domingo, 23 de agosto de 2009

ESPÍRITOS ENGANADORES E RELIGIÕES ENGANADAS XII


Mt. 4:1 a 11 - "Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; e, chegando-se a ele o tentador, disse: se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães. Ele, porém, respondendo, disse: está escrito: nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Então o Diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Disse-lhe Jesus: também está escrito: não tentarás o Senhor teu Deus. Novamente o transportou o Diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: vai-te, Satanás, porque está escrito: ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o Diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam."
É tão somente diante da verdade que a mentira é avaliada em suas reais proporções. Há uma longa trama de falsificações no tocante ao nefasto projeto de Satanás em retardar o "Supremo Propósito" de Deus. A luz das Escrituras, entretanto, permite distinguir e destituir os espíritos enganadores e suas ações neste mundo. Vê-se que o Diabo tentou envolver o próprio Filho Unigênito de Deus na trama do engano. Jesus foi tentado exatamente na mesma área que Eva o foi: o apetite! O diferencial é que ela, não estava há quarenta dias e quarenta noites sem comer. Bastaria um estalar de dedos para Cristo transformar pedras em pães, independentemente da sugestão do maligno. Ora, se ele não o fez, estando na plena dependência do Pai, porque o faria sob a sugestão do inimigo? O que importou ao Senhor Jesus foi apenas a Palavra de Deus e não a sua possibilidade de fazer pães a partir de pedras, o que ser-lhe-ia muito fácil, visto ter sido Ele mesmo o criador de tudo o que existe segundo o capítulo um de João.O que estava em jogo ali era mais do que comida. Era levar Cristo a desacreditar na Palavra do Pai.
Em uma segunda investida, o que foi colocado em cheque foi a filiação de Cristo. O inimigo começou por jogar a dúvida pela expressão "se és o Filho de Deus." Caso Jesus caísse de cima do pináculo do templo acidentalmente, os anjos o amparariam, porque acerca disto, de fato, estava escrito. Todavia, se ele acedesse à sugestão de Satanás e de lá se atirasse, estaria, outrossim, tentando ou testando a Palavra de Deus, o que se constituiria em matéria de falta de fé e confiança, o que faria d'Ele uma pessoa qualquer e não o Filho de Deus. 
Outro aspecto do engano dos espíritos enganadores é prometer o que não lhes é próprio por direito. Satanás ofereceu a Jesus os reinos e a glória deste mundo, mas Jesus é o Senhor, tanto deste, como do mundo vindouro, porque aceitaria o que lhe é próprio de alguém que é usurpador? Quantos líderes, pregadores, mestres e religiosos em geral estão se vendendo em troca da glória dos homens e dos reinos do poder econômico e político? A quem estão adorando? Ao Senhor da Glória não o é! Quantos espíritos se manifestam em sessões mediúnicas e oferecem um mundo sobrenatural que não existe!
Após todas as investidas, o Diabo deixou Jesus, porque as Suas reações e respostas não foram com base no Seu próprio poder, mas com base na plena confiança nas Escrituras.
Hoje, bastam uma cura aqui, um alívio psicológico ali, uma libertação de drogas, uma ajuda na solução de negócios embaraçados e favores financeiros acolá, os homens se rendem e se entregam a qualquer espírito, sem sequer prová-lo. Por isso, o mundo vai de mal em mal. Conforme as Escrituras, o mundo irá assim até a restauração final. Como estas se cumprem invariavelmente, resta aos eleitos apenas glorificarem a Deus nas maiores alturas e que Ele seja misericordioso com estes.

Nenhum comentário: