sábado, 2 de agosto de 2008

A DETURPAÇÃO DA GRAÇA III

De todas as verdades contidas nas Escrituras a que mais incomoda é a graça. Embora, pareça absurda esta afirmação, entretanto, ela é verdadeira. Não, porque alguém queira que ela seja verdadeira, mas porque há comprovações na experiência dos eleitos de Deus ao longo da história da Igreja do Senhor Jesus, o Cristo. A graça é uma verdade inquietante, precisamente, porque coloca o pecador no seu devido lugar, ou seja, menos do que nada. O incômodo ocorre exatamente, porque nenhum homem, em seu estado degenerado, admite ser nada, quanto mais, menos do que nada. O pecado cria no homem uma espécie de "Síndrome de Lúcifer", isto é, ele quer ser semelhante a Deus por suas próprias expensas, sem perder a sua vida almática, afim de ganhar a semelhança de Cristo na plena dependência da graça. Assim, enquanto Deus oferece a salvação pela graça mediante a fé, o homem decaído quer forcejá-la por meio da justiça própria e dos méritos. A graça retira o tapete vermelho da soberba moral e religiosa do homem decaído. Ele se torna absolutamente dependente de Deus, e, isto, lhe incomoda muito.
Rm. 3: 23 a 26 - "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs como propiciação, pela fé, no seu sangue, para demonstração da sua justiça por ter ele na sua paciência, deixado de lado os delitos outrora cometidos; para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e também justificador daquele que tem fé em Jesus." A destituição do homem em relação à glória de Deus, o reduziu a um ser morto espiritualmente, e, portanto, um morto nada é. Todas as suas vontades cessam! Todos os seus direitos cessam! Todo senso de justiça e retidão divinos cessa! A única maneira de o pecador ser restituído à glória de Deus novamente é mediante a justificação gratuita por meio da propiciação de Cristo. Esta fé é dada pelo próprio Deus, o pecador crê que o sangue vertido na cruz o justifica, ou seja, o torna justo diante d'Ele. Esta é a justiça de Deus, a saber, Ele pune o pecado conforme o Seu decreto eterno - "a alma que pecar esta morrerá" - desta forma, ou o homem morre eternamente com sua culpa do pecado, ou o homem morre em Cristo para sua justificação perante Deus. Destarte, Cristo é o Justo e também, o Justificador perfeito e eterno. Aquele que tem fé de Jesus, só a tem porque recebeu por graça conforme Ef. 2: 8 e 9 - "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie." 
Por estas razões todas é que a graça incomoda tanto, pois ela retira toda a falsa glória do homem decaído e a coloca apenas em Cristo.

Nenhum comentário: