cinco anos no palácio real, porém o julgamento errôneo de sua ama, imaginando que este seria morto pelo novo rei, fê-lo cair na pressa da fuga; Satanás, por seu turno fez o homem, o qual vivia no paraíso de Deus supor que não morreria comendo do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, fê-lo cair no pecado da incredulidade e, por isso, morreu para Deus sendo vendido ao pecado e levado para o deserto árido da vida sem a graça.
Soli Deo Gloria !

Nenhum comentário: